Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Mário versus Maria(na)!

Não consigo perceber o que levará alguém a escolher o actual presidente do Eurogrupo e Ministro das Finanças do governo luso, para liderar o FMI. O Doutor Mário Centeno pode ser uma pessoa muito competente, mas tenho a sensação que não tem o perfil para liderar aquele entidade financeira.

Todavia há em Portugal alguém que eu gostaria de ver a liderar o Fundo Monetário Internacional. Chama-se Mariana Mortágua (a ministra sombra das Finanças!!!).

Não pensem que estou a brincar. A deputada do BE tem o perfil exacto para estar à frente de uma Instituição que ajuda os pobrezinhos. Países, claro!

É que esta coisa de se criticar as políticas e decisões económicas de um país sem se ter qualquer responsabilidade é demasiado fácil. Como diria alguém: criticar é fácil, fazer melhor melhor é que é dificil!

A deputada parlamentar associada às diversas comissões de Economia e Finanças no âmbito da Assembleia da República necessita rapidamente de assumir um cargo destes, de forma a perceber que a teoria é, infelizmente, muito diferente da prática.

Até lá vai debitando umas ideias que já ninguém crê e ninguém quer!

Call center: os males da fita!

Quem lida directamente com o público tem que ter um estômago daqueles... No mesmo sentido quem liga para um "call-center" tem de ter uma paciência de Jó!

Desta vez aconteceu aqui em casa. Não é que eu seja um telespectador de telev isão assíduo, mas há mais gente por cá e portanto a televisão, não sendo uma necessidade, faz parte do serão.

Mas esta noita a coisa correu menos bem pois a caixa da operadora entrou numa espécie de Cuidados Intensivos: apresentava uma febre altíssima, mas não dava sinal de vida. Dito de outra maneira a caixa estava muito quente na sua base mas não dava qualquer sinal de estar ligada.

Ora bem... toca de ligar para os serviços técnicos e após vários números "... está junto à box, marque 1, não está marque 2..." e assim por diante. Finalmente atendem-me e eis que uma voz feminina com evidente sotaque brasileiro surge na linha.

Os primeiros passos entedemo-nos razoavelmente bem até porque falei devagar, mas quando iniciei a explicar o problema eis que oiço:

- "Oi..."

Toda a gente sabe que esta expressão dito por alguém oriundo do país irmão significa que este não percebeu o que dissemos.

Portanto passei, ao telefone, a ter dois problemas: o que me levara a ligar e a forma como deveria explicar à senhora de maneira a que me entendesse.

- "A boxi está conectada na tomada?"

- Menina eu já lhe expliquei anteriormente que já retirei o cabo e desliguei-a da corrente electrica. E voltei a ligá-la.

- "Oi..."

Decididamente a coisa estava a correr mal... Das duas uma: ou exibia da tal paciência de Jó ou arranjava uma desculpa idiota e desligava a chamada voltando a tentar. Podia ser que desta vez tivesse sorte e não apanhasse uma brasileira para testar a minha paciência. Optei pela segunda hipótese.

Repeti a operação de ligar, carraguei em 1 e 2, até que fiquei a aguardar.

- Boa noitchi... em que posso ajudar você?

 

Nota final:

Em abono da verdade a segunda operadora, não obstante ser também brasileira, foi muito mais assertiva e competente que a primeira.

Mordillo – o humor sem palavras

Um dos meus desenhadores preferidos morreu sábado passado aos 86 anos. Mas só hoje o soube, primeiro através do Delito de Opinião, confirmando mais tarde nalguns sítios de informação.

O desenhador que não usava palavras para a crítica tinha um humor fantástico.

A nona arte perdeu um dos seus génios maiores. Provavelmente irá agora devolver a “bota”.

 

Eu lisboeta me confesso!

Nem sei como dizer...

A verdade é que nasci em Lisboa há séculos e nunca, nunca fui a uma festa lisboeta dos Santos Populares. Pode parecer impossível, mas é a pura das verdades.

Quando era novo não vinha do lado de Almada, onde morava, para Lisboa já que na cidade de Frei Luís de Sousa também havia festividades. Não é o Santo Padroeiro da capital mas é o S. João.

Depois de casado também nunca encontrei o chamamento para me embrenhar em ruas e ruelas apinhadas de gente, na maioria alccolizados, onde uma sardinha custa os olhos da cara e onde me arriscaria a sair sem carteira.

Por tudo isto e provavelmente muitas outras coisas que não sei identificar é que se passou mais um Santo António e eu em casa.

Pode ser que para o ano...

 

Speedy!

O homem não pára.

Durante a manhã escutei-o em declarações à imprensa em Portalegre, onde este ano se realizam as comemorações do 10 de Junho.

Depois foi à bola ao Porto. Eu não o vi lá, mas também não vi a bola, apenas ouvi dizer que ia. Amanhã ou provavelmente ainda hoje regressará a Portalegre, para, após as condecorações, partir para Cabo Verde.

Até tenho pena do senhor professor. Podia ter uma vida tão descansada a ver uns exames, a dar pareceres jurídicos que custam uma pequena fortuna, a ministrar umas aulas simpáticas numa qualquer universidade estrangeira, mas prefere ser PR com uma agenda hiper atribulada.

A verdade é consegue estar em muitos sítios no mesmo dia...

Nem o Speedy Gonzalez!

 

Momento divertido!

São dez da manhã deste sábado. Após um pequeno almoço e compras para almoços de hoje e amanhã, acabo numa padaria obviamente para comprar pão.

De forma a evitar esperas em vão, perguntei à senhora por detrás do balcão:

- Bom dia. Tem pão alentejano?

- Tenho sim.

- Então espero.

Após ter atendido os clientes que estavam à minha frente, foi a minha vez:

- Diga faz favor.

- Um pão alentejado e quatro bolas.

. O pão é fatiado?

- Se fizer favor...

Pão cortado e colocado num saco, acompanhado das quatro bolas pedidas.

- Quanto é?

- Um euro e 97....

Entreguei à senhora dois euros. De súbito acrescento:

- Quer dois cêntimos?

A resposta veio estranha:

- Claro! Por mesmo que quisesse não tinha três para lhe dar.

Dei os dois cêntimos. A senhora terminou:

- Sou virgem de Signo e esse é para toda a vida!

Recebi cinco cêntimos de troco e saí da loja. Fora não evitei uma boa gargalhada e pensei:

"Há gente bem divertida!"

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D