Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

O drama das escadas

São 16 e 59 quando saio do meu trabalho já devidamente equipado para o jogo. O Metro vai quase repleto de adeptos. Vinte minutos depois estou a entrar no estádio após ter passado os seguranças e os torniquetes.

E é aqui que tudo se inicía. São diversos lances de escadas, inúmeros degraus, diversos andares sempre a subir.

Faço-o com calma e serenidade, pois ainda é cedo. Já escuto o "speaker" mas não percebo o que diz.

Continuo a subir. O drama adensa-se.

Passo a passo, degrau a degrau vou-me aproximando do cimo.

Sinceramente não há drama como este.

Chego ao último patamar onde encontro outro segurança.

Não há mais escadas para subir a não ser as dentro do estádio que dão acesso ao lugar.

Respiro fundo.

O drama resume-se finalmente: como descerei as escadas depois do jogo?

Alegre e feliz?

Triste e cabisbaixo?

Entre ambos?

Estas dúvidas assistem-me em todos os jogos.

Esta noite não foi diferente!

 

Também aqui

A tradição já não é o que era!

O meu filho mais velho tem um conjunto volumoso de camisolas do Sporting. A cada partida usa uma diferente. No jogo contra o Marítimo não foi excepção! Nas costas o seu nome, assim como um número que é o dia do seu aniversário.

Já a caminho do estádio diz ele a determinada altura:

- Esta camisola está amaldiçoada…

- Porquê?

- Sempre que vim com ela o Sporting nunca ganho!

Ora… tendo em conta que tínhamos acabado de ver a equipa de andebol ser derrotada por uns dinamarqueses de um clube de nome impronunciável, temi que a nefasta tradição se mantivesse.

Pois… mas ou tradição já não é o que era ou a equipa do Sporting não liga a tradições, a verdade é que o jovem saiu de Alvalade com a primeira vitória naquela camisola.

Certamente para mais tarde recordar!

 

Também aqui

Jornada leonina!

Quem por aqui aparece sabe como sofro pelo Sporting. Não há nada a fazer... é uma doença que adoro ter. Ponto!

Todavia hoje saí de casa para ir ver a Liga dos Campeões em Andebol nosso nosso palhivão. Após duas vitórias seguidas, sendo que a última foi conseguida fora e já com o tempo normal decorrido num remate espectacular de Ruesga, tudo fazia querer que teríamos um jogo difícil mas sempre com a esperança de ganhar.

Não aconteceu e não fosse a equipa adversária reduzir o ritmo e a vitória contrária seria ainda maior. Ainda assim valeu pelo ambiente, pelo jogo e pela boa companhia do meu filho mais velho.

Depois do jogo uma bucha rápida e o Estádio à nossa espera para ver o Marítimo. Antes desta partida temi o resultadio. Mas o Sporting suplantou-se e mostrou que em Alvalade ruge mais alto o leão verde.

E tudo começou neste golo.

 

Uma jornada bem leonina quem me soube fantasticamente bem!

Uma Gala com FIF(I)A

Escrevo este postal horas antes da Gala da FIFA que irá, certamente, coroar Modric. Independentemente de CR7 ter marcado um golo do outro Mundo à Juventus, quando ainda era jogador do Real, de ter sido fundamental para os merengues ganharem a Liga dos Campeões, ainda assim nada disto foi suficiente para ganhar o galardão.

A única razão que vejo porque isso não irá acontecer prende-se com a ida de CR7 para Itália. Estivesse Ronaldo no Real e teria a certeza absoluta que a vitória cairia sobre o jogador português. Assim…

O Real Madrid é um clube com visibilidade mundial. E não ter nas suas hostes um melhor jogador do Mundo é baixar o nível da sua equipa e essencialmente dos seus interesses financeiros.

Todavia, e para além de tudo o que possa acontecer em Londres, Ronaldo continuará a ser muito melhor que Modric (que é um espectacular jogador!!!) e obviamente muitíssimo melhor que Sallah. Disso não tenham qualquer dúvidas. A FIFA também não tem...

Como já referi noutro texto o desvio das atenções para Itália com a transferência de CR7 não caiu bem nem à Liga Espanhola nem à UEFA.

Ainda por cima com CR7 a marcar golos.

Veremos então se a noite é croata… ou não!

As festas de CR7

Todos sabemos que na indústria do futebol e nas actuais organizações desportivas ligadas ao Desporto-Rei correm demasiados interesses. A maioria destes mais ligados aos financeiros que aos desportivos. Infelizmente!

Abro estas hostilidades por causa da expulsão de CR7 no jogo de ontem contra o Valência. Fosse Cristiano ainda jogador do Real e quase de certeza que o árbitro mandaria o jogo seguir sem qualquer admoestação.

São assim estes casos e muitos outros que vamos assistindo nos relvados que farão com que o futebol perca adeptos e consequentemente grandes receitas.

Percebo que a saída de Ronaldo de Espanha e a sua correspondente entrada no Calcio fez com que muitas atenções, antigamente viradas para a Península Ibérica, se tenham desviado para Itália, com os consequentes custos e receitas.

No entanto a forma, nitidamente deliberada, como CR7 foi ontem expulso, irá criar muitos debates e originar muita polémica. A UEFA colocou-se muito a jeito para a contestação pelos piores motivos. O critério de ontem, que expulsou o craque madeirense, foi demasiado apertado. Vamos, por isso mesmo, estar muito atentos ao que se passará no futuro próximo.

Por fim... é conhecido o gosto de Cristiano por festas. Mas jamais calculou que estas fossem razão para expulsão e lágrimas.

Pois...

É frequente dizer-se que ninguém é insubstituível ou mesmo que os cemitérios estão repletos de insubstituíveis.

Também é normal afirmar que só faz falta quem está. Então no futebol é normalíssimo.

Tantas certezas assumidas.

Pois...

Mas digam isso agora aos adeptos do Real Madrid sem CR7 e acabadinho de perder a Final da Supertaça Europeia contra o rival Atlético também de Madrid...

Cheira-me que há mesmo insubstituíveis!

 

Ainda o fenómeno CR7!

A transferência de Ronaldo de Madrid para Turim originou em mim um par de ideias interessantes.

A primeira é que “La Liga” perdeu uma das suas maiores estrelas. Um jogador sobre quem todos os olhares caíam, um devorador de recordes, um animal desportivo que vendia, vendia, vendia…

A segunda é que o “Scudetto” irá forçosamente subir de nível. As restantes equipas terão de se esforçar ainda mais para levarem de vencida a Juventus, ser mais competentes, mais focadas. Ora tudo isto associado dá uma mistura certamente muito complicada. No entanto acredito que o respeito que CR7 já angariou pelo Mundo, Itália incluída, irá fazer dele mais vedeta do que já é.

Impossível dirão alguns. No entanto se Cristiano, conjuntamente com os seus colegas, conseguirem levar o caneco da Liga dos Campeões para Turim, o madeirense será obviamente elevado à condição de Deus com direito a lugar cativo no Olimpo mitológico transalpino.

Em Espanha chorar-se-á a sua ausência durante muito tempo, tanto mais que a verdadeira disputa não era Real versus Barça mas Cristiano versus Messi! As páginas douradas que CR ajudou a escrever na já longa história do Real jamais se apagarão e só o futuro dirá quão importante era Ronaldo em Madrid.

Porque, quer queiram quer não, mui dificilmente haverá outro atleta às ordens da equipa merengue, como foi o nosso português. Um exemplo dd atleta, companheiro, colega amigo e acima de tudo desportista.

Termino com a estranha sensação de que uma espécie de estação de rádio (BBC – Benzema, Bale e Cristiano) despareceu. Para sempre!

CR7 – Um toque em habilidade

Conheço bem dois fervorosos adeptos da Juventus de Turim. Tanto mais que o ano passado quando o nosso Sporting jogou contra a campeã italiana, para a Liga dos Campeões, o coração deles batia ao mesmo tempo pelo sucesso das duas equipas. Um dilema…

Portanto imagino que nesta altura estejam realmente felizes com a entrada de Ronaldo na equipa transalpina.

Esta saída de CR7 do Real Madrid após 9 anos de óptimos serviços cheirou-me a injustiça merengue. É sabido o gosto do Presidente do Real por Neymar. Que parece ser recíproco. Daí a necessidade de vender alguém para tentar adquirir o passe do avançado brasileiro ao PSG.

Porém…

Mesmo que Neymar acerte com o Real Madrid um contrato, a verdade é que o brasileiro jamais terá uma história semelhante a Ronaldo na equipa merengue.

O madeirense bateu todos os records possíveis e imaginários. Ultrapassou figuras míticas do clube como Di Stefano, Raul, Butragueño, ou Puskas, deixando uma marca indelével no Real que muito dificilmente será batido por qualquer outro jogador.

Há quem considere que CR7 começou finalmente a descer a escada da fama. Eu apostaria que ainda se irá falar muito de Ronaldo. Não só pela influência que terá, forçosamente, no jogo da Juventus como na melhoria de qualidade de futebol em Itália.

Há muito que o país das pizas não tem um jogador que faça a diferença. Talvez por isso ficou arredado da fase Final do Mundial da Rússia. Arriscaria a dizer que actualmente a figura maior do futebol transalpino é – pasme-se - um guarda-redes de nome Gianluigi Buffon e que “” tem 40 anos de idade.

Mas regressando a Espanha, parece que CR7 vai desfazer-se de tudo não ficando com coisa nenhuma no país nosso vizinho.

Retaliação, vingança, tristeza? Creio que CR vai muito para além destes sentimentos mesquinhos. Esteve em Espanha enquanto pode e o quiseram. Optou por Itália e deste modo há que mudar também os seus parcos “tarecos”. Faz parte.

Finalmente sempre julguei que CR7 jamais sairia do Real. Mas no futebol como na vida um dia somos bestiais para no dia seguinte sermos umas bestas.

Sinceramente desejo-lhe muita sorte! E muitos sucessos! De preferência à custa da sua antiga equipa.

Final do Mundial

Este texto está a ser escrito quase dois dias antes da final de Moscovo, onde França e Croácia se baterão pelo ceptro de melhor selecção do Mundo.

Portugal veio mais cedo para casa acompanhando Argentina, Brasil, Alemanha.

Gostaria no entanto que fosse uma boa final, sem casos e problemas.

E que ganhe a melhor selecção e esta que seja a Croácia.

É que desde o caso do Abel Xavier e de um tal Marc Batta adoro que a França fique pelo quase...

Quase campeão europeu, quase campeão do Mundo!

Um Real golo... na própria baliza!

A todo o instante aguarda-se a notícia da saída de Cristiano Ronaldo do Real Madrid.

Algo que há um ano seria impensável. quanto mais desejável pela equipa merengue. Na realidade CR7, nos nove anos que esteve na capital espanhola, pulverizou todos os recordes possíveis e imaginários.

Quando realmente sair Cristiano Ronaldo ficará na história do Real como o melhor futebolista que passou pelo actual campeão europeu. Muito à frente do mítico Di Stefano!

No entanto tudo o que conquistou ou ajudou a conquistar não foi, ainda assim, suficiente para os dirigentes merengues. Era necessário mais, muito mais... de um atleta que dá tudo num jogo.

Entretanto até há poucas horas era certo a chegada a Turim do Cristiano. Todavia parece que neste momento poderá haver outros interessados. Nomeadamente o Manchester United de Mourinho ou o próprio Bayern de Munique.

Seja como for é quase certo a mudança de ares do madeirense.

Ora bem... esta situação vai muito para além do que nos é deixado ver. E aqui entra somente a minha modesta opinião que nada vale. Então vejamos as coisas da seguinte forma:

Em Madrid a imagem de Cristiano estará esgotada. Dito por outras palavras quase todos os afiucionados de Ronaldo deverão ter uma camisola com o seu nome. O "merchadising" do Real referente a CR7 estará totalmente esmiuçado.

Ora se juntarmos a isto o desejo de Neymar em jogar em Madrid, percebe-se porque quererá Florentino Perez libertar-se de um peso pesado em vencimentos e com mais de trinta anos, quando pode ter um brasileiro que não sendo mais barato revitalizaria as lojas merengues.

Pois é... tudo roda à volta do dinheiro, do vil metal, do lucro...

Portanto já não há gratidão, amizade ou mera simpatia por um atleta. O que conta no futebol é o valor da facturação mensal.

Termino com a ideia de que há lucros financeiros que se tornam em verdadeiros prejuízos de prestígio.

No Real Madrid ainda não perceberam isso... Mas quando o descobrirem já será tarde demais.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D