Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Verdade ou publicidade?

A evolução do homem é algo fantástico.

Diria que as descobertas mais importantes nos primórdios terão sido a roda, o uso de metais e o fogo. Depois disso a evolução ter-se-á normalmente acelerado.

No século XIX houve a conhecida explosão industrial que no fundo foi o primeiro grande alicerce para aquilo que somos hoje.

Entretanto no século XX a revolução tecnológica abriu espaço para muitas valências. Dizem que o homem foi à Lua (serei dos poucos que não acredita!!!), as comunicações passaram a viajar à velocidade da luz para finalmente o último grito ser um ser humano artificial (literalmente).

O vídeo chegou-me ontem e fiquei impressionado com o que vi.

Será verdade ou apenas publicidade enganosa? Mas se for verdade como foi possível o ser humano descer tão baixo?

Poderão dizer que é apenas uma máquina com aspecto humano, mas para mim este protótipo poderá vir a ser uma espécie de Caixa de Pandora.

Seria bom que alguém cuidasse que o verdadeiro princípio do fim da humanidade poderá estar para breve.

Morder a língua...

Pois é... por vezes dá-me para ser injusto e idiota.

Um destes dias escrevi aqui umas patacoadas criticando as praxes e sugeri que estas tivessem uma função mais ambientalista.

O problema é que não fiz previamente qualquer investigação, assumindo que aquilo de vi era alastrado a todos os desgraçados caloiros e deste modo cometi uma gravíssima injustiça.

Na verdade no Instituto Politécnico de Setúbal os caloiros entram em iniciativas de apanhar o lixo junto ao Rio Sado. Pelo que percebi este já é o segundo ano que o fazem. O primeiro teve 500 novos alunos nestas iniciativas e este ano são 600.

Portanto "mea culpa" e mordo a língua para quando voltar a acusar alguém, ter comigo todos os dados evitando assim erros próprios.

(Entretanto em Lisboa continua a festa)!

A liberdade da verdade

 

A internet é um veículo de informação fantástico. Num ápice e à distância de um clique temos acesso a um manancial de dados que dificilmente de outra forma conseguíamos obter. O correio electrónico, as redes sociais, os blogues, os sítios, todas elas são formas muito úteis e rápidas de comunicarmos e aprendermos.

 

No entanto, neste novo mundo que agora temos acesso permanente. há imensas imprecisões – para usar uma expressão benevolente - que podem deturpar a verdade. A liberdade de expressão adquirida com o 25 de Abril não deve ser um veículo de alteração da realidade.

 

Custa-me por isso entender como é que muita gente usa este meio para fomentar notícias falsas. Foi o caso de hoje. Recebi esta manhã na minha caixa de correio electrónica uma mensagem reencaminhada por um familiar. Não é relevante o tema da notícia para este caso, mas sim o seu teor.

 

Uma profunda mentira…

 

Porque falava de pessoas que conheço pessoalmente. E de factos que não correspondem à verdade. E o pior é que os restantes leitores deste tipo de mensagens acreditam piamente no que lêem… Porque lhes faz jeito!

 

Obviamente que apaguei aquela mensagem. E todas as que vierem do mesmo teor, irão parar ao lixo do meu portátil. Esta forma sabuja, vil e soez com que se atira para a lama o bom nome das pessoas, parece-me do mais reaccionário que se possa imaginar.

 

E a maioria dos casos, em nome dos (altos?) interesses de (algumas) ideologias!

Mais sobre mim

foto do autor

Posts mais comentados

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O meu livro

Os Contos de Natal

2021
2022

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D