Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

A complicação... das férias!

As férias são sempre aquele momento fantástico e para as quais muitas vezes adiamos a resolução de coisas pendentes. Um pouco no seguimento das resoluções de ano Novo. Mas tais como estas que normalmente nunca cumprimos, também nas férias as nossas previsões fogem da realidade.

Deste modo não conseguimos cumprir nada a que nos propusemos ficando tudo novamente adiado para... as próximas férias.

Este ano tinha pensado passar para computador uma série de pápeis escritos há muuuuuuuuuuuitos anos, testar uns gravadores de bobines antigos a ver se ainda funcionavam, arrumar por datas as minhas moedas comemorativas... enfim um conjunto de afazeres próprios para quem está a descansar.

Só que as minhas férias foram complicadas e entre o planeamento destas responsabilidades e a praia, sol, almoços e neta... optei pela segunda postura. Resultado ficou tudo por fazer e agora... só para o ano!

Definitivamente isto de ir férias é muito complicado!

Férias? Já eram...

Tirem daí o sentido aqueles que julgam que por eu estar reformado não trabalho. Longe disso! Pior... para além de fazer muita coisa tenho também horários a cumprir.

Portanto quando a meados do mês de Agosto fui para a Margem Sul para banhos e sol considerei que ia de férias. É verdade que apanhei três semanas seguidas de sol, calor e muita praia, mas as duas últimas semanas tive a cachopita pequenina como companhia e pronto... eis-me novamente cheio de afazeres e horários a cumprir.

Porque a criança ainda é pequena, come cedo e dorme a sua sesta.

Finalmente hoje foi dia de regressar. Sem a neta que ficou com os pais que entraram agora de férias, mas vou ter umas semanas bem complicadas com limpezas grandes, diversos exames médicos, um implante para colocar e finalmente uma viagem programada até Águeda, onde nunca estive, ou se estive nem me recordo!

Acabaram-se as férias mas não se acabou a vontade de descansar!

Corrido da praia!

Todos os dias pelo trânsito em direcção às praias calculo, sem grande erro, como estarão de pessoas.

Ora hoje é Domingo e não estando aquela temperatura de há uns dias, ainda assim o dia prometia calor.

A verdade é que às nove e meia da manhã o trânsito era diminuto no sentido da prsia.

Já no areal e depois do meu costumado estaminé estar montado, desta vez até com um tapa-vento, é que constatei e senti na pele as milhares de razões da praia estar vazia: o vento que se fazia sentir era tanto que rapidamente percebino porquê de tão pouca gente na praia.

Uma hora depois era literalmente corrido da praia, tal era o vendaval.

Há dias assim...

À Hitchcock!

Um dos grande filmes do mestre de suspence, Alfred Hitchcock, chama-se "Os pássaros".

Evoco esta longa metragem porque ontem e hoje mesmo, encostado à beira-mar havia centenas de gaivotas que ora esvoaçavam ora mergulhavam no mar ou apenas boiavam ao sabor das ondas.

Cedo descobri a razão. Uma corrente de água quente aproximou-se de terra trazendo consigo cardumes de cavalas, para enorme deleite das gaivotas. Aquilo parecia um manjar!

Entretanto a temperatura do mar subiu exponencialmente, de maneira que pensei que estava na bela, se bem que pequena, praia Formosa em Santa Maria, onde o mar é brando e tépido.

Entretanto o pequeno filme infra mostra como estava a beira-mar!

Noites tropicais!

Os últimos dias têm sido de autêntico calor tropical (digo isto sem saber o que são os trópicos já que nunca saí do Continente Europeu). As manhãs crescem em calor, para as tardes se tornarem em autênticos fornos crematórios. Estou a escrever isto e a pensar que na Beira Baixa, na aldeia, as temperaturas rondam os 42 graus. Nem imagino como estará em Alcoutim ou Mértola.

Entretanto aAs noites poderiam então ser mais frescas e mais convidativas. Nem pensar! Parece que o calor se quer alastrar do dia para a noite. Tivesse eu outras condições de saúde e provavelmente andaria por aí a despejar imperiais. É só o que apetece.

Quando a noite profunda me invade tenho sempre pouca vontade de ir deitar. Primeiro porque nem gosto de dormir, mas isso já muita gente por aqui sabe disso. Depois estas noites verdadeiramente tropicais não se adaptam a este corpito (ou será o inverso?) que prefere muito mais o frio que o calor. Se bem que férias sem um calorzito também não teria piada nenhuma.

Enfim é o que temos, mas sinceramente já sinto aquela saudade… da chuva!

Manhã de praia!

Cheguei à praia as nove e meia da manhã!

Este ano tenho notado uma anormal afluência à Praia da Rainha. Calculo que se prenda com as dificuldades que as pessoas têm tido em cumprir com os seus compromissos financeiros, o que leva a terem de abdicar daquelas férias no Algarve e escolherem umas das praias da Caparica.

Certo é que se juntarmos o calor quase tórrido dos últimos dias dá uma mistura explosiva e que termina na praia hipercheia ainda muuuuuuuuuuuuito antes do meio-dia.

Chapéu, saco das toalhas, cadeira e mais uma parafrenália de brinquedos para a miúda é a minha sina... todos os dias! Depois descarrego tudo na areia, mais ou menos longe das pessoas e monto este estaminé. Por fim é aquela parte dos protectores solares na pele não vá o Sol pregar das suas... como se ele estiveesse preocupado com isso!

A minha neta quer logo ir à água e portanto lá vamos nós a reboque da cachopa. Quando finalmente regresso à toalha e ao meu chapéu... ups... onde está ele. Finalmente lá o encontro rodeado de outros tantos irmãos.

Quase num ápice a praia encheu. E o pior é que os veraneantes adoram ficar quase uns em cima dos outros (não aprenderam nada como COVID!), deixando pouco espaço para estender umas reles toalhas.

Associado a esta quase invasão temos gente de todas idades, sexos, tamanhos e gorduras. Muitos com uma linguagem pouco feliz, com conversas da treta, música aos berros e para piorar... naqueles três metros de areal que sobra... "bora jogar à bola"!

A fauna humana que encontro actualmente nesta praia é assaz diferente dos anos anteriores... Tão diferente que quase me sinto tentado a escolher outro local.

Temo, no entanto, que o panorama seja semelhante nas praias vizinhas.
Pelas onze e meia costumo regressar a casa. Mas o movimento de entrada continua a superar o espaço do areal...  Um destes dias rebenta!

O que vale é que a maré, nesta semana, está a descer!

Arrefecimento global!

Pois é... enquanto vamos lendo que o planeta tem sido sujeito a um aquecimento global, essencialmente devido à libertação de gazes poluidores, por aqui vou assumindo que esse aquecimento ainda não terá chegado.

Especialmente na água do mar!

Estou mais ou menos de férias e tenho ido todos os dias à praia. A verdade é que a água do mar continua límpida, quase cristalina, mas estupidamente gelada. Tão fria que nem consigo tomar um banho a sério na água do mar.

É que o choque de temperatura é tão grande que tenho algum e fundado receio que o meu coração entre em parafuso e se desligue. Se para muitos seria uma alegria, ainda não estou nesse patamar e tendo em conta o que ainda tenho em conta fazer... não me apetece ir embora já!

Depois de ter conhecido diversas praias portuguesas continuo a preferir esta da Costa, que se inicia na Trafaria e termina bem perto do Cabo Espichel.

Obviamente que esta preferência não será pelo seu arrefecimento global!

A xico-espertice pode sair cara!

Não imagino o que será irmos, em tempo de férias até à praia e depois ficarmos apeados... por mau estacionamento!

Escrevi que não imagino porque tenho por hábito arrumar sempre bem o carro e nos sítios devidos. É a pagar, mas não me importo. Antes pagar diariamente dois euros que apanhar o susto de ficar com o carro bloqueado ou rebocado.

Trago este assunto porque no passado Domingo reparei numa série de veículos estacionados à beira da estrada ultrapassando a linha amarela de proibição, já para não falar do sinal vertical indicativo da inibição de parar e estacionar. De volta de alguns deles estava já a autoridade a ajudar o reboque a levá-los dali para fora. Estão a imaginar a cara dos veraneantes quando não encontraram o seu carro, não estão?

Esta situação das multas e reboques nesta zona balnear é recente! Mas durante aaaaaaaaaaaaaaaaaaaanos aquilo era um "ver-se-te-avias" de carros estacionados causando inúmeras vezes graves transtornos na normal circulação do trânsito!

Já nessa altura estavam lá os sinais e linhas contínuas que o tempo foi desgastando. Mas tenho a certeza que em consciência quem ali parava sabia que estava a fazer algo incorrecto.

Só que este ano tudo mudou. Os avisos são muitos, as linhas contínuas deixaram de ser brancas e passaram a amarelas, mas o condutor xico-esperto considera que nada daquilo é para si! Porque normalmente a xico-espertice vive e convive bem à margem da lei.

Vi diversos carros a serem rebocados no Domingo, mas hoje estranhamente (ou talvez não) já lá estavam outros! Como saí cedo da praia não sei o que lhes terá acontecido, mas estas poderão ser umas férias inesquecíveis para muitos destes condutores armados em xicos-espertos!

Pelos piores motivos!

Férias 2023!

Se tudo correr como esperado no próximo fim de semana irei de férias! Se bem que não vá para nenhum lugar em especial, pelo menos durante uns dias farei praia, tentarei pôr alguma leitura em ordem (estou com dois livros de atraso!) e vou esquecer umas dietas absurdas e exegerar um bocadinho! Não muito pois a saúde não permite todos os excessos!

Nesta altura da minha vida que não deveria ter horários a cumprir e coisas para fazer já que estou aposentado, a verdade é que continuo com os dias bem preenchidos. Seja por causa da neta, seja devido a outros afazeres, certo é que momentos de descanso é coisa que por aqui continua a ser... raridade!

Também é verdade que estive cinco dias fora na ilha das Flores e isso foi um carregar de baterias fantástico.

Entretanto a minha praia continua a ser a Praia da Rainha. Será lá que irei dormir na areia, ler o que me apetece e tentar engendra novas estórias para um novo livro.

Portanto aquela célebre ideia de não fazer nada é como alguns cheques bancários: não têm cobertura no Banco da minha vida!

A gente lê-se por aí!

Mui ínfima crónica de uma viagem! #5

Estou a escrever este postal na sala de espera da Aerogare de Santa Cruz das Flores. Chegámos às 10 da manhã porque ainda haveria que fazer o "check-in" (gostaria que houvesse uma palavra portuguesa para esta expressão) e entregar a viatura.

Pesadas as malas e transferidas algumas coisas de umas para as outras, devido ao peso, eis-me ora na sala de embarque após ter passado o controlo de segurança.

Obrigaram-me a tirar o cinto das calças arriscando a ver coisas que não deveriam... Obrigaram-me a desmontar a máquina fotográfica e a retirar o portátil da mala. Maior rigor que no aeroporto de Lisboa.

O tempo está bom, diria mesmo que bom demais.

Agora só em Ponta Delgada voltarei à escrita.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Os meus livros

Des(a)fiando Contos
Quatro desafios de escrita

Os Contos de Natal

2021
2022

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D