Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Sangue jornalístico?

Ponto prévio: não fui mandatado por ninguém, nem exibo de nenhuma procuração para defender as próximas ideias. Feita esta ressalva passo ao que aqui me leva…

Cada um tem o nome que advém quase sempre dos seus antecessores. É apenas identificativo e não deve corresponder a uma chancela positiva ou negativa que se carrega pela vida fora. Abordo este tema devido à forma quase vil como alguns jornais têm tratado o filho do ainda Presidente da Comissão Europeia.

Se o actual técnico do Banco de Portugal fosse filho se um ilustre desconhecido e tivesse recebido o mesmíssimo convite, os jornais falariam disso? No mesmo sentido quantos colaboradores terão até hoje entrado por convite para instituição reguladora, filhos de um qualquer casal?
Mas pior que tudo, é a forma pejorativa como alguns diários abordam o assunto, tentando trucidar um jovem, que como muitos que há por aí, lutam por um melhor lugar na vida. E fosse para onde fosse trabalhar este rapaz estaria sempre marcado pelo nome do pai. No entanto o ser-se filho de alguém público não é marca de competência ou falta dela. O tempo encarregar-se-á de o valorizar, ou não… E nessa altura falaremos!

O jornalismo, mesmo o especializado, deve pautar-se por seriedade e busca da verdade e não retirar conclusões só porque alguém tem nome sonante. E entenda-se este ridículo: até há umas semanas “Espirito Santo” era sinónimo de uma família com prestígio e pergaminhos na sociedade. Hoje, esse mesmo nome caiu em desgraça e sabe-se lá com que irremediáveis consequências para todos os portadores desse apelido.

Mesmo que nunca tenham culpa!

Trinta anos… quanto mais se seguirão?

 

Fez no passado dia 6 de Outubro, 30 longos anos desde o dia em que entrei para a empresa para a qual ainda hoje dou o meu contributo. Mas se parar, assim de repente e olhar para todo este tempo já decorrido, parece que passaram apenas meia dúzia de dias.

Era uma quarta-feira. Acordei cedo, tal era o receio de não chegar a horas. Estreei um fato, fiz o nó da gravata , comi qualquer coisa  e saí. Apanhei o autocarro logo seguido do barco o que me fez chegar muito a tempo. Entrei receoso no hall e um segurança indicou-me simpaticamente a recepção. Outras pessoas já ali se encontravam. Entre elas reconheci, com um misto de surpresa e alegria a Rosa Maria, amiga havia muitos anos. Os interesses profissionais haviam-nos naturalmente desviado a determinado passo, mas esta empresa juntara-nos…

Subimos finalmente ao 3º andar para a imponente sala da assembleia onde fomos recebidos por elementos do Departamento de Pessoal.

E durante dois dias foi-nos mostrada uma empresa assente em história e (muitas) estórias.

- Uma entidade muito tradicionalista – diria a certa altura um dos oradores.

O pior é que, naquele tempo, a tradição já não era o que deveria ser!

Trinta anos a levantar-me cedo, a comparecer cedo, a aceitar cedo o peso da mudança…

Mas fiz amigos… E provavelmente inimigos (e ainda bem, também necessito deles para assim saber avaliar os verdadeiros amigos!)

No dia 6 de Outubro estive longe da cidade que me acolheu nestes últimos anos. E após um dia de muito trabalho no campo nem forças tinha para acabar de soletrar uma frase. Adormeci à primeira oportunidade…

Todavia não me esqueci do dia e não obstante ser com algum atraso quero apenas aqui cumprimentar com um imenso abraço e dar outrossim os parabéns a esta óptima “fornada”, claramente a melhor que entrou em 1982. A saber:

A Sílvia

A Maria João

A Júlia

O Raul

A Isabel

A Helena

A Fernanda

O António Fernando

O José

A Teresa

O Nuno

A Telma

O António Gonçalves

E obviamente a Rosa Maria já referida anteriormente. E por fim eu!

Pretendo, com este texto, agradecer o todos estes “jovens” colegas, a amizade que me têm dispensado nestas últimas três décadas e prometer que organizarei um repasto digno do nosso grupo.

Este texto tem no seu título uma questão. Esta mantém-se.

Quem de vós me saberá responder!

 PS- Se me esqueci de algum nome façam o favor de me avisar. Não terá sido de propósito!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D