Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Este e o outro lado!

Quem aqui vem saberá que tenho outro blogue criado há uns anos e somente para a escrita mais elaborada (detesto a expressão "escrita criativa").

Até Setembro de 2019 este meu outro blogue era pouco visitado e comentários quase nem existiam. No entanto com o desafio de escrita dos pássaros, que teve direito a suas séries e agora com o recente desafio da escrita da "caixa de lápis de cor", para além dos sempre simpáticos e estimulantes desafios da abelha Ana e de outros que entretanto foram surgindo, aquele espaço passou a ter alguma interacção com os leitores e comentadores.

A prova do que digo é o prémio que recebi hoje, ao perceber de forma puramente casual que na pasta dos comentários referentes àquele blogue já havia chegado aos primeiros quatro dígitos.

Obviamente que em comparação com este espaço é muitíssimo menos, mas seja como for é um marco que pretendo registar.

Obrigado assim a quem lá foi botando comentários. 

Eis aqui a prova:

Estat_JX_LAB.jpg

Os lápis de cor... acabaram-se!

Alguém tem um branco?

E pronto o desafio de escrita da "caixa de lápis de cor" chegou ao fim.

Deveriam ter sido doze os exercícios, como manda a "sapatilha", porém achou-se que uma dúzia deveriam ser treze para neste número enfiarem o Branco. A exemplo daquilo que acontecia no velhinho Mercado da Ribeira em Lisboa, que eu frequentei em rapazola sempre como ajudante do meu pai e onde uma dúzia nunca correspondia a doze... Outros tempos!

Posto isto é a hora de jamais olvidarem uma visita aos locais infra referidos. Ponho as mãos no lume por todos, sem risco de me queimar, pela grande qualidade dos textos que irão aparecer.

Ora eis o rol:

Fátima;

Concha;

A 3ª Face:

Maria Araújo:

Peixe Frito:

Isabel:

Luísa De Sousa:

Maria:

Ana D:

Célia;

Charneca Em Flor;

Miss Lollipop;

Ana Mestre;

Ana de Deus;

Cristina Aveiro;

bii yue;

João-Afonso Machado;

Marquesa de Marvila;

Olga Cardoso Pinto

e este pobre que assina estas palavras!

Aqui!

Quero terminar com um agradecimento muito especial e sincero à promotora deste desafio e a todos quantos se maçaram em ler e comentar.

Bem-hajam!

Regresso a meio-gás!

Há três coisas em mim que me definem como não estando bem: não ler, não escrever e passar demasiado tempo na cama.

Foi o que aconteceu nos derradeiros dias.  Longos dias a dormir no sofá mesmo sem febre e nenhuma vontade de aqui vir para ler ou escrever seja o que for.

Estive assim durante muitos dias. Demasiados!

Agora tento regressar aos poucos a uma normalidade que quase não tinha consciência de existir. Todavia alguma tosse ainda perdura estando já a ser combatida com velhas mezinhas .

Digam o que disserem os antigos tinham muitas curas para estas maleitas.

Portanto estou de regresso, com calma, serenidade e vontade de escrever!

Termino com um agradecimento a quem se preocupou comigo e com o meu estado. A todos vós um grande "bem-hajam"!

Campeões à Italiana!

Sempre gostei de ciclismo, mas curiosamente o Giro nunca foi alvo das minhas atenções. O Tour sim, assumo!

Porém este ano e logo no dealbar da Volta à Itália dei conta de que um português vestira a camisola Rosa, símbolo do comandante da classificação.

Desde aquele dia até hoje tentei ver tudo o que me foi possível do Giro. E sofri a bom sofrer com as etapas em que João Almeida transportava o jersey Rosa. Como aqui e aqui dei conta.

No entanto não posso olvidar Ruben Guerreiro que deu razão ao apelido, tendo ganho a camisola Azul, símbolo do rei da Montanha, e vencido a nona etapa sob chuva e com uma sinalética deveras conhecida no futebol ao atravessar a linha de meta. Outro herói!

Acabou hoje o Giro.

Ora após a triste queda na classificação de João Almeida, de primeiro para quinto, após a etapa onde o Stelvio não se deixou derreter pelo coração luso, talvez se pensasse que um quinto lugar seria uma fabulosa classificação do atleta de A-dos-Francos. Ainda por cima no ano de estreia numa prova de três semanas...

Todavia hoje João mostrou aos mais cépticos de que fibra é feito e no contra-relógio galgou mais um lugar na classificação terminando a etapa e o Giro num honrosíssimo quarto lugar, à frente de ciclistas com Peter Sagan ou Nibali, ciclistas de créditos firmados e que dispensam apresentações. 

Agora cabe às equipas destes dois atletas decidirem o que irão fazer, num futuro próximo ou mais distante, com este património atlético. Quanto a nós portugueses será também a hora de publicamente agradecermos o empenho, a coragem e a garra que estes dois lusos atletas mostraram nas estradas italianas (senhor Presidente da República olhe que não é só de futebol que vivem os portugueses!!!).

Obrigado campeões!

Muito bem acompanhado!

A plataforma SAPO tem sido muito simpática para este humilde espaço. Essencialmente porque traz diversas vezes, à primeira página, textos meus aqui publicados.

Reconheço que nunca agradeci convenientemente a quem o faz, mas nem sei se devo fazê-lo. Faço-o agora com este breve postal!

Todavia ontem e parte desta manhã o LadosAB esteve em relevo na primeira página e muitíssimo bem acompanhado. Primeiro pela Sarin, uma bloguer que eu leio amiúde e com quem troco muitas e boas ideias.

Depois a companhia de entre outros ilustres colaboradores, a de Ricardo Araújo Pereira, quiçá o melhor humorista português desta novel geração.

Um autêntico privilégio para este ínfimo naco de escrita blogosférica!

prim_pag_16_09_2019.jpg

 

Com um brilhozinho nos olhos…

Quando me lancei na blogosfera, fará no próximo mês de Março nove anos, tinha pouca noção do que era esta realidade.

Paulatinamente fui aprendendo a viver com este novo mundo. Fui assim entabulando contactos, trocando comentários, ideias, criando amizades, tudo numa postura de quem gosta das pessoas.

Todos os dias vou à plataforma perceber as estatísticas diárias e outrossim publicar alguma coisa. Por isso foi com alguma emoção que hoje reparei que havia um número de três dígitos a encabeçar a plataforma.

Cem subscritores. Uma centena de pessoas que se dignam ler-me de vez em quando. Um gesto que me apraz muito registar.

Sou um humilde cidadão que tem umas ideias estapafúrdias e que as coloca em textos pobres, quiçá incoerentes. Só que ter tanta gente simpática desse lado, a ler o que escrevo, é deveras estimulante e gratificante. Um verdadeiro privilégio.

Deste modo só posso deixar aqui a todos vós, subscritores ou não, da Sapo ou doutra plataforma qualquer, o meu singelo e profundo agradecimento.

Tentarei sempre fazer (leia-se escrever!) melhor.

A gente lê-se por aí!

 

100_subsc.jpg

 

Agradecimento!

Não basta gozarmos as férias. Não basta comermos e bebermos, dormir como se nada tivesse fim. Há no final que agradecer:

1 - à empresa para a qual dou o meu contributo por me dar a oportunidade de gozar férias;

2 - aos meus filhos porque mesmo não estando permanentemente presentes deram sempre sinal;

3 - à Sapo por ter achado que os meus textos valiam a pena serem destacados;

4 - à minha mulher por estar sempre presente e fazer destas férias dias inesquecíveis;

5 - A Deus por achar que sou merecedor da sua complacência.

 

Se tudo correr bem... férias a sério só para o ano!

Até lá a gente lê-se por aí!

Obrigado a todos que aqui vêm perder tempo.

Agradecimento mui simples!

Ando há dias a pensar no mesmo... Assalta-me permanentemente uma dúvida: escrevo a agradecer ou não? Digo-lhe algo privado ou público? E desde sexta feira que ando neste dilema.

A amizade é um sentimento que dá sem pedir, que oferece sem desejar, que aceita sem condições. Ficámos amigos aqui neste mundo tão especial da blogosfera. E sem nunca nos termos visto.

Sei que é uma mulher trabalhadora, com talento para diversas actividades artísticas e uma estudante (por enquanto) exemplar. Tudo somado até parece ser uma mulher perfeita. Terá obviamente os seus defeitos, como todos nós, mas esses eu não os conheço e portanto sinto-me bem assim.

Sinto-a como de uma sobrinha minha se tratasse. E trato-a com o respeito e a deferência devidos.

Um destes dias perguntei a alguém por ela. E não é que a própria me responde através deste post encantador? Por isso afirmo sem grande margem para erro que a BB merece que a vida lhe sorria sempre.

Porque poucos como ela sabem fazer sorrir.

Felicidades e um obrigado singelo.

A gente lê-se por aí!

Desafio ganho!

Hoje andei numa correria. De tal maneira que nem dei pelo lançamento Mundial da revista Inominável.

Ouvi algures uns foguetes e umas palmas mas nem percebi que era cá para a malta.

Seja como for o caminho está aberto e agora só falta desbravá-lo.

Esta espécie de comunidade de bloggers, tão diferentes em idades e géneros, teve a ousadia de apostar numa, e agora sim direi, boa aventura.

Acredito que não deve ter sido fácil ajustar interesses, vontades, desejos e sonhos à volta de um mesmo intuito.

Mas sinceramente faz muito tempo que não me sentia assim... desperto, atento e ferozmente proactivo.

Agora, no recato da noite e da casa, é tempo de agradecer à Magda e à conterrânea, uma vez mais, o simpático convite que me foi endereçado.

Provavelmente serei de todos os "Inomáveis" o mais velho.Mas isso não quer dizer mais competência ou mais qualidade na escrita.

Isso agora também já não interessa. Adoro este desafio e só espero que nunca pare.

Irei fazer por isso... E vocês?

 

Mui singelo agradecimento!

Verdade, verdade é que gostamos sempre da Festa da nossa aldeia. E é normal que assim seja.

Há neste tipo de eventos momentos muito solenes, mas há outrossim alegria, amizade e confraternização (e no Covão do Feto, baile!!!). E quanto mais pequena é a comunidade mais se sente estes (bons) sentimentos.

Cada povo tem os seus próprios interesses perante as Festas. E o Covão do Feto não foge à regra. Nesta altura é premente haver dinheiro para reformular a capela mortuária. Alguns apoios da edilidade são sempre bem-vindos mas obviamente insuficientes. Assim sendo é necessário meter mão à obra e originar receitas.

No entanto organizar uma Festa, mesmo de apenas um dia, não é coisa de somenos. Há muita em que pensar, diversa gente a contactar, um ror de mãos a trabalhar…

Uma missão a roçar o hercúleo!

Serve assim este texto, para de uma forma pública, agradecer a todos quantos trabalharam para o bem comum. E foram tantos… tantos…

Em primeiro lugar e com toda a justiça ao Arlindo pela enorme dinâmica, empenhamento e amizade demonstrados.

A toda a família de Adelino Vaz, sem excepção, por terem partilhado a belíssima Banda Filarmónica do Xartinho. Um profundo gesto de amizade com a aldeia. Bem hajam! Não os nomeio a todos porque de alguns nem sei o nome.

À Deonilde, uma moira de trabalho. E sem dormir…

À Isilda sempre, sempre disponível e atenta aos pormenores.

Ao casal Violeta e António, pelo grande exemplo que são para os mais novos. A idade não é sinónima de imobilidade, bem pelo contrário.

Ao António Joaquim, ilustre Presidente da Colectividade do Covão do Feto e à sua mulher Teresa pela forma como organizaram a equipa para servir o jantar. Um mimo. Os meus sinceros parabéns!

E agora, sem quaisquer preferências: à Manuela, Cremilde, Alierte, Daniel, Carlos, Humberto, João Manuel, Ana Isabel, Marisa, Adriana, Lena, João Rodrigues, Ivone, Lurdes um profundo agradecimento pela permanente disponibilidade demonstrada.

Uma referência muito especial para a Junta de Freguesia de Monsanto, na pessoa do seu Presidente, Orlando, pela forma como ajudou a que este evento se realizasse.

Esqueci-me de alguém? Talvez… Mas acreditem que não é por mal.

Obrigado a TODOS.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D