Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

A Baixa lisboeta...

... É uma tristeza!

Já falei por diversas vezes neste espaço sofre a desconfiguração da Baixa pombalina da capital.

Quem, como eu, ali trabalhou tantos anos sente que aquele centro citadino deixou de ter o charme, a beleza e acima de tudo a vida humana que caracterizou a Baixa durante uma enormidade de anos.

É verdade que o turismo voltou à cidade de Ulisses, após muitos meses de inactividade, mas ao mesmo tempo deixei de ver as lojas que foram referência na minha vida.

Lembro aqui algumas:

Old England, Casa Africana, Central da Baixa, Casa das Limonadas, Palmeiras, Camisaria Moderna, Loja dos Pneus, Restaurante Vitória, A Regional e tantas outras casas ora substituídas por restaurantes de comida luso-italiana ou "fast-food".

Muitos hotéis, muitas lojas de bujigangas na maioria sem graça nem qualidade, muitos bares, enfim muito nada!

Curioso é que numa altura de autárquicas só vi o PCP em acção de campanha. No largo do Intendente!

Dia do Pai!

Quando chega a este dia do Pai vou normalmente buscar os meus filhos e o meu pai a quem, de alguma forma, lhes dedico os textos que aqui vou esgalhando.

Todavia este ano as minhas palavras serão um tanto diferentes porque, sinceramente, como pode um homem comemorar este dia sem ter o pai presente e outrossim sem filho? Ambos desaparecidos recentemente. E o mais novo de uma forma trágica. Não foi o meu caso felizmente, mas conheço quem neste momento vive esta tristeza…

Se para o pai há alguma naturalidade colocada pela própria vida, mesmo que nunca estejamos preparados para tal, já no desaparecimento do filho surge-me como algo mais injusto (nem sei se a vida terá algum verdadeiro sentido de justiça!!!).

Por isso hoje é um dia do Pai diferente e triste…

Para todos os filhos que perderam os pais.

Para todos os pais que perderam os filhos.

O postal que não gostei de escrever!

Todo o dia hesitei em escrever este postal. Porque me toca, porque nos toca.

Que escrever ou dizer a um pai que perde o filho? Não foi certamente o primeiro pai, nem será o último, infelizmente. Mas o drama não está na morte em si, mas na tragédia associada, pois ninguém percebe o que leva um jovem de 22 anos a enforcar-se.

Definitivamente até me custa esgalhar este texto. Todavia é necessário alertar, é preciso acordar, é urgente dar voz... à dor interior! Que tantas vezes não ligamos!

Nunca vivi este drama e talvez por isso, repito, que não saiba o que escrever ou o que dizer a um pai cujo filho único se suicidou. Creio que nenhum dicionário chegaria... Porém as palavras não o trariam à vida... Quiçá antes!

Agora a família tentará buscar razões, causas, episódios... que originaram esta profunda tragédia.

Mas faltará sempre a voz única de quem nunca falou ou que nunca foi escutada. Faltarão as lágrimas de quem sofreu sozinho o drama que foi a sua vida, mesmo que para muitos de nós possa nem parecer.

Por isso somos todos tão diferentes.

Hoje o meu coração chora por um jovem que preferiu a tentação de morrer à coragem de viver! E quantos sentirão diariamente este suplício?

Descansa em Paz R.

Natal de 2020 - Uma festa (tristemente) adiada!

No início deste ano quando caíam nas nossas mãos diariamente as notícias sobre uma gripe altamente infecciosa que surgira na China, estávamos muito longe de calcularmos que aquela iria entrar pela nossa casa de uma forma impensável e mudar de maneira quase catastrófica os nossos hábitos.

Estamos a entrar no mês do Natal, festa sempre muito apetecida e querida por miúdos e graúdos, obviamente por razões muito diversas. No entanto aquele será tão diferente quanto foi este ano de 2020.

Em tudo.

Para já assumem-se para o futuro as concentrações de família impossíveis, as consoadas sem gente, as missas do Galo por realizar, as alegrias adiadas, os abraços apenas virtuais, os beijos escondidos. E as saudades a crescerem!

Regresso ao principio deste malfadado ano... Ainda trabalhava e entre os meus colegas havia um, que sendo casado com uma responsável numa multinacional ligada aos medicamentos, dizia que a infecção se iria alastrar pelo Mundo inteiro tornando-se numa estrondosa pandemia. Amplamente conhecido como um hipocondríaco todos achamos que aquilo seria exagero. No entanto recordo uma frase que ele proferiu certa manhã num intervalo para café:

- Mais tarde ou mais cedo alguém ao nosso redor, seja amigo seja família vai ficar infectado!

Houve quem esboçasse um sorriso duvidoso. Outros continuaram a crer num exagero pessoal (eu incluído).

Infelizmente aquele colega acabou por ter toda a razão.

Hoje deu-me para isto!

Desde há muito que acordar vivo é já para mim uma benção, uma dádiva que Deus me dá. Talvez por isso lhe agradeça tantas vezes e tenha conversas com ele que não tenho com mais ninguém.

Acredito que nada da minha vida foi fruto de um acaso ou de um coincidência. Tudo tem existido com um fim, um sentido. Mesmo os momentos menos bons. Passo a exemplificar: quando em 1999 tive o meu primeiro descolamento de retina no olho esquerdo, jamais pensei que poderia continuar a ter uma vida normal. Ora em 2012 tive um novo, desta vez no olho direito, o único com o qual fiquei a ver. A verdade é que se tivesse sido ao contrário eu provavelmente não estaria agora a escrever isto, já que a vista esquerda só tinha, antes de tudo começar, 40 por cento de visão.

O mesmo aconteeu no trabalho. Entre diversos sítios houve um deles onde fui maltratado. O que originou que eu saísse assim que pude e fosse para outro lugar onde estive muitíssimo bem.

A vida é como o mar: umas vezes manso que nem cordeiro, outras bravo que nem toiro em arena. Mas é este jogo que nos obriga a perceber onde está o bom e o mau da vida.

Vou entretanto assistindo a muita gente que não consegue conviver com as desilusões ou o desconforto da tristeza. E lamento que vivam angustiados.

Por isso creio que o melhor que a vida tem é não sabermos o dia de amanhã!

Pois... mas Deus saberá!

Mais um que parte!

Certa vez li que os gatos não são domesticáveis pois são eles que domesticam os donos.

Reconheço que a minha relação com os felinos foi sempre um tanto distante. Prefiro sem dúvida os cães.

Mas independentemente da minha preferência fiquei triste quando constatei esta manhã que a Alani partira para o Céu dos animais (nem sei se existe, mas quero crer que sim!!!).

A Alani como qualquer gata que se preze era chata e quando queria alguma coisa miava até o conseguir. Mas era uma gata doente e rapidamente gastou as sete vidas.

Fica aqui uma foto num dos seus bons momentos.

Ciao Alani.

alani.jpg

Isto não é o Sporting!

Sou adepto do Sporting Clube de Portugal, clube nascido há mais de 100 anos.

Aprendi a amar um clube que diziam ser diferente e do qual sou sócio há 40 anos!

Alguns falavam que era o clube dos ricos, mas o meu pai andou quase sempre dscalço até vir para a tropa... portanto de rico teve pouco ou nada.

Depois falava-se da postura até que alguém estragou aquela imagem exacerbando-se com uma linguagem imprópria.

Todavia não posso olvidar as enormes figuras do futebol nacional que evoluiram neste clube: Peyroteo, Travassos, Jesus Correia, Hilário, Yazalde, Balakov, Cristiano Ronaldo e mais recentemente Bruno Fernandes. E estes exemplos pecam por uma enorme escassez de nomes.

Depois foi o ciclismo e Joaquim Agostinho, no fundo e meio fundo em atletismo com Carlos Lopes, Mamede, os gémeos Castro, Naide Gomes ou Obikuelo e claro está o professor dos professores... Moniz Pereira.

No Hóquei em Patins com Livramento, Chana, Sobrindo, Ramalhete e tantos outros.

Será necessário dizer mais alguma coisa?

Pois é... este Sporting referido acima fará parte da história do desporto Nacional.

Entretanto o clube que hoje reside para os lados do Lumiar é um perfeito mau exemplo de como se consegue destruir num ápice um imenso património desportivo.

O Sporting bateu no fundo, donde dificilmente sairá.

Decididamente este não é o meu Sporting. Para profunda mágoa minha e dos meus.

Faz hoje um ano!

Não pelo dia de calendário que esse é amanhã, mas pelo dia da semana.

Era um Domingo frio. E ainda ficou mais frio quando o meu filho me chamou à garagem para constatar uma evidência que eu já sabia que haveria de acontecer, mais dia menos dia.

Nada temos na vida como garantido a não ser o nosso passado e a morte. Mas quando a Ceifeira leva quem nos preenche fica a dor, a tristeza e uma incapacidade de lidar com o impossível.

Faz hoje um ano que a Lupi adormeceu para sempre.

Mesmo depois deste tempo decorrido ainda não me habituei à tua partida.

lupi.bmp

No país da D. Cristina!

Ando sinceramente preocupado com este país. Não é bem bem com o país verdadeiramente dito, mas mais com o seu povo.

Um destes dias isto estoira e depois não há ninguém que segure esta gente.

Fazendo uma pequena resenha:

  • Na Alemanha condenaram um corruptor, em Portugal não há corrompidos no caso dos submarinos;
  • Os Bancos da nossa tristeza (BPP, BPN, BES, BANIF) cairam com estrondo;
  • Incêndios no centro do país em 2017 e no Algarve em 2018 deixaram rasto de destruição e morte;
  • Derrocada de uma estrada entre pedreiras no Alentejo matou 5 pessoas;
  • José Sócrates, Ricardo Salgado, Duarte Lima continuam em liberdade;
  • Diversos deputados fazem-se passar por outros na Assembleia da República;
  • Um vereador do BE entrou no negócio imobiliário;
  • O genro de um lider partidário recebe principescamente para mudar meia dúzia de lâmpadas de rua;
  • A CGD fia e confia nuns clientes pouco sérios;
  • Os enfermeiro gritam por melhores ordenados e os doentes à espera;
  • Os professoras querem os 9 anos a quem têm direito;
  • As mulheres morrem às mãos de energúmenos, vítimas de violência doméstica e a culpa é da Bíblia.

Enquanto tudo isto se passou (e passa!) impunemente neste rectângulo e antes que alguém se revolte eis que nasce o programa da Cristina Ferreira, telefona-lhe o Marcelo e a malta fica entretida.

Coitada da apresentadora que até nem tem culpa nenhuma neste cartório e leva sempre por tabela.

Desculpe D. Cristina!

Um dia realmente triste!

Há dias assim, tristes e sombrios como uma noite de tempestade.

Pela primeira vez em quase sessenta anos que levo de vida vi o meu pai numa cama de hospital. Foi internado hoje para ser sujeito a uma cirurgia ao coração, amanhã. Todavia os examos preliminares davam um elevado grau de anemia que irá impossibilitar a cirurgia.

O foco recai agora em descobrir as razões de tamanha anemia.

Quando às nove da noite o deixei naquela cama de hospital senti-me tão triste, mas tão triste como faz tempo que não me sentia. 

Mas amanhã será um novo para ser vivido na sua plenituide.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D