Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Uma pergunta (ainda) sem resposta

O dia estava fantástico. Após um almoço e de um passeio eis-me de regresso à sala de aulas para continuação da formação. Na sala de espera a televisão estava acesa e no instante em que entro vejo no ecran, para imenso espanto, um avião a entrar por um edifício como faca em manteiga em dia de Verão. Percebi que era nas torres gémeas, na cidade que nunca dorme, para logo a seguir dar conta que não havia sido um mas dois aviões a chocar contra o World Trade Center. O resto já todos sabemos...

Todavia a imagem que nesse dia mais me surpreendeu foi a queda em directo dos dois edifícios. Inimaginável.

A formação ficou por ali, ainda por cima porque o professor era canadiano e não foi capaz de dar mais aulas.

Isto foi há precisamente 15 anos.

Desde aquele dia até hoje o Mundo mudou muito. Para pior!

Depois das Torres Gémeas, foram os atentados em Londres e mais tarde em Madrid. E num, quase indefinido, número de locais por esse Mundo. A insegurança passou assim a fazer parte integrante das nossas vidas.

Sempre achei os atentados às torres gémeas como algo impensável. Essencialmente devido aos sofisticados sistemas de comunicações que os Estados Unidos conseguem controlar. Não quero com isto dizer que defenda uma teoria da conspiração mas que dá que pensar, isso dá.

Quando estes nefastos acontecimentos surgem, quase sem sabermos como, há uma questão que fica sempre em aberto: quem realmente ganhou com a tragédia?

Ideias minhas!

A economia turística é uma das grandes vítimas do terrorismo. Desde os atentados ao World Trade Center de Nova Iorque que quem viaja procura unicamente países onde os atentados nunca tenham existido.

Curiosamente hoje tive de ir à Baixa de Lisboa. E achei o Rossio e as ruas limítrofes atapetadas de gente estrangeira. Eles eram espanhóis, ingleses, franceses, americanos... um ror de malta.

As esplanadas repletas, as lojas cheias, o comércio fervilhante. Fiz as compras que tinha a fazer e quando regressei à rua lembrei-me de repente dos ataques em Bruxelas.

Nem consigui imaginar então o que seria um atentado naquele lugar. Quantos mortos, feridos, gente a gritar.

Mas, ao contrário do que se possa pensar Portugal não está imune a este tipo de acontecimentos. Com quase 800 quilómetros de costa, somos facilmente "invadidos" por terroristas.

Renovo o meu olhar para a baixa e nem calculo o que seria dos inúmeros hóteis, pensões, restaurantes e outras casas sem os turistas para os alimentar, tudo por causa de um estúpido ataque terrorista.

Por isso cada vez tenho mais a sensação que nestes ataques religiosos a questão religiosa é somente um mero subterfúgio.

Mas isto sou eu... a pensar alto!

 

Mais sobre mim

foto do autor

Posts mais comentados

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D