Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Este calor que nos assola!

Talvez já não se recorde mas em 2017 maia propriamente a 15 de Outubro desse malfadado ano deflagraram uma série de incêndios que causaram 50 vítimas mortais e mais um número elevado de feridos.

Quatro meses antes na zona de Pedrogão um incêncio de enorm~issimas proporções originou a destruição de centenas de casas, a morte a 66 pessoas e muitos feridos.

Portanto no mesmo ano dois eventos horrorosos e que jamais deveriam ser esquecidos! As razõees para estes casos foram apontadas a trovoadas secas, às altas temperaturas e ao desmando florestal.

Vivemos hoje, mais uma vez, temperaturas demasiado altas para a época! O Sol às três da tarde parecia lume. O vento nem se sente. Quem paga é a horta já que as couves sofrem a bom sofrer com este inusitado calor.

Nem imagino como será na minha aldeia com alguma malta já à azeitona! Há uns anos também foi assim... demasido calor que quase causava desfalecimento.

O clima está mudado. Tão mudado, que de clima temperado em Portugal estamos já na fase pré-tropical! É certo que a chuva não fica lá em cima, mas provavelmente cairá onde fará menos falta e em quantidades quase diluvianas.

Portanto cabe-nos tentar cuidar da nossa floresta, do nooso ambiente para que os incêndios não deflagrem!

Noites tropicais!

Os últimos dias têm sido de autêntico calor tropical (digo isto sem saber o que são os trópicos já que nunca saí do Continente Europeu). As manhãs crescem em calor, para as tardes se tornarem em autênticos fornos crematórios. Estou a escrever isto e a pensar que na Beira Baixa, na aldeia, as temperaturas rondam os 42 graus. Nem imagino como estará em Alcoutim ou Mértola.

Entretanto aAs noites poderiam então ser mais frescas e mais convidativas. Nem pensar! Parece que o calor se quer alastrar do dia para a noite. Tivesse eu outras condições de saúde e provavelmente andaria por aí a despejar imperiais. É só o que apetece.

Quando a noite profunda me invade tenho sempre pouca vontade de ir deitar. Primeiro porque nem gosto de dormir, mas isso já muita gente por aqui sabe disso. Depois estas noites verdadeiramente tropicais não se adaptam a este corpito (ou será o inverso?) que prefere muito mais o frio que o calor. Se bem que férias sem um calorzito também não teria piada nenhuma.

Enfim é o que temos, mas sinceramente já sinto aquela saudade… da chuva!

Calor Beirão!

Vim numa fugida à Beira Baixa.

Cheguei ainda antes do almoço e o ar por aqui já queimava. Tórrido, seco com um vento suão a soprar que tudo seca.

Passeio pelas fazendas loiras de restolho após a erva cortada e enfardada. Os grilos cantam ao desafio com as cigarras e num muro cinzento e quente um lagarto olha-me quase com desdém! Percorro devagar o caminho que me leva às oliveiras de forma a perceber como estão de azeitona. Estala a erva seca, tisnada por este sol de Estio inclemente e quiçá duradouro. 

Cães e gatos procuram sombras! Um burro deita-se no chão e espoja-se freneticamente tentando livrar-se da bicharada que o atenta. Um nuvem de pó é levada pela força do vento.

Bandos de pardais, piscos, cartaxos esvoaçam por cima da terra acabada de lavrar em busca de alimento.

O ar parece irrespirável e nem os traçadinhos de vinho e gasosas fresca na taberna fazem abrandar o calor.

A Beira Baixa e o seu calor quase doentio, mas que os naturais aguentam estoicamente.

Todos os anos!

O nosso Verão é muito certinho!

Parece que vamos ter um fim de semana assim pro quente! Já hoje se começou a sentir o aumento da temperatura.

Imagino que as praias estejam repletas de banhistas e as filas para aquelas, extensas. Mas a malta não se importa das viagens quase nipónicas para chegar à beira mar! E claro está também não se preocupa com o regresso.

Pela minha parte detesto estes calores assim repentinos. Daqui a horas ou dias os telejornais e os próprios jornais vão encher-se do tema habitual do Verão: fogos! Até parece que esfregam as mãos...

Ao invés das nossas vidas que nunca sabemos como vai ser o nosso futuro, em Portugal sabe-se sempre o que irá acontecer por esta altura. Uma teima que se mantém há tantos anos e para a qual nunca se vê um fim à vista!

O governo vende a ideia de que tudo está preparado, mas quando as coisas iniciarem haveremos de perceber em que nível de preparação estávamos.

A gente lê-se por aí!

Noite tropical ou...?

Fui lendo que estes calores que têm assolado o país de lés a lés originariam noites cálidas, uma das características das noites tropicais!

Como nunca estive nos trópicos não sei avaliar. Sei que uma destas noites cheguei a casa já tarde, perto da uma da manhã. O meu carro tem termómetro e tive curiosidade de perceber que temperatura estaria àquela hora.

Quando olhei para o mostrador vi um valor que me deixou perplexo. Daí ter tirado uma foto por via das dúvidas.

Temperatura.jpg 

Trinta graus à meia noite e quarenta não cabe numa noite tropical, digo eu! Ou será que cabe?

Dias tórridos

Padeço horrores com o calor. Especialmente de noite mesmo que seja para dormir poucas horas, gosto de um ambiente com uma temperatura que não ultrapasse os 20 graus célsius.

Só que na passada sexta feira fui surpreendido com a avaria de um dos aparelhps de AC, nomeadamente aquele que deveria arrefecer o meu quarto. Um contratempo que aconteceu na pior altura possível.

Neste fim de semana perdi mais quilos que numa semana de greve da fome. Pura e simplesmente,,, derreti. Parecia até um pedaço de banha numa frigideira quente.

Bebi mais de cinco litros de água nestes últyimos dois dias. E se comecei com água engarrafada depressa passei para a torneira que vinha quente e mole, mas que ia colocando no frigorífico para refrescar.

Estes dias foram assim terríveis devido a este calor tórrido que abraçou este pa+ís de lés a lés. Com as evitáveis tragédias incendiárias|

Desafio: vamos acabar uma estória?

Em 2020 enquanto fazia uma das minhas usuais caminhadas matinais na praia, encontrei uma menina que escreveu isto,

foto_praia.jpg 

Sempre calculei que estas palavras escritas na areia por uma menina de 12 a 13 anos, cujos pézitos ainda se conseguem vislumbrar na fotografia, um dia me fariam lançar um desafio.

Ei-lo agora, quase dois anos passados!

Para quem não entende o que a menina escreveu eu ajudo. Diz o seguinte: "Era uma vez uma mulher chamada Edna que tinha problemas de visão. Um dia..." (as reticências são minhas!).

Face ao que precede proponho um exercício de escrita que consiste em continuar a estória a partir desta frase.

O convite fica assim lançado a todos quantos aqui vierem e pretenderem afoitar-se neste desafio. Sem limites de palavras, ideias e de tempo. Se porventura alguém não tiver um blogue, pode também escrever e enviar-me o texto por mail (está no meu perfil!!!) que eu publicarei aqui.

Agradeço finalmente, a quem participar, que façam uma ligação para este postal de forma a que saiba quem escreveu!

Vamos lá... que o calor vai apertar e nada melhor que uma boa estória.... para escrever e ler neste dias quentes!

Boa escrita!

Pacto com o calor!

Há quem diga que eu tenho um qualquer acordo secreto com o tempo metereológico. Geralmente quando vou de férias o Sol aparece em todo o seu esplendor e calor, o vento amaina, as noites tornam-se tépidas, resumindo... dias e noites perfeitas!

Contudo avanço já com a ideia de que não tenho contracto com nenhuma força especial que origine esta bonança. Será pura e simplesmente sorte ou, algo em que não acredito, coincidência.

Seja como for estas minhas férias estão a iniciar com o melhor Verão que se pode desejar.

Vejamos quanto tempo irá durar.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O meu livro

Os Contos de Natal

2021
2022

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D