Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Sporting - o amigo improvável!

Não venho falar do Sporting nem desta crise que está instalada no meu clube de coração. Trago aqui uma ideia que desde a semana passada tem vindo a ganhar forma.

O estado de graça do Governo, sem bem que não tenha ainda desaparecido está em níveis claramente baixos. Basta reparar nas diversas questões em aberto:

- Greve dos médicos e enfermeiros. Ou da falta destes técnicos de saúde nos diversos hospitais.

- A contagem do tempo na carreira dos professores, com as respectivas manifestações!

- As mudanças na Protecção Civil agora que se aproxima a época crítica dos incêndios!

- As dúvidas com a aprovação da lei da eutanásia!

Isto só para referir uns pontos mais quentes...

Entretanto a semana passada uns tipos encapuçados invadiram as instalações do Sporting em Alcochete originando graves distúrbios e alguns ferimentos em jogadores e outros elementos da equipa técnica.

Resultado: desde esse dia, é em torno do Desporto e da violência nesta actividade, que se regem as notícias. Para além da enorme crise directiva no Sporting.

Bem vistas as coisas o meu clube e Bruno de Carvalho tornaram-se os amigos improváveis da geringonça de António Costa.

Desabafos de um adepto...

Os últimos dias têm sido, para mim, penosos. Durmo mal e quando consigo adormecer penso que esta (má) história do Sporting não passa de um pesadelo.

Rapida e infelizmente constato que é tudo verdade.

Este preâmbulo serve exclusivamente para falar de um assunto para o qual não tenho qualquer explicação lógica e muito menos científica e que se prende com o ser adepto.

Desmond Morris no dealbar dos anos 80 escreveu a Tribo do Futebol tentando explicar os sentimentos que levam alguém a escolher determinado clube e acima de tudo a forma como reagia aos sucessos e insucessos da equipa preferida. Li na altura o livro, mas sinceramente dele pouco ficou na minha mente.

Pela minha parte a opção pelo meu clube herdei-o do meu pai tendo já transmitido esse gosto aos meus filhos. Tudo normal! Se bem que o mais novo relaciona-se com estes clubismos de uma forma muito própria: liga pouco ou nada.

Como adepto sou pouco tolerante. Gosto pouco que brinquem comigo tendo em conta algum mau resultado da minha equipa. Seja no futebol, andebol, futsal ou berlinde. Sinceramente lido mal com os desaires.

Explicar este sentimento, postura, maluquice ou que lhe quiserem chamar não é fácil. Nada mesmo.

Como diria Camões no seu célebre soneto este amor "... é fogo que arde sem se ver..."!

Enfim em vésperas de mais uma Final da Taça de Portugal em futebol invadiu-me a estranha sensação de que daqui a 24 horas estarei muito mais triste que estou agora.

Deus (e Jesus!!!) queira que me engane.

A minha (triste) vergonha

Não me parece que seja coincidência. Após um desaire leonino, o ainda Presidente salta para a ribalta e dispara para todos os lados, quiçá numa postura que tem como fim vitimizar-se. Só pode.

Conheço alguns adeptos e sócios que nunca foram nas conversas de BdC. Achavam-no arrogante, pretensioso e acima de tudo muito mal educado, roçando a ordinarice (a estória recente dos três olhos é disto um triste exemplo…) e por isso nunca votaram nele!

Mas eu votei. Votei mas arrependi-me.

Também foi verdade que naquela altura não havia nenhum candidato com capacidade para levar este pesado navio para a frente. Daí ter votado BdC.

Mas desde a sua reeleição que comecei a perceber no Presidente do Sporting alguns traços ou atitudes que me desagradaram sobremaneira.

A tal expressão “bardamerda para quem não é do Sporting” foi o baixar para um patamar que nós sportinguistas não estávamos habituados a escutar, vindo essencialmente dos dirigentes leoninos.

Mas até isso perdoámos e deixámos que ele usasse o feicebuque para atacar toda a gente, dentro e fora do clube! Entretanto fomos, cada um à sua maneira, avisando o líder leonino que aquele não era o caminho. Depois a crise de Fevereiro com o governo leonino quase a cair na rua e uma vez mais o Presidente a queixar-se e a chantagear o universo leonino, que mais uma vez lhe deu força.

Desde esse celebérrimo sábado chuvoso que BdC nunca mais parou de falar, quando devia estar calado para se calar quando deveria falar, com as consequências que ora estamos a arcar.

Finalmente não imagino o ambiente no próximo Domingo, mas uma certeza eu tenho: o Sporting e os sportinguistas não merecem passar por esta vergonha e espero que BdC se escuse a ir ao Jamor.

Para maus exemplos já chegam os de hoje em Alcochete!

Saltos altos e tamancos!

Como sportinguista e após a AG de ontem, com os resultados já de todos conhecidos, sinto-me na obrigação de fazer uma breve análise ao que fui assistindo nas últimas semanas.

Começo então por algo que não tem nada a ver com o Sporting. Há muitos, muitos anos conheci uma senhora esposa de um empresário de sucesso em Lisboa e que era na altura proprietário da empresa onde eu trabalhava.

Certo dia a Dona S. virou-se para mim, já nem me lembro a que propósito de que assunto e disse: Toda a vida aprendi a andar de sapatos de salto alto, mas por vezes tenho necessidade de calçar as tamancas de forma a ser escutada.

Bom… pegando no exemplo da Dona S. direi que Bruno de Carvalho calçou, nas últimas semanas, muitas tamancas e poucos saltos altos. Mas talvez tenha sido necessário fazê-lo. Não sei…

Por diversas vezes critiquei o Presidente Bruno de Carvalho, não na essência das suas ideias, bem pelo contrário, mas da forma como o faz, nomeadamente o aspecto verbal.

Passemos agora às conclusões que retiro desta última Assembleia Geral.

1 – Bruno de Carvalho saiu reforçado e ao invés do que vou lendo por aí, os nossos adversários não estão contentes com a sua permanência, mesmo que digam o contrário;

2 – O Presidente obrigou os sócios presentes a encostarem-se a JJ. Se o Sporting não ganhar o campeonato este ano o actual treinador, com toda a certeza, não sairá;

3 – BdC teve a frontalidade de apontar os seus inimigos internos pelo nome. Não sei se foi o mais avisado, mas reconheço-lhe coragem na sua atitude;

4 – Esticou um tanto a corda ao pedir que os sócios deixassem de comprar e ler jornais desportivos e ver televisões portuguesas. Enveredou, com esta sua vontade, por caminhos ínvios com consequências imprevisíveis;

5 – Quer queiram quer não, o país leonino não parece ter ficado mais pacificado após este fim de semana. Temo mesmo que a guerra apenas agora se tenha iniciado.

O Sporting é um grande clube. O maior de todos. Por favor não o tornem mais pequeno.

 

Também aqui

Lisboa hoje: o centro das atenções

A capital acordou sob um dia cinzento, mas sem chuva. No entanto aquela preparou-se para centrar sobre si todas as atenções de um país.

Em primeiro o Congresso do PSD onde o ex-Primeiro Ministro, Pedro Passos Coelho, passará a pasta ao novo líder laranja Rui Rio. Haverá ainda a discussão de moções de estratégia para o futuro e de lugares chaves no partido, mas prevejo que tudo será feito com toda a serenidade.

Obviamente que os partidos do governo e até o próprio CDS estarão claramente atentos aos diversos discursos de alguns congressistas presentes no Palácio de Congressos na Junqueira, ali paredes meias com o Tejo.

Quase ao mesmo tempo, no lado contrário da cidade decorrerá durante a tarde, sem hora para terminar, uma reunião magna onde Bruno de Carvalho, Presidente do Sporting, irá pedir aos sócios um voto de confiança.

A esta Assembleia Geral também os adversários desportivos estarão atentos, pois se BdC continuar a liderar o meu Sporting os adversários (internos e externos) não irão dormir descansados tal a forma contundente como BdC defende as cores leoninas.

Portanto sobre Lisboa, este sábado, incidiram todos os holofotes noticiosos.

Agradecimento devido!

Quando no Domingo à noite, após o jogo, julguei que nada me faria esquecer a estúpida derrota contra uma equipa que luta para não descer, eis que a semana se inicia com um comunicado do (ainda) Presidente do Sporting.

A verdade é que após o ter escutado, fiquei sem palavras, sem pinga de sangue e acima de tudo sem memória. Seria verdade tudo o que havia ouvido?

Parece que sim…

Portanto Presidente, obrigado pelo comunicado… Esqueci-me mui depressa da derrota da Amoreira.

Jamais imaginei…

Nas asas das Aves

Esta noite foi mais um serão de bom futebol. Bom porque o Sporting jogou bem, bom porque ganhou com mérito, bom porque Bas Dost marcou mais três golos.

Nunca fui grande jogador de futebol. Admirava-me mesmo quando, na escola, alguns colegas conseguiam dar centenas de toques na bola. Eu dava dois e ao terceiro a bola parecia fugir dos meus pés.

Por isso admiro quem consiga fazer deste desporto uma profissâo. E se for competente tanto melhor. Há muitos jogadores por esse mundo fora com muita qualidade e que fazem coisas impossíveis com uma bola. E nem necessito enumerar nomes, pois todos nós os conhecemos.

Tenho pelos jogadores com a posição de pontas-de-lança (evolução para o antigo título de avançado-centro) uma consideração e admiração muito acima da média.

Por isso hoje falo de Bas Dost, 1,96 metros de puro instinto matador. Naturalmente um grande herdeiro de Liedson, Mário Jardel, Paulinho Cascavel ou Manuel Fernandes.

Ou de Yazalde, Lourenço ou Peyroteo.

O holandês é realmente um esplêndido jogador, com uma capacidade de concretizaçáo fantástica. Que faz as minhas delícias e seguramente de milhares de sportinguistas. Esta noite marcou mais três... Tudo fácil... como se voasse.

Ou não fosse a equipa adversária... o Aves.

Em noite de dérbi...

Preferi ver outras coisas

Gosto muito de futebol mas os dérbis fazem-me sempre sentir um tanto agoniado.

Por isso não vejo estes jogos, nem sózinho.

No entanto fui sabendo como corriam as coisas através de diversas sítios.

Ao intervalo escrevi mesmo num comentário que sentia que o jogo não terminaria com a vitória do Sporting. Não sei explicar mas era um mau "feeling".

Infelizmente tive razão. Mas não vendo, sofri o menos possível.

E agora venha o Marítimo em casa que estarei lá.

CR7 versus Messi

Estou cada vez mais convicto que a UEFA quer “à força toda” uma Final da Liga dos Campeões com clubes espanhóis de maior relevo. Isto é, um duelo europeu entre Cristiano e Messi. E esta intenção tem muuuuuuuuitos anos.

Os (poucos) interesses desportivos e os (muitos, demasiados) interesses financeiros, estão obviamente na origem desta férrea vontade do órgão máximo do futebol europeu. Não calculo sequer os valores assombrosos que andariam à volta de um jogo destes. Mas não só...

Acredito que a UEFA deseja afincadamente esta final para finalmente colocar Messi num pedestal mais elevado que Cristiano.

Mas para tal aquele órgão necessita que ambos os clubes consigam chegar à dita Final. Ora em anos anteriores tanto o Real como Barcelona têm chegado às semifinais e ás finais mas curiosamente nunca ambos no mesmo ano.

Tudo isto para explicar o quê?

Ontem estive em Alvalade com mais 48274 adeptos e vi um Sporting a ser massacrado por um árbitro que, enquanto a equipa blaugrana não marcou, não deixou de atemorizar os jogadores do Sporting. Qualquer toque num jogador da cidade condal, o atleta leonino era logo admoestado com a cartolina amarela. Um manual de como não se deve arbitrar.

Fiquei ainda com maior impressão quando após o golo de Barcelona o árbitro deixou de apitar tanto. Geralmente nunca perco a cabeça no estádio, todavia ontem perdi as estribeiras, pois jamais vi um juiz a preceder desta forma. Comentei que a ser daquela maneira o Sporting não acabaria com os onze jogadores. Mas Coates teve aquele azar e a partir daí tudo acalmou.

Nem imagino sequer o que faria novamente o árbitro se Bas Dost ou Bruno Fernandes tivesse marcado o golo do empate.

Tudo isto para explicar que se ontem estivesse no campo um juiz competente, provavelmente não estaria a escrever este texto.

E o Barça poderia não estar em primeiro!

 

Também aqui

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D