Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Eu escrevi aqui ontem!

E hoje comprovou-se.

Levantei-me cedo para ir à feira comprar couves. Quando lá cheguei havia uma fila com mais de 20 pessoas à minha frente.

Chegou a minha vez e comprei três dúzias de "Penca de Chaves" e outras três de "Pão de Açúcar", uma dúzia de couve galega e outra de brócolos.

Ora a terra estava ainda por cavar. Portanto peguei numa "caneta" de dois aparos e bora lá revolver o chão. Porém de vez em quando caía uma gravanada de chuva e eu tinha de me recolher. Mas teimei, teimei, teimei...

Ao fim do dia e após muitas horas de trabalho eis o resultado.

20230917_181452.jpg 

A foto supra respeita à couves "Pão de Açúcar" e a de baixo às conhecidas e saborosas (assim espero) "Pencas de Chaves":

20230917_163526.jpg

25 de Abril dia de ... agricultura!

Há muitos anos que deixei de participar em marchas, comícios ou festividades para este dia. Será bom não esquecer que daqui a 50 anos já não deve estar ninguém vivo para contar o que foi este acontecimento em 1974.

Portanto sendo feriado, que como reformado será (quase) igual aos outros dias, com a mera diferença de não ter comigo a minha neta, dediquei-me a zelar pela minha horta.

Neste momento tenho favas a crescerem com força,

20230425_110633_resized.jpg 

como se pode comprovar na foto seguinte.

20230425_110645_resized.jpg 

Diria que mais uma semana e estarão prontas para o tacho!

Entretanto os tomateiros já foram transplantados dos vasos para a terra. Se alguns gostaram da mudança outros houve que não se sentiram bem e morreram. Seja como for estava na hora de lhes fornecer a armação para que daqui a uns tempos possam elevar-se e brindarem-me com belos frutos.

Mas a coisa parece fácil mas requer trabalho, muito trabalho. E paciência... Que é coisa que tenho em abundância. andei toda a manhã e parte da tarde de volta da estrutura, em tronco nu (asneira, pois apanhei um escaldão!). Com um ferreo grosso criava um buraco na terra para depois lá colocar as canas que secas tornam-se frágeis. Finalmente atravessei as canas na horizontal e... "voilá" temos as peças montadas.

20230425_110056_resized.jpg 

Esta é a horta antes e a próxima foto a mesma horta... depois!

20230425_140307_resized.jpg 

Ainda fiz uma estrutura semelhante para os feijoeiros. Estes têm a vantagem de subirem e agarrem-se sozinhos sem a minha ajuda.

Diverti-me imenso neste dia 25 de Abril!

Antes que chova!

Já tratei das couves para o Natal.

20220911_140624_resized.jpg 

A terra está muito seca, mas não podia adiar mais a plantação.

Duas dúzias de couves (penca de Chaves e Pão de Açúcar) ainda pequenas e que entrego à terra e à eventual chuva, para as fazer crescer.

Foram duas horas de enxada em punho sob um Sol forte e inclemente. Mas pronto... estas já estão plantadas! Outras virão com toda a certeza!

A gente lê-se por aí!

Desmanchar de feira!

Decididamente este ano não é propício para a agricultura.

A falta de água foi certamente a maior das razões, mas não só! Um clima atípico com enormes amplitudes térmicas em poucos dias, Por vezes chuva intensa quando deveria já haver mais sol e muitos dias (demasiados!) sem uma pinga de água.

Na terra como em quase tudo na vida o mais forte tem mais facilidade em sobreviver, Vai daqui na sementeira de batatas a erva apoderou-se da pouca água de caiu e logo aquelas sofreram para se criarem.

Posto isto nem mesmo com rega, este ano, os meus tomateiros foram férteis. Como se aproxima a época da plantação das couves decidi por arrancar a maioria dos tomateiros. Especialmente aqueles que deram menos tomates.

Desmanchar esta feira não é fácil porque há muitos atilhos que tento recuperar para os próximos anos

20220816_183910_resized.jpg 

20220816_183856_resized.jpg 

Restaram somente os de enxertia (é assim que são conhecidos!!!) 

20220816_183957_resized.jpg 

E uns outros deveras muito parecidos com os anteriores mas que tiveram origem nos Estados Unidos e dão pelo simpático nome de "Ponderosa Pink". Estes são muito saborosos e duram meses sem irem ao frigorífico.

20220816_192119_resized.jpg 

Agora vou esperar que a chuva regresse para poder depois cavar a terra para voltar a dispôr as couves brancas que enchem a Consoada.

 

Na minha horta...

Por aqui o vento abriu as portas e deixou-se correr. Há uma agitação tão frenética que temi pela minha pobre horta. O feijão já deu o que tinha a dar. As curgetes estão a produzir com frequência e as aboboreiras crescem no terreno com à-vontade, como tanto gostam!
Entretanto mesmo ao lado o tomatal verde faz pela vida e balança ao sabor do vento inclemente. Receei que a estrutura que vai suportando os tomateiros se desmoronasse qual castelo de cartas.

Por isso fui ajustar a estrutura e prender melhor algumas pernadas dos tomateiros, nomeadamente os mais carregados de tomates.

Gosto de passear por entre os tomateiros, perceber a próxima colheita e imaginar uma próxima e bela sopa de tomate.

Agora é aguardar que venha o calor para amadurecer os frutos ainda muito verdes.

 

Horta - Ponto de situação!

Mais ou menos por esta altura do ano costumo fazer aqui um ponto de situação da minha horta de Verão.

Porém este ano fiz as plantações de forma diferente. Em vez de comprar plantas já crescidas fiz o meu próprio alfobre com as sementes de tomates que colhi o ano passado e também de algum feijão. Somente as curgetes é que comprei já crescidas e replantei-as.

Mas ou fosse do alfobre ou da qualidade das sementes, certo é que os tomatteiros estão pujantes e muitos deles com uma profusão de frutos.

Estes tomateiros requerem agora muito trabalho no sentido de os prender à estrutrura evitando que com o peso dos tomates caiam na terra.

20220609_113317_resized.jpg 

20220609_113345_resized.jpg 

Por outro lado o feijão está a produzir uma média de um quilo de feijão-verde por dia. O que é muito mais do que é necessário cá em casa. As curgetes, por seu lado, já enchem o frigorífico. O que vale é que a família é grande e vai-se distribuindo!

20220609_113427_resized.jpg 

Para terminar a ameixeira já tem ameixas maduras. Muuuuuuuuuuuuuuuitas.

20220609_113357_resized.jpg

A primeira colheita

Colhi hoje o primeiro feijão verde. Pouco mais de 100 gramas, mas ainsa assim sinal que vamos ter verduras por uns tempos.

20220518_200507_resized.jpg 20220518_200845_resized.jpg 

A estrutura está montada há muito e os feijoeiros crescem com vontade,

20220518_195908_resized.jpg 

Entretanto os tomateiros já estão evoluídos, tendo alguns deles já flor. Mas obviamente longe ainda dos frutos.

20220518_195810_resized.jpg 

Quem se adiantou já foram as curgetes. Para a semana já teremos que comer.

20220518_195828_resized.jpg

Só mais um nota de rodapé. Este ano apenas comprei curgetes para dispor. Tudo o resto foi alfobre feito cá em casa, desde os feijoeiros aos diferentes tomateiros. Parece que dificilmente no futuro comprarei plantas crescidas para dispor...

Colheita de hoje

Hoje foi dia de colheita após ontem não ter estado em casa durante todo o santo dia. Mas não fui passear.

Portanto hoje foi mais um dia de colheita.

Colheita.jpg

O feijão verde cresce com vontade. Os feijoeiros parecem aqueles mágicos que se contam nas escolas, tal é a altura que estão a alcançar.

Eu que nem sou enorme apreciador de feijão verde reconheço que este aqui produzido tem outro sabor.

Os tomateiros entretanto começaram timidamente a dar os primeiros frutos, enquanto as curgetes, os pepinos e as acelgas já dão para o trabalho.

Finalmente e dando cumprimento a uma promessa, eis minuto e meio dos meus tomateiros.

Ínfima viagem pelos feijoeiros

Desde que os meus feijoeiros começaram a dar feijão verde nunca mais pararam. Tenho-o assim distribuído pelos filhos, sobrinhos e obviamente comido algum.

Por isso hoje apeteceu-me viajar por entre eles e daí ter feito o filme infra.

O curioso é que este ano fiz duas alterações na plantação. A primeira é que comprei feijoeiros já crescidos (teriam por volta de um palmo de altura) e a segunda foi a construção de uma estrutura à base de canas para que as pontas pudessem subir sem problema e facilitasse a apanha.

Portanto ei-los na sua pujança e carregados de feijão! Verde, claro!

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Os meus livros

Des(a)fiando Contos
Quatro desafios de escrita

Os Contos de Natal

2021
2022

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D