Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Reflexões após o Euro 2012

 

Uma coisa é certa: o futebol ainda vale dinheiro.

 

Nas últimas semanas, durante a vigência de Portugal no Euro, o português andou quase sempre com os olhares presos na televisão. Se não era para ver Portugal era para observar os outros. Claramente abstraindo-se da crise, do desemprego que grassa por todo o país, dos cortes nos subsídios.

 

O desporto é ainda uma imensa fonte de notícias (talvez a maior?), a par da política. Não há jornal, revista, rádio ou televisão que não dedique um espaço ao desporto, sendo o futebol profissional o mais focado. Será por estas razões, que quem pode, chega-se à frente para dirigente desportivo. Seja de uma colectividade, associação distrital ou federação o que conta é estar lá.

 

No nosso país, o futebol quase por magia, ruge mais alto que os outros desportos. E o poder que dele advém é algo que deve ser tomado em (muita!) consideração. Portugal nestes últimos dias “quase” que parou. E nas horas em que a selecção jogava havia pouca gente na rua. O trânsito ínfimo!

 

Mas decorre neste momento e até Domingo o Europeu de atletismo. Morta ou quase a época futebolística (falta apenas uma meia-final e a final do Euro!) vai o povo finalmente virar-se para o atletismo, que tantas alegrias tem dado a este país? Bom, sinceramente creio que não.

 

Infelizmente, os portugueses só conhecem as modalidades ditas amadoras, quando resultam em medalhas. Após os Euros (que não a moeda!!!) temos os Jogos Olímpicos em Londres, durante duas semanas que se prevêem bem recheadas.

 

Mas por eles (os Jogos!!!) o nosso trânsito não vai parar, nem as ruas vão estar desertas…

 

Adeus ao Euro?

 

Pois é, este título dá para muita coisa…

 

 

Terminámos orgulhosos a nossa presença do Euro de futebol.

 

Estamos no Euro de atletismo em Helsínquia.

 

E daqui a pouco não há euro que nos aguente!

Não quero escrever o resultado...

Antes do Euro 2012 começar recebi no meu mail um ficheiro contendo datas, horas, locais dos jogos do Euro e obviamente um espaço para colocar os resultados que as diversas selecções iam obtendo.

 

Andava realmente muito contente em preencher os espaços com as vitórias da nossa selecção.

 

Hoje porém, senti-me triste e quase estive para não completar o quadro…

 

Uma selecção que partiu de Portugal feita em fanicos após empate e derrota com equipas de valia inferior, jamais teria a veleidade de chegar onde chegou.

 

Porém Paulo Bento, também ele gigante, colocou a nossa selecção muito mais longe do que alguns poderiam imaginar (eu incluído!).

 

Parabéns a todos os jogadores, treinadores e dirigentes. Não ganhámos nenhum troféu, é verdade.

 

Mas ganhámos uma equipa.

 

… Acabei por não preencher o espaço com o resultado do Portugal-Espanha. Ficará para sempre em branco!

Táctica simples para ganhar aos Espanhóis!

Uma das coisas que muita gente se queixa de Portugal prende-se com os sucessivos atrasos. Ninguém chega a horas a lado nenhum, nem em reuniões nem em consultas, nada… E esta (má) imagem vai-se alastrando aos nossos companheiros da Europa.

 

Ora é aqui mesmo que hoje podemos ganhar o jogo à Espanha. Chegarmos a horas e começar o jogo para aí… cinco minutos antes do nosso adversário entrar em campo.

 

O que equivale dizer que quando os espanhóis, cientes que chegaríamos tarde como sempre, entrassem no relvado já tinham levado com três batatas.

 

Depois era só gerir o resultado até ao final do jogo.

 

Paulo Bento, espero que esta minha táctica para levarmos de vencida a Espanha, ainda chegue a tempo!

 

 

 

Portugal nas meias-finais: o nosso orgulho!

Desde 2004 que não via tantas bandeiras portugueses às janelas e varandas. Os portugueses, não obstante a crise que a todos tem afectado, foram ao baú e retiraram de lá, impecavelmente dobrada, a sua bandeira verde e vermelha e colocaram-na à mostra.

 

Cada um de nós, nada ganha ou perde se Portugal avançar para a final. Mas este sentimento de união em volta dos jogadores portugueses é algo que nos faz bem.

 

E não é por ser a Espanha a nossa próxima adversária, pois acredito que fosse quem fosse a selecção a defrontar este sentimento estaria obviamente presente.

 

Quando os nossos homens “bentos” saíram de Portugal, muito poucos (eu incluído, confesso!) auguravam grande futuro a esta equipa. Mas placidamente, como não quer a coisa, os rapazitos comandados por Paulo Bento foram conquistando vitórias.

 

Esta selecção pode até nem ganhar nada… Mas ganhou, isso é certo, a fé dos portugueses. Neste campeonato da Europa, Portugal passou a ser olhado e respeitado pelos adversários, única e exclusivamente por sua culpa.

 

Amanhã os jogadores vão colocar em campo toda a força lusitana. Os treinadores irão incentivar os atletas até que lhes doa a voz. Os demais portugueses que por cá ficam vão chamar tão alto o nome deste país, que no Donbass Arena em Donetsk ouvirão esses gritos…

 

 

Euro 2012 – Um apontamento antes das meias-finais

 

A tradição em Inglaterra ainda é o que era…

 

Uma vez mais a selecção representativa do reino de sua majestade foi à taluda dos penalties e… perdeu.

 

Já foi assim em 2004 em Portugal contra Portugal, em 2006 na Alemanha no Mundial também contra a selecção lusa e agora contra os Italianos.

Está visto que os súbditos de sua majestade não apreciam as equipas latinas.

 

Todavia justiça seja feita. Os ingleses mostraram ser boa equipa porém sem um ponta-de-lança de referência que resolvesse marcar, algo que Rooney não é de todo. E se não há quem marque golos como se podem ganhar jogos?

 

Li algumas críticas à selecção inglesa feitas por alguns jornais de Inglaterra e a pouca esperança que eles demonstravam sobre um bom desempenho neste Europeu. Não obstante não terem feito grandes jogos, pareceram ser bem melhores que outras equipas que também chegaram aos quartos-de-final. Falo por exemplo da Grécia ou da República Checa.

 

A França foi outra das grandes desilusões deste Euro. O problema não é ser eliminado, mas sim não mostrar argumentos para contrariar o adversário. Ribéry e Benzema foram ainda assim os menos maus… Claramente insuficientes para uma Espanha que jogou um futebol pausado, muito rendilhado.

 

Face a tudo isto temos umas meias finais bem curiosas. Um Portugal-Espanha em forma de tira-teimas recente - empate a uma bola no Euro de 1984, derrota da Espanha em 2004 e derrota de Portugal pela mesma margem, no Mundial do 2010 –  mundial este que foi ganho precisamente pelos espanhóis com mérito e um Alemanha-Itália muito curioso, tendo em conta a forma muito organizada (e enervante!!!) como a selecção transalpina defende, contra uma selecção alemã que tem argumentos mais que suficientes para ganhar este Euro.

 

Vamos assim aguardar com expectativa os resultados desta quarta e quinta-feira. Portugal, que tem vindo a crescer de forma, pode muito bem gorar as esperanças espanholas de mais uma final. A ver vamos!

Deixem-me sonhar!

Em posts anteriores fui muito crítico da nossa actual selecção. Assumi essa postura por achar que Portugal não parecia exibir de recursos, tanto técnicos, atléticos e até psicológicos, para poder ombrear com as outras selecções, que se apresentaram neste Euro 2012. Para ajudar a este meu raciocínio havia que juntar as exibições nos jogos de preparação contra a Macedónia e a Turquia (empate a zero e derrota por 3-1).

 

Veio então o primeiro jogo com a Alemanha, e Portugal, não obstante ter perdido por 1 a zero, pareceu bem melhor que os embates anteriores. Mesmo assim andava desconfiado!

 

Porém o encontro com a Dinamarca colocou Portugal na frente do marcador, com alguma sorte sim, mas também com mérito. Finalmente o desafio com a Holanda mostrou ao mundo uma selecção, que não obstante ter entrado a perder, conseguiu dar a volta ao resultado e apurar-se para os quartos de final com alguma impensável facilidade.

 

Hoje, contra a Républica Checa, a nossa selecção mostrou que tem argumentos para ir mais longe. O resultado desta noite peca claramente por escasso. E mais, fiquei definitivamente rendido à nossa selecção.

 

Com estes atletas repito o que disse José Torres algures nos anos 80: "Deixem-me sonhar!"

 

 

Nota: No Verão de 1985 José Torres "O Bom Gigante", na altura seleccionador nacional, em vésperas de um jogo com os Alemães, que era obrigatório Portugal ganhar para se poder apurar para o Mundial do México de 86, disse a seguinte e para sempre célebre frase: "deixem-me sonhar".

Como é do conhecimento geral Portugal ganhou por um a zero, golo fantástico de Carlos Manuel apurou-se para o Mundial de muita má memória....


Selecção portuguesa: um Pepe de força numa equipa de humildade

Portugal passou aos quartos-de-final muito por mérito da união de toda a equipa. Paulo Bento não devia levar a mal as críticas que lhe foram dirigidas ou aos seus jogadores, pois provavelmente foram elas o verdadeiro catalisador para a selecção chegar onde chegou. A partir de agora é a doer (como se os outros não tivessem sido!!!). E a equipa nacional tem, neste momento, confiança e capacidade de sofrimento suficientes para levar de vencida a Républica Checa. Basta para isso que, a humildade que colocaram em campo nestes últimos três jogos, não se transforme em soberba.

 

E eu, que fui tão crítico da nossa selecção antes de iniciar o Euro, rendi-me ontem ao jogo de Portugal. Hoje as capas dos jornais só falam de Ronaldo. Aceito que assim seja pois a festa do futebol são claramente os golos. E ontem o CR7 bisou… Parabéns a ele, que lhe são devidos, se bem que…

 

Porém há um jogador na selecção do qual não apreciava de forma evidente, mas que me tem surpreendido pela positiva. E muito! Ele é o verdadeiro “capitão”, sem braçadeira. E se Portugal está onde está a ele se deve. Falo obviamente de Pepe. Este homem é uma força da Natureza. Não obstante alguns gestos menos correctos em alguns jogos em Espanha que lhe valeram diversos castigos, o nosso defesa central está mais moderado e é um esteio. Seguro, viril sem ser violento, concentrado e eficaz, assim se pode resumir a actuação do defesa central do Real Madrid.

 

Gosto particularmente de jogadores assim. Canta o hino, torce por nós, cerra os dentes e vai à luta. Um assombro! Tiro-lhe o meu chapéu e faço-lhe a devida vénia.

 

A partir de agora os dados estão lançados. Podemos sair já ou partir para outros vôos. Seja como for esta selecção tem “pernas-para-andar”.  Basta quererem!

CR7 versus El niño - Qual o melhor?

RonaldoEu sei que esta fotografia vai correr blogues e mails, que vai ser tema de debates e discussão, mas depois do que vi hoje já sei quem vai ser o melhor do Mundo… Fernando Torres de seu nome.

Vencedor da Taça de Inglaterra e melhor, vencedor da Liga dos Campeões já marcou neste europeu dois belos golos. E para que não haja dúvidas entre um bom jogador (CR7) e o melhor do mundo nada melhor que estas imagens.

 

Uma noite, num jantar, dizia-me o saudoso Vitor Damas: só os bons guarda redes é que dão frangos, os melhores nunca dão!

Por isso não me venham com desculpas e dizer que todos falham. Os bons falham os melhores jamais…

 

 

 

 

 

Ainda a selecção... Você acredita?

Aceito que o Presidente da República Cavaco Silva, seja moderadamente considerado face não só às suas tristes e patéticas declarações proferidas num passado próximo, como até pela postura por vezes pouco lusitana e mais europeísta que tem assumido. Mas seja como for ele é o Presidente. E o PR é acima de tudo uma instituição que deve ser respeitada.

 

Vem este preambulo à tona pela forma como ontem Cristiano Ronaldo (mais uma vez!) se portou perante o mais alto magistrado da Nação. Ele pode ter pendurado nas orelhas brincos de diamantes, pode gastar milhões em novos carros, pode até ter uma namorada quase virtual, mas o que não pode (deve?) é tratar o Presidente da República por "você"!

 

Há coisas que a Federação devia ter cuidado quando entrega, a gente como Cristiano, a representação dos seus/nossos jogadores. O CR pode e sabe fazer umas habilidades com a bola: finta, corre, cabeceia, marca (quando quer!!!), eu sei lá o manancial de coisas que aquele atleta inventa com a bola. Ele pode até partir Ferraris como quem estraga um Fial Punto, porém a única coisa que não pode fazer é... falar.

 

Deem-lhe um papel para a mão com o texto escrito ou obriguem-no a decorar... Mas não voltem a deixá-lo dizer seja o que for. Ele não sabe falar, tem um vocabulário pobre e a sua dicção é no mínimo sofrível. Todos sabemos que Cavaco Silva nunca foi pródigo em grandes conversas, bem pelo contrário: cada tiro, cada melro...

 

Mas quase de certeza que nunca tratou ninguém por... você!

 

Você acredita?

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D