Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Eleições europeias: o frete!

Ao que percebi termina hoje a campanha eleitoral para a eleição de deputados para o Parlamento Europeu.

Uma votação quase sempre pouco concorrida, até porque se percebe que os nossos 21 deputados pouco ou nada podem contra os restantes países com maior número de representantes. A acrescer temos as ideias fixas de cada partido representado que, em vez de pensarem no seu próprio país, apenas se ocupam das suas bravatas políticas.

Espero ir votar, até porque é um dever cívico. Mais... se não vot,ar que direito terei eu em criticar seja quem for? Votando mesmo que seja em branco, tudo será obrigatoriamente diferente!

O voto branco e o nulo correspondem, quase sempre, a um voto de protesto. Não interessa a razão ou razões dessa opção, mas será uma forma real de mostrar desagrado.

Desta vez não vi nenhum debate, nem vi qualquer campanha, nem escutei nenhum dos candidatos, porque tenho mais que fazer... 

Enfim, mais um acto eleitoral  do qual todos os partidos vão sair todos vencedores, mesmo que percam votos!

O costume, afinal!

Hoje dia da criança!

As crianças são o melhor que há no Mundo. Esta é uma frase conhecida e bem real. Então para mim que já carrego com três netos no meu bornal...

Talvez por isso esteja muito longe de concordar com a ideia de haver um dia especial só para as crianças, quando todos os dias do ano deveriam ser deles. Rigorosamente todos.

Não sou nada apologista dos dias especiais, sejam eles nacionais ou mundiais. Nem dia da Mulher, do homem (também há!!!), da árvore, dos animais ou dos avós! Dito assim estes dias cheiram-me sempre a esturro.

O ano passado também escrevi sobre este meu pensamento. Não pelo dia de ontem mas por um outro.

Portanto e no seguimento do que escrevi acima hoje (também) é dia da Criança. Nem que seja aquela que vive dentro de nõs e que por vezes nem damos conta.

A gente lê-se por aí!

Teoria de conspiração!

Quando a ex-PGR, a Doutora Joana Marques Vidal saiu em 2018 após seis anos de um trabalho de enormíssimo mérito, para ser substituída pela actual Procuradora, a Doutora Lucília Gago, logo pairou sobre esta nomeação do Presidente Marcelo, após proposta do Governo, um clima de suspeição de ligações políticas a António Costa, da qual aquela figura nunca se livrou. Até há uns meses…

Adoro uma boa teoria de conspiração. A sério! E quanto mais rebuscada for, melhor.

Ora bem quando o antigo PM, Doutor António Costa se demitiu de Chefe do Governo, originando o que todos nós  hoje sabemos, por causa de um certo parágrafo colocado num despacho pela actual Procuradora-Geral da República, fiquei muito desconfiado da atitude repentina do então PM.

Na verdade o parágrafo acrescentado pela PGR seria razão mais que suficiente para que Costa colocasse o lugar à disposição. Mas tendo em conta o que agora se sabe, fica a ideia de que o texto aposto, tinha mesmo essa intenção: a saída de António Costa.

Recordemos que naquele tempo (parece que foi há séculos!!!) diversos Ministros andavam nas bocas de todo o Mundo e não era pelas melhores razões: Galamba foi o expoente máximo, mas o actual lider socialista também teve de sair ainda antes do chefe do governo. Isto é, Costa parecia estar cada vez mais limitado na sua acção política até porque escasseava gente minimamente competente para Ministros. Recordemos, mais uma vez, que AC, nessa altura, acumulou diversas pastas.

Perante tudo isto e voltando à senhora Procuradora a pergunta que me suscita é a seguinte: porque é que a Doutora Lucília Gago trairía a confiança que Costa nela depositara para Procuradora, através de um parágrafo?

A resposta parece simples e surge agora! Ao que li o antigo PM não é já visado na Operação Influencer após decisão da Relação de Lisboa. Todavia o MP irá continuar a investigar. Pudera... há que lavar a cara!

Portanto se toda esta recambolesca estória fosse um limão, arriscaríamo-nos a ter um fruto muito bonito que depois de espremido não daria uma gota de sumo. Uminha!

Na minha rebuscada teoria de conspiração diria então que AC terá solicitado à senhora Procuradora que fizesse algo que o obrigasse a abandonar o Governo! O homem estava realmente cansado de governar e, acima de tudo, gasto com tanta parvoíce ministerial. E depois havia (ou ainda há?) aquele lugar europeu… à sua espera!

Portanto bastou um simples parágrafo… geral para que tudo desmoronasse!

Na política, tal como na vida a verdade pode ser também uma questão de interpretação!

Deixai-os trabalhar!

Compreendo que a esquerda portuguesa ande ressabiada com a derrota nas passadas eleições. Ainda por cima os sucessivos ataques a um líder político só tiveram o condão de o tornar mais conhecido e com isso angariar tantos votos que a Assembleia da República vive perrmanenetemente sobre um vulcão pronto a explodir.

Mas será bom dizer que a culpa deste estado de coisas não é certamente da direita, que apenas fez o trabalho de casa. Foi a esquerda que durante oito anos deixou que o país caminhasse para um caos social nunca visto. A oposição fez apenas o trabalho que lhe competia.

Por muito que tentem arranjar desculpas, a verdade é que os portugueses não são burros nem parvos. Tivesse o PS com o apoio meio velado da restante esquerda, governado com competência, provavelmente outro PM estaria sentado em S. Bento. 

No futuro próximo tudo servirá para atacar o actual governo, mas faz parte do jogo político. O que importa é que os novos ministros e secretários de Estado se mostrem à altura dos desafios que têm entre mãos. Porque de outra forma continuaremos a marcar passo sem sair do lugar.

Portugal tem diversos problemas para resolver e já: habitação, saúde, educação, segurança nacional. Será bom que o foco esteja na solução destas situações.

Espero que Marcelo Rebelo de Sousa encoste o indicador aos outros partidos e lhes dè sinal evidente que os próximos tempos não serão para brincadeira política!

"Habemus" governo!

Finalmente já se conhecem os nomes do próximo governo. O XXIII desta república.

Poucas surpresas nos nomes, sendo que a maior delas seja a quantidade de mulheres como ministras (ao todo serão sete num governo de 18 pastas).

A partir de terça feira irão todos trabalhar para fazer deste país um local melhor para se viver. Seja para jovens e menos jovens! Ricos e pobres.

As criticas irão agora chover de todos os sectores políticos ainda antes de alguém poder fazer algo. É sempre assim!

Por mim dou o benefício da dúvida a todos. E só espero e desejo que nenhum deles seja envolvido em escândalos ou em processos judiciais como em casos recentes. Necessitamos de gente que aja, que ponha este motor a trabalhar, que retire as pessoas das depressões políticas que têm vivido nos últimos meses e anos.

Acima de tudo que este governo nos coloque a todos no caminho saboroso e renovado da esperança!

Expliquem-me devagarinho!

Há uma horas liguei uma das televisões para ir ver a Final da Taça de Portugal em Voleibol. Naquele instante estava a dar um noticiário (não imagino em que canal estaria) sobre a visita ao museu da resistência em Peniche de António Costa.

Em rodapé pude ler: António Costa, Primeiro-Ministro cessante.

Até aqui nada de extraordinário... a não ser ter nascido ali uma ligeira dúvida e que foi a seguinte: se AC é um PM cessante e se Luis Montenegro ainda não iniciou funções, quem estará a governar este rectângulo?

Eu sei que somos gente pacata e de brandos costumes, mas ainda assim necessitamos de ordem. Portanto expliquem-me lá (devagar de preferência) quem está ao leme desta velha nau?

Malhar, malhou... o pior foi o resto!

Atribuída a Shakespeare: "É melhor ser rei do teu silêncio do que escravo das tuas palavras", diria que esta frase cabe bem na maneira de ser do ainda Presidente da Assembleia da República, Artur Santos Silva.

De verbo fácil um dia, a segunda pessoa na hierarquia do Estado disse: "Eu cá gosto é de malhar na direita..." e mais uma série de disparates.

A verdade é que nas eleições do dia 10 o PS perdeu muitos deputados e um deles foi mesmo Artur Santos Silva. Mas o mais incrível é que perdeu para a Direita... a tal que o antigo Ministro de Sócrates tanto gostava, ou se calhar ainda gosta, de malhar. Tanto malhou que... se tramou!

Não gosto nem nunca gostei desta nova direita xenófoba, agressiva mas que se afirma católica. Porém foi o próprio Cardeal Patriarca a criticar publicamente a postura trauliteira e pouco sentida desta versão lusa, de muito mau gosto do "Trumpismo".

Resumindo poder-se-á afirmar que quanto mais a esquerda malhar na direita mais votos esta ganhará. Se algures no tempo este "Bolsonarismo" (outro imbecil!) bacoco e fedorento chegar ao poder a esquerda que não se esqueça das culpas que terá neste cartório!

Dia zero!

Terminou ontem a campanha eleitoral. Que não vi nem ouvi e muito menos li!

Entretanto hoje é o tal dia de reflexão pré-voto. Ou dito de outra maneira é o momento dos eleitores ainda indecisos (e parece que são muitos!!!) escolherem finalmente quem querem ou desejam para governar este rectângulo à beira-mar plantado!

Há nisto tudo, todavia, uma certeza: nenhum dos eleitores pensa no país. Nenhum!

Pensam unicamente em si próprios e no que poderão vir a ganhar se vencer este partido em vez daqueloutro. Faz parte deste povo "que não se governa nem deixa governar" esta postura de lutar devagar, pois não quer que ninguém se magoe. Por isso ainda hoje há muita gente a agradecer a Salazar por não termos entrado na Segunda Guerra Mundial.

Eu, ao invés, afirmo sem receio que terá sido o maior erro político de Portugal do século XX, obviamente a par da Guerra Colonial.
Portanto... amanhã será o dia zero de uma nova política e de um novo governo. Ou será a repetição de algum anterior?

Estamos perto de saber...

A história pode repetir-se!

Estava eu preparado para escrever aqui mais uma parvoíce quando dei conta que activistas climáticos atacaram hoje o líder da AD, Luís Montenegro com tinta verde.

Provavelmente todos estes activistas ainda não eram nascidos quando um político, entretanto falecido, recebeu uns tabefes e uma paulada na Marinha Grande. Estávamos em plena campanha eleitoral para a presidência da República e a vítima do ataque foi Mário Soares, que nas sondagens da altura tinha apenas 6 por cento dos intenções de voto. Decorria o ano de 1986.

Na altura o empolamento ao ataque foi tão grande que Mário Soares acabou por ficar em segundo lugar obrigando a uma segunda volta e nesta levar o PCP de Álvaro Cunhal a aconselhar o voto em Soares, não obstante o ódio, quase visceral, do PCP pelo antigo fundador do PS.

Recordei-me deste bizarro episódio ocorrido há perto de 40 anos quando percebi estes ataques. Se a história se repetir o actual líder do PSD/AD tem a vitória, no próximo dia 10 de Março, garantida.

Porque sinceramente não estou a ver o Luís Montenegro com uma obra de arte!

A democracia em perigo!

Por vezes tenho medo dos meus pensamentos. É verdade, tenho medo... pronto!

Receio essencialmente que alguém os oiça, até porque posso sem querer e mesmo que seja de forma quase silenciosa verbalizar algum deles.

Isto para dizer que daqui a dois meses estaremos a comemorar o meio-século daquele que foi um golpe de esatado. A revolução dos cravos foi apenas um epíteto aproveitado pelo PCP para dar nome à sua ideia política. Que como todos sabemos nunca vingou neste País de gente preguiçosa, invejosa e de brandos costumes.

Hoje tenho mais cuidado com o que digo e escrevo, não vá eu ofender algumas alminhas que há meio século ainda nem existiam, nunca souberam o que foi viver sob a ditadura e muito menos o que foi a censura. Falam e escrevem, eles e elas, considerando que têm sempre razão olvidando que há outras opiniões e visões e que podem não coincidentes com eles. Então ofendem-se com isso!

Tenho a certeza que a democracia lusa tal qual como foi criada ou inventada pode não ser perfeita. Como nenhum regime político o é! Mas até há uns tempos convivia bem com ele. Todavia sinto-me cada vez mais apertado num espartilho de pensamentos e acções que me leva a sentir que é a hora de termos um novo 25 de Abril.

Que até pode ser a 24 ou a 26 do mesmo mês! Ou de outro mês qualquer!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Os meus livros

Des(a)fiando Contos
Quatro desafios de escrita

Os Contos de Natal

2021
2022

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D