Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Eu, o eterno desconhecido!

No início deste mês escrevi este postal onde me predispunha a entregar a minha saúde nas mãos dos médicos. Porém é necessário ter cuidado com esta classe pois não são de fiar porque... quem diria... também morrem!

Seja como for já fiz análises (parecem que estão boas!), uma série de RX's e uma ressonância magnética à coluna.

Como a Medicina não é, de todo, a minha área de interesse sempre que faço exames nunca vou ler os resultados. Aquilo é uma linguagem tão inapropriada para um leigo que se for ler o que lá diz posso ficar a pensar diversas coisas e a maioria estranhas.

Leiam por exemplo esta frase:

"Pequeno nódulo de Schmorl no planalto somático inferior de L3, com alterações degenerativas Modic tipo I e II à periferia".

Jamais imaginei que tivesse montanhas dentro de mim quanto mais planaltos... Depois o tal de "nódulo"... imagino que seja um bicho daqueles capaz de me devorar em menos de nada... Mais, não conheço esse tal de "Schmorl" de lado nenhum... nem o "Modic" que parece nome de futebolista!

Portanto das duas uma:

- ou estou prestes a dar o berro;

- ou estes nomes devem ser dos parafusos e porcas que apertam os meus ossos!

Deixando para lá a parvoíce das palavras supra, sou um mero leigo nestas andanças médicas e ligo muito pouco (diria que quase nada!!!) a este léxico tão inapropriado. Acho que os relatórios deveriam ter no final uma palavra só para definir o estado do paciente.

Sugiro algo deste género: apto ou inapto.

Bastaria para perceber se estou a horas, dias, semanas de morrer ou se ainda poderei ver os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Amanhã mais consultas e exames...

Alimentação equilibrada é o quê?

Leio muitos textos envolvendo alimentação, provavelmente em demasia. Uns são a favor da dieta mediterrânica, como é essencialmente a portuguesa, outros a defenderem uma alimentação mais vegetariana e outros ainda com diferentes opções das anteriores.

Porém todos têm um ponto em comum: aconselham uma dieta equilibrada. Só que tudo serve para o tal equilibrio... depende apenas de quem o apresenta.

É, portanto, com este último parágrafo que a coisa começa a complicar-se, tendo por base as tais diferentes visões.

Fico assim sem saber o que devo ou não comer. O que me fará mal ou o que devo comer sem qualquer problema ou restrições.

Face ao que descorri atrás concluo que se colocar num prato da balança um quilo de carne ou peixe e no outro prato outro quilo de legumes, farei uma alimentação, literalmente, equibrada.

Será assim?

Perceber a nossa raça!

Sou conhecido na família por ser adepto de teorias de conspiração. Não o nego, obviamente!

Uma das mais conhecidas é a minha descrença de que o homem pisou solo lunar. Ne realidade naquela altura do século passado (anos 50/60) vivia-se uma época de profunda Guerra Fria entre dois blocos militrares - Pacto de Varsóvia e NATO - e esta questão apenas serviu para os Estados Unidos assumirem perante o Mundo um maior poderio militar. Contrapõem alguns dos meus amigos com a ideia de que se não fosse verdade, na altura a URSS; teria denunciado a situação. Até posso concordar com esta ideia, todavia fico vencido mas não convencido.

Outra das minhas teorias prende-se com o ataque às torres gémeas em Nova Iorque. Sabendo nós que diversas agências americanas conseguem ouvir todas as nossas conversas, admira-me que lhes tenha escapado este ataque. Porém... basta perceber o que aconteceu a seguir...

Ultimamente temos vindo a assistir à aventura em Marte já com a perspectiva de se fazerem passeios turísticos ao planeta Vermelho. Esta não será, para já, uma teoria de conspiração, sendo somente mais uma análise factual. É que tirando os cientistas estudiosos na matéria que interesse terá alguém passar uma série de anos fechado numa nave espacial apenas para visitar o planeta vizinho?

Há coisas na raça humana que me custa ainda a entender...

Aceito quase tudo menos...

... mau gosto musical!

Quando cheguei aos 60 anos, e ao invés dos sexagenários da época em que era miúdo que consideravam ser os únicos donos da verdade, eu com esta idade passei a aceitar tudo sem fazer muitas ondas.

Portanto aceito que os nossos políticos nos mintam permanentemente, que os corruptos sejam sempre ilibados dos seus crimes, que a justiça seja demasiado demorada, que as vacinas sejam entregues a quem mais pode e não a quem mais necessita.

Aceito que alguém ao fim de meio século de vida perceba que andou escondido num qualquer armário e saia finalmente de lá, como aceito que mintam quando me dizem: estás cada vez mais novo e eu a ver todos os dias aquelas rugas e a pele cada vez mais flácida.

Aceito tudo... menos o idiota do meu vizinho que sempre que me apanha lá por casa dá em colocar uma qualquer rádio em altos berros a debitar música brasileira "pimba"!

Poderia escolher "pimba" luso... até porque há algumas coisas engraçadas. Mas brasileiro? É de um mau gosto atroz. Esperto fui eu pois andei a aspirar o carro e sempre que o aspirador parava tinha o rádio do carro sintonizado na simpática Smooth FM (passe a publicidade!).

O meu vizinho deve ter percebido a diferença das músicas pois num instante deixei de escutar o rádio.

Ponto de situação de um covidoso...

Ora bem... após a má notícia da semana passada onde dizia que eu estava infectado, curiosamente um mês depois de ter sintomas, ontem voltei aos testes.

Desta vez deu negativo ou melhor "Não dectetável", que é um resultado mais pomposo que o primeiro. Ainda por cima o resultado enviado para a minha caixa de correio electrónico vem em Português, Francês, Inglês e Alemão. Gente fina é assim...

Na verdade como sei falar as 4 línguas atrás referidas percebi o resultado facilmente. Mas enfim são pormenores meio parvos...

Portanto neste momento o ponto de situação cá em casa é de já estamos todos isentos de covid e prontos para a quarta vaga da pandemia. Mentira... isto porque se para a maioria correu bem, para outros nem por isso. Eu incluído!!!

Todavia continuamos ainda confinados em casa somente por decreto, mas fica a pergunta: se já fui infectado ainda terei de usar máscara na rua?

Manias... doidas!

Já o disse que não faço colecção de nada. Minto... colecciono dias vividos. Nada mais.

Mas junto muita coisa. Desde relógios, rádios, gravadores de somsejam de bobines ou cassetes, faianças, lustres, moedas portuguesas comemorativas, notas de escudo.. eu sei lá que mais.

Com as limpezas do passado fim de semana encontrei algo que me fascinou: canivetes. Encontrei-os quase todos num saco de plástico, sendo que alguns já estavam enferrujados.

Juntei-os a alguns, poucos, que já tinha e fiquei com isto.

canivetes.jpg

Há aqui equipamentos para muitas funções. Desde canivetes de enxertia aos canivetes de caçador, passando pelos multifunções, há um pouco de tudo.

Como se diz cá em casa "cada doido tem a sua mania"!

 

Mais um sector em crise!

Esta pandemia que entrou nas nossas pacatas vidas, assim como não quer a coisa, alterou a forma como passamos a (não) conviver, a trabalhar (mal), a andar (pouco) na rua ou (ainda menos) nos transportes públicos.

A economia Mundial deu um trambolhão e tarda existir uma ideia concreta de quando as coisas regressarão à normalidade. Se regressarem.

Todos os sectores da economia foram afectados, disso não tenhamos qualquer dúvida. Basta ligar a televisão para termos essa noção.

No entanto há um sector que ainda não vi nem ouvi dizer nada. Falo da malta do gamanço. Não, não são os políticos, que esses não roubam… são mesmo os outros. Ladrões de casas, carteiristas, os especialistas em contos do vigário e tantos outros... coitados!

Reparem como pode sobreviver esta classe se não há turistas para enganar, não há utentes nos transportes públicos para roubar e quando os há estão muito afastados. Depois os confinamentos e recolher obrigatórios deixam as pessoas em casa e gamar, por exemplo, uma casa repleta de miúdos é o mesmo que entrar numa jaula de leões esfomeados.

Certo, certo é que nem o Sindicato dos carteiristas, gamantes e correlativos disse alguma coisa. Creio ser necessário apoiar esta gente já que também devem ter família…

Ou será que estão outrossim confinados?

Tadinho dele!

A actual pandemia tem origem no tal de Coronavirus com origem na China e todos o receamos. E com razão já que há milhares de vítimas e infectados por todo o Mundo 

Todavia e com as mais recentes notícias sobre infectados passei de forma humilde a ter mais respeito pelo virus... Diria mesmo que alguma compreensão e solidariedade.

É que ter de aturar um energúmeno como o Trump não deve ser nada fácil... Mesmo para um bicho daqueles...

Tadinho do virus!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D