Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Sindicalismo no século XXI

Imagino que os partidos de esquerda lusa estejam à beira de um ataque de nervos tendo em conta a próxima greve dos motoristas de matérias perigosas.

Num país onde a maioria dos sindicatos estão maioritariamente ligados a Centrais Sindicais (CGTP e UGT), aparecer um sindicato independente, representado por um advogado, com uma capacidade mobilizadora fora do vulgar e capaz de parar Portugal pode tornar-se numa nova forma de sindicalismo.

Entretanto o PCP que sempre teve na CGTP/Intersindical o seu braço armado na contestação laboral deve andar em busca nos velhos manuais de como é que tudo isto lhe passou ao lado.

Lamentavelmente o BE vive um dilema interno de gestão política, pois ainda não sabe bem o que fazer ou dizer quanto a esta greve. Por um lado vem ao de cima a sua vertente de "esquerda-caviar" e afirma que os motoristas têm toda a razão para logo a seguir apoiar o governo nas decisões anti greve que Costa vai assumindo. Quase que faz lembrar uma velhinha e conhecida canção de Marco Paulo onde dizia que tinha dois amores.

Decididamente não sei quem tem razão neste diferendo que opõe motoristas à ANTRAL, pois necessitaria de ter comigo todos, repito todos, os dados que envolvem estas negociações, mas de uma coisa estou (quase) certo: o sindicalismo em Portugal jamais será o mesmo.

Concertação, CGTP e Álvaro - uma troika à portuguesa

Álvaro Santos Pereira e diversas organizações assinaram esta manhã um acordo que envolve governo, associações empresariais e confederações sindicais, tendo em conta novas normas de trabalho.

Como era sabido a CGTP não fez parte desse acordo, deixando nas mãos de outros, decisões que também lhe cabiam opinar e decidir. Depois queixam-se de maus acordos…

Já é conhecida a forma obtusa e radical como a CGTP vê estas coisas da concertação e de acordos com o patronato. Nunca está presente nas reuniões finais e prefere a confrontação de rua à negociação sensata e ponderada.

Também há pouco tempo o Bloco de Esquerda não se reuniu com a “troika”, com os naturais resultados negativos nas eleições legislativas, assumidos por Francisco Louçã.

O país vive momentos tenebrosos, é certo. A todos é pedido um esforço (independentemente de algumas excepções) e aqueles cavalheiros, teimosos e agarrados a teorias já desajustadas à realidade querem fazer acordos impossíveis, porque não pretendem abdicar de princípios irrealistas e impraticáveis.

Ontem ouvi a entrevista do Ministro Álvaro e fora alguns tiros no pé dados anteriormente, no que respeita a declarações públicas, aquele governante esteve calmo, sereno, explicando o que havia para explicar.

Não é um político, mais um técnico. E nada de tecnocrata, pelo que me apercebi. Conseguiu esquivar-se com alguma subtileza a questões um tanto incómodas (caso das nomeações na EDP) e assumiu outras sem rodeios (o aumento do desemprego para o próximo ano).

Com certeza, ao contrário de muitos, gostei do que disse, não pelo seu conteúdo obviamente, mas pela forma cordata e calma com que tentou explicar os novos acordos entretanto firmados.

Um ministro a rever.

Mais sobre mim

foto do autor

Posts mais comentados

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D