Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Jogos Olímpicos 2016!

Este ano, mesmo estando de férias, tenho ligado pouco aos Jogos Olímpicos. Primeiro porque que o lema de Pierre de Coubertin já desapareceu há muito das Olimpíadas, segundo porque pairou sempre sobre muitos atletas o fantasma do dopping e terceiro os (maus) acontecimentos que envolveram a organização deste evento, com assaltos e tentativas de violação à mistura.

Depois… a participação portuguesa, ainda que tenha conseguido alguns bons resultados, parece ter ficado aquém daquilo que era esperado.

Sinceramente estes Jogos Olímpicos da era Moderna, têm vindo a subir a nível desportivo, é verdade, mas a baixar o nível, da essência que os originou. O que é claramente lamentável.

Lembro-me bem de outros eventos deste género e que me entusiasmaram olimpicamente. Estranhamente, estes não!

Será que já estou a ficar velho ou a ser demasiado exigente?

Jogos Olímpicos – O ideal ferido?

Temos todos consciência que a ideia original da criação dos Jogos Olímpicos da era moderna já foi há muito ultrapassada.  Hoje mais do que nunca os bons atletas não são meros amadores – tirando algumas muito raras excepções. Fazem do desporto uma forma de vida. E nem podia ser de outra maneira, tomando em consideração que para se alcançar óptimos resultados o atleta tem de se dedicar cada vez mais à modalidade, de alma e coração.

 

Lembro-me, a título de exemplo, dos atletas da antiga RDA, todos eles profissionais de qualquer coisa, mas que jamais haviam trabalhado em tal. Passavam dias, semanas, meses, anos inteiros entregues aos treinos, até à exaustão. Obviamente que este empenhamento era contraditório ao trabalho. Assim durante anos a fio, os países de Leste apresentaram soberbos atletas, com performances incríveis e resultados assombrosos.

 

Foi partindo deste pressuposto que se começou a investir mais no desporto, tanto em dinheiro como em recursos. Mesmo em Portugal o campeoníssimo Carlos Lopes, o Fernando Mamede ou até o António Livramento, durante muitos anos tinham emprego, mas do qual estavam naturalmente dispensados enquanto atletas internacionais.

 

Reconheço, no entanto, que aceder aos Jogos Olímpicos deve ser uma grande emoção para qualquer atleta. E a sua participação devia conferir à intenção genuína do Barão Pierre de Coubertin um valor ainda maior.

 

É com base neste último parágrafo que me custou ver um atleta, surgir em palco em representação do seu país durante… 15 segundos. Um quarto de minuto foi a sua presença efectiva nestes Jogos Olímpicos.

 

Senti que algo está mal! Fiquei com a certeza que os Jogos Olímpicos jamais serão um palco em que cada um dos competidores apresenta as suas qualidades, mesmo que menos capazes, mas um lugar onde cada atleta pretende uma medalha para poder manter o seu estatuto durante mais tempo.

 

E um destes dias veremos em vez de países, patrocinadores a divulgarem quantas medalhas ganharam os atletas por si apoiados.

 

Lamentavelmente…

Reflexões após o Euro 2012

 

Uma coisa é certa: o futebol ainda vale dinheiro.

 

Nas últimas semanas, durante a vigência de Portugal no Euro, o português andou quase sempre com os olhares presos na televisão. Se não era para ver Portugal era para observar os outros. Claramente abstraindo-se da crise, do desemprego que grassa por todo o país, dos cortes nos subsídios.

 

O desporto é ainda uma imensa fonte de notícias (talvez a maior?), a par da política. Não há jornal, revista, rádio ou televisão que não dedique um espaço ao desporto, sendo o futebol profissional o mais focado. Será por estas razões, que quem pode, chega-se à frente para dirigente desportivo. Seja de uma colectividade, associação distrital ou federação o que conta é estar lá.

 

No nosso país, o futebol quase por magia, ruge mais alto que os outros desportos. E o poder que dele advém é algo que deve ser tomado em (muita!) consideração. Portugal nestes últimos dias “quase” que parou. E nas horas em que a selecção jogava havia pouca gente na rua. O trânsito ínfimo!

 

Mas decorre neste momento e até Domingo o Europeu de atletismo. Morta ou quase a época futebolística (falta apenas uma meia-final e a final do Euro!) vai o povo finalmente virar-se para o atletismo, que tantas alegrias tem dado a este país? Bom, sinceramente creio que não.

 

Infelizmente, os portugueses só conhecem as modalidades ditas amadoras, quando resultam em medalhas. Após os Euros (que não a moeda!!!) temos os Jogos Olímpicos em Londres, durante duas semanas que se prevêem bem recheadas.

 

Mas por eles (os Jogos!!!) o nosso trânsito não vai parar, nem as ruas vão estar desertas…

 

Mais sobre mim

foto do autor

Posts mais comentados

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D