Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Geringonça sem… gasolina?

Sempre considerei que a actual solução governativa, a que Vasco Pulido Valente denominou de “Geringonça”, adveio de uma “xico-espertice” política muito à portuguesa. Mas pronto temos o temos e nada há a fazer…

Entretanto há quem se ofenda olimpicamente quando alguém afirma que o país vive muito acima das suas possibilidades. Esta é uma verdade que muitos recusam a ver.

Portugal é, todos sabemos, um país pobre:

  • Pobre em espírito pois a invejazinha soez vive e alastra num ambiente propício.
  • Pobre em iniciativas, pois há sempre uma mão invisível (será a burocracia?) que deita tudo a perder;
  • Pobre nos políticos que do alto das suas tribunas continuam intocáveis e irresponsabilizados;
  • Pobre na assertividade pois o foco dos portugueses varia de dia para dia ao sabor do momento;
  • Pobre em recursos mas continuamos a esbanjar os poucos que temos.

Desde muito cedo se percebu que este governo tinha como função primordial desfazer o que outros governos haviam feito. A tróica que Sócrates trouxe para Portugal (e que muitos socialistas olvidam!) forçou o país a viver com menos recursos. Por isso durante a legislatura do governo de PPC a austeridade apertou de forma radical. Mas era obviamente necessário!

Sei que nenhum governo gosta de subtrair dinheiro aos seus contribuintes pois poderá corresponder outrossim à subtracção de votos. Todavia há evidências às quais não se pode fugir.

Aquela ideia de repor rendimentos após anos de austeridade na qual António Costa assentou a sua governação não está a dar os proveitos que o PM e seus apaniguados julgariam ter.

A justa questão do tempo de contagem dos professores, as greves dos enfermeiros e a actual greve dos camionistas de materiais perigosos têm colocado o governo numa situação pouco favorável e muito refém de sindicatos e outras organizações laborais ou de classes. Mais uma vez e perante os problemas a geringonça tenta adiar ou empurrar com a barriga uma eventual solução no sentido de ela cair somente na próxima legislatura.

Portugal vive actualmente à mercê de grupos estratégicos a quem o Governo tenta agradar no sentido da manutenção da tal paz social que nos primeiros anos da legislatura foi a bóia de salvação de Costa.

Só que o povo não tem memória curta, bem pelo contrário e na hora de votar lembrar-se-á dos atrasos das cirurgias, dos incêndios mortíferos, das famílias dos políticos, das viagens pagas, da greve dos estivadores, do tempo não contado dos professores...

O último bastião de PPC?

O Governador do Banco de Portugal é agora o alvo de todas as setas vindas essencialmente dos partidos da geringonça.

Acima de tudo, creio eu, porque Carlos Costa parece ser o último bastião que ainda resiste a esta nova forma de democrarcia e fazer política. É sabido que o Governador vem do tempo de Passos Coelho e que isso, de certa forma, o condiciona.

Também são conhecidas as animosidades do líder do BdP com o actual Ministro das Finanças. Se juntarmos o caso CGD temos um cocktail perfeito para que C.C. seja substituído rapidamente. Ainda por cima com a Dra. Elisa Ferreira a fazer parte do Conselho que dirige o Banco de Portugal, facilmente se percebe que o Governador pode estar por dias ou semanas.

Mais... é outrossim conhecido que tacitamente o PS e o PSD dividem entre si os principais pelouros dos dois bancos públicos. Ora se na CGD está agora Paulo Macedo, ex-Ministro de Passos Coelho, haveria assim que arranjar maneira de correr com o actual Governador, subindo ao seu lugar a ex-Ministra de Guterres.

Tudo o que escrevi acima não passarão de idiotas teorias da conspiração, mas neste país já me habituei que tudo parece ser possível. Até o impossível!

Custa-me falar sempre do mesmo.

Aí está nova greve dos enfermeiros. Mais intervenções cirúrgicas programadas adiadas até… à morte dos doentes. E não dói a esta gente a consciência. Nada de nada!

Depois temos a luta dos professores. Coisa já antiga mas que só vem ao de cima quando há interesses políticos na coisa. E os professores continuam a acreditar que irão ganhar esta luta. Ingénuos!

Entretanto o PCP continua a passar a mão pelas costas da geringonça enquanto atiça a sua guarda revolucionária (leia-se CGTP!) contra o mesmo governo. Algo parvo!

No Brasil a tragédia do rebentamento de uma barragem já originou a prisão de engenheiros e outro pessoal. Em Portugal ainda não vi ninguém preso pela derrocada de Borba. E do outro lado do Atlântico é que a corrupção existe em grande escala.

Entretanto num canal de TV uma “soarista” pôs “a boca no trombone” e espalhou por quem a pretendeu escutar a lista dos maiores devedores à CGD. Uma verdade que muitos querem passar por mentira.

Entretanto António Costa vai lançado umas piadas sem graça na AR enquanto aguarda ou não o Brexit. O nosso país que já esteve em coma conseguiu sair deste, mas ainda se encontra muito debilitado. Basta que a bolsa de Nova Iorque dê um breve bocejo para a Europa cair de sono. E depois lá trambolhará novamente Portugal pelas escadas da desgraça rumo à total ruína.

Mas o pior nisto tudo é que na oposição não há ninguém repito ninguém com capacidade para reverter este estado de coisas. A economia vive do actual fogacho turístico e das exportações. Todavia com o que se aproxima (Brexit indeed!) o nosso país voltará a 2011.

E nessa altura nem S. Marcelo nos valerá!

Outros quinhentos!

Gosto pouco que brinquem com o meu dinheiro.  Ainda por cima quando ele me é retirado contra a minha vontade. 

Falo disto por causa dos 500 milhões que Portugal vai emprestar a Angola. Não imagino qual a taxa de juro aplicada mas tendo em conta que algumas delas estão negativas...

Mas sinceramente... não havia mais país nenhum ou organização com capacidade de emprestar tal dinheiro a Angola? Então andámos nós a pagar juros altíssimos, a aceitar uma austeridade como nunca fora vista, para de um momento para o outro... vir um PM e entregar de mão beijada 500 milhões de euros ao Estado Angolano?

Andou um país a quotizar-se para pagar as obras de Pedrógão para agora António Costa pespegar com 500 milhões em África?

Desculpem, mas das duas uma: ou sou eu que vejo teorias estranhas ou alguém anda a comprar amizades.

Como diria um outro: isso são outros 500!

Paz social, uma guerra aberta!

O que previ neste texto, que publiquei no iníco do mês, começa agora a confirmar-se.

Segundo as últimas sondagens o PS parece ter vindo a perder força. As razões para tal poderão estar associadas ao caso Sócrates, mas outrossim à instabilidade social que começa a crescer.

Foi a greve dos enfermeiros seguida pelos médicos. Agora há uma dura batalha com os professores com mais greves anunciadas. Ainda por cima numa altura crucial...

Resumindo... saúde e educação, dois pilares essenciais na sociedade portuguesa e claramente influenciadores nas decisões eleitorais, no centro deste furacão de instabilidade social.

Para isto o PCP usou dos seus "soldados" mais fiéis para a nova frente de batalha. É o caso de Mário Nogueira, tendo a seu lado o líder da CGTP Arménio Carlos. Ambos dão a cara à instabilidade social que no início desta legislatura foi reduzida a mera insignificância.

O partido da Soeiro Pereira Gomes teme que o PS ganhe as próximas eleições com maioria absoluta, perdendo, se assim acontecesse, a força e influência que tem tido. António Costa que nunca pretendeu fazer coligações com o Passos Coelho poderá, em face dos resultados eleitorais, ficar mais disponível para outros acordos de regime ou mesmo coligações.

É sabido de alguma antiga convergência entre os antigos presidentes das mais importantes edilidades portuguesas. Não sei se será suficiente para formar um futuro governo. Tudo dependerá das exigências europeias.

Maior flexibilidade laborar e menos intervenção estatal em alguns sectores estratégicos, poderão obrigar AC a virar o foco de apoio para outros partidos (leia-se PPD/PSD).

A paz social é hoje uma utopia... até que a gerinçonça queira!

Convergência Ibérica?

Quando em 2015 a coligação PAF ganhou as eleições, sem maioria absoluta, e foi criada uma plataforma de entendimento entre diversos partidos de centro esquerda (vulgo geringonça) abriu-se uma espécie de caixa de pandora que agora Espanha tenta imitar envolvendo o PSOE como partido maioritário e mais uns acordos com diferentes organizações.

Tudo em nome de um poder que se diz democrático.

Este novo tabuleiro político só é possível porque a esquerda considera que tudo o que faz é bem feito desde que chegue ao poder.

Os Louçãs desta vida não percebem que ao jogarem o jogo político com estas novas regras estão, pura a simplesmente, a subverter o desejo popular expresso através do voto?

O próximo ano vai trazer mais eleições. Perfilam-se por isso novas demandas contra este governo de forma a fragilizá-lo e retirar a força que ainda tem. O PCP e o BE farão de tudo para que isso aconteça. A tal paz social que reinou desde que a geringonça assaltou o poder vai deixar de existir.

Exemplo disto foi a greve de hoje nos comboios que prejudicou milhares de passageiros. Virão de seguida as greves de professores e provavelmente daqui a uns tempos a FP por causa de um decreto qualquer.

Aproximam-se novos e estranhos tempos. O PSD tarda em encontrar um rumo num Rio repleto de incertezas. Cristas contradiz-se entre aquilo que propaga e o que fez enquanto governante. O AC, bem à moda de Trump americano desfaz o que PPC fez, não medindo as consequências nos seus futuros acordos. Enquanto a esquerda vai lançando algumas armadilhas já sobejamente conhecidas.

Se a inveja soez é o nosso pior defeito, a brandura da aceitação será, quiçá, a nossa maior virtude.

Sporting - o amigo improvável!

Não venho falar do Sporting nem desta crise que está instalada no meu clube de coração. Trago aqui uma ideia que desde a semana passada tem vindo a ganhar forma.

O estado de graça do Governo, sem bem que não tenha ainda desaparecido está em níveis claramente baixos. Basta reparar nas diversas questões em aberto:

- Greve dos médicos e enfermeiros. Ou da falta destes técnicos de saúde nos diversos hospitais.

- A contagem do tempo na carreira dos professores, com as respectivas manifestações!

- As mudanças na Protecção Civil agora que se aproxima a época crítica dos incêndios!

- As dúvidas com a aprovação da lei da eutanásia!

Isto só para referir uns pontos mais quentes...

Entretanto a semana passada uns tipos encapuçados invadiram as instalações do Sporting em Alcochete originando graves distúrbios e alguns ferimentos em jogadores e outros elementos da equipa técnica.

Resultado: desde esse dia, é em torno do Desporto e da violência nesta actividade, que se regem as notícias. Para além da enorme crise directiva no Sporting.

Bem vistas as coisas o meu clube e Bruno de Carvalho tornaram-se os amigos improváveis da geringonça de António Costa.

Os incomodados do PS!

Finalmente o PS puxou o tapete a José Sócrates. Primeiro foi Carlos César e hoje foi João Galamba, ambos deputados do Partido lider da geringonça, que publicamente declararam sentirem-se incomodados com o caso do ex-PM e em adenda o seu ex-Ministro da Economia.

José Sócrates, desde que foi preso, depressa percebeu o desconforto que causou no seu Partido. E nem as visitas que recebeu na prisão de alguns elementos ligados ao Partido (p.e. Dr. Mário Soares) conseguiu amenizar aquele mau estar.

Vêm aí agora Comissões de Inquérito e com elas muitas coisas mais virão a lume. Ou talvez não...

Certo é que António Costa deve andar desejoso que esta situação se resolva quanto antes, evitando com isso que ela rebente numa altura de eleições legislativas. Nada pior para os intuitos do PM que um escândalo em casa e à porta de um sufrágio. Lá se iria a maioria absoluta, que tanto persegue.

Obviamente que os partidos da oposição vão tentar arrastar este tema até para o ano que vem. Os dividendos eleitorais que poderão ganhar disto ainda estão muito longe de serem calculados, mas deixarão o PS em muitos maus lençóis.

Se no Partido do Largo do Rato ainda resistiam certas dúvidas quanto à involvência de JS em casos de corrupção, estas últimas investigações, envolvendo um Ministro de magistério de JS, deixaram tudo muito mais claro.

Agora é perceber até que ponto o PS conseguirá passar pelos "intervalos desta chuva" sem ficar realmente encharcado.

A solução para a Catalunha pode passar por Portugal

As recentes eleições na Catalunha parecem não ter resolvido um imbróglio em que se meteram os independentistas catalães.

Se bem que tenham sido os Ciudadanos-Partido de la Ciudadanía, liderados pela “muy guapa” Inês Arrimadas a ganhar as eleições catalãs, a falta de uma maioria absoluta por parte do partido “naranja” vai obrigar alguns dos partidos a entenderem-se… ou talvez não.

Os partidos independentistas têm em número de deputados regionais a maioria, todavia as diferenças entre ambos são tão evidentes de dificilmente haverá acordo entre eles para formarem um governo.

Será nestas circunstâncias que Portugal poderá dar uma ajuda na resolução deste imbróglio. Para tal basta ligarem ao nosso Primeiro-Ministro António Costa que ele sabe como criar uma geringonça.

Desta vez catalã!

Longe da cidade

Desde sexta feira que estou na aldeia rodeada da cor castanha devidos aos incêndios deste Verão. Portanto longe da cidade, das correrias e dos acontecimentos importantes em Portugal.

Mas parece que nada mudou. A geringonça continua a sua campanha, o Rui Rio continua a falar do Agir e Santana Lopes quer ter a "Sorte Grande" sem jogar o bilhete inteiro, joga só com décimos.

E soube isto no bocadinho no café, precisamente antes do jogo de Sporting, desta noite.

Plagiando o outro afirmo: de Lisboa, nada de novo.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D