Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Invasão espanhola?

Quem diria que o Real Madrid faria da visita a Munique um passeio? Provavelmente nem os mais optimistas.

 

Falta apenas saber se José Mourinho consegue contrariar a equipa de Simione ou teremos no próximo mês uma invasão castelhana à capital portuguesa. 

 

O futebol tem destas coisas... estranhas e bizarras. Não é obviamente uma ciência exacta! E ainda bem!

 

Mas sinceramente preferia o Chelsea a 24 de Maio contra Ronaldo.

 

Do mundo o melhor  treinador contra o melhor jogador.

 

Humm... já sinto água na boca!

Mourinho versus Guardiola - Um reencontro (bem) aguardado!

 

 

É já amanhã em Praga, que se realiza a final da supertaça europeia. Se em anos anteriores este troféu surgiu (quase) sempre como um troféu menor, este ano o panorama revela-se bem diferente. Ou não fossem os treinadores de Bayern e Chelsea figuras profundamente mediáticas e com estilos de futebol bem diferentes.

 

Temos assim a repetição da final da Liga dos Campeões de 2012, onde o Chelsea de Di Matteo levou a melhor sobre o Bayern de Munique de Jupp Heynckes nas grandes penalidades, após um empate a uma bola no tempo regulamentar.

 

José Mourinho e Pepe Guardiola são treinadores que se conhecem demasiado bem. E se por um lado o Bayern surge como o grande favorito à conquista da supertaça europeia, creio no entanto, que a equipa de Londres ainda terá uma palavra a dizer.

 

O homem de Setúbal é pródigo em escaqueirar estatísticas. E será talvez por isso que ninguém aposta totalmente numa vitória germânica, mesmo que neste momento o Bayern seja a melhor equipa à face da Terra.

 

Aposto naturalmente num empate ao fim dos 120 minutos. Depois será a “velhíssima” lotaria das grandes penalidades. E aqui… quem sabe?

 

Enfim que ganhe o melhor!

 

José Mourinho, a última noite

Desta vez José Mourinho não teve sorte. A mesma que o acompanhou em Manchester e noutros encontros, desapareceu como por magia. Mas o futebol é assim mesmo: umas vezes repletos de sorte, outras nem por isso.

 

Mas o jogo desta noite previa-se fervilhante e emotivo. Não sei quantos adeptos estiveram no Santiago Barnabéu mas acredito que a maioria acreditava que o Real tinha capacidade para dar a volta a um resultado assaz adverso, é certo, mas ainda assim ao alcance de uma das melhores equipas de futebol do Mundo.

 

Só que os alemães não foram nada simpáticos e perante uma avalanche inicial de jogo da equipa merengue, foram com o decorrer do jogo assentando o seu futebol e a partir dos vinte e cinco minutos da primeira parte passaram a controlar as investidas espanholas. Os avançados do Real encontraram pela frente uma parede de aço germânico quase impossível de ultrapassar.

 

Chegou o intervalo e o resultado mantinha-se num óptimo zero a zero para o Borussia de Dortmund e irritante para a equipa treinada por José Mourinho.

 

Logo no principio da segunda parte os alemães mostraram porque ganharam por 4-1 na Alemanha e não fosse o guarda-redes Diego Lopez muito cedo o Real teria perdido a esperança de passar à final. Esperança esta que renasceu aos 82 minutos quando Benzema, que entrara na segunda parte a substituir Higuain, inaugurou o marcador.

 

Até ao minuto 96 o Real ainda marcou um segundo golo por Sergio Ramos, mas insuficiente para virar a eliminatória a seu favor. Há portanto que reconhecer mérito à equipa alemã que no conjunto das duas eliminatórias, foi (quase) sempre superior ao Real Madrid.

 

Mourinho só pode queixar-se não de si próprio, mas de alguns jogadores que esta nopite pareceram não estar à altura do momento e do clube, através de um individualismo exacerbado. Falo obviamente de Ozil, de Di Maria e de Modric, que trabalharam pouco para a equipa não obstante o jogador de origem turca ter feito o passe para o golo de Benzema. Um conjunto de muito bons jogadores não faz obrigatoriamente uma boa equipa.

 

E José Mourinho tinha obrigação de saber isso!.

Real Madrid, A última oportunidade

Uma noite que pode ser histórica... ou não!

 

1ª Parte

 

 

1,00 - Canto a favor do Real

3,40 - Higuain falha um golo incrível com defesa do guarda redes germanico

6,30 - Canto para o Real

7,15 - Novo canto a favor de Real

8,00 - Ronaldo remata por cima após uma jogada de Di Maria

10,30 - Remate de cabeça de Sérgio Ramos ao lado, após livre de Ozil

12,30 - Primeiro remate do Borussia à baliza do Real

13,40 - Substituição no Borussia

14,00 - Enorme oportunidade para o Real. Remate de Ozil ao lado

19,00 - Remate ao lado de Ronaldo

21,00 - Defesa do Real em apuros

23,15 - Corte da defesa do Real

24,24 - Grande jogada de um jogador do real todavia sem efeitos práticos

25,15 - Cartão amarelo para Fábio Coentrão

30,00 - Real perdeu fulgor e Borussia subiu de ritmo e de pressão

35,00 - 1º canto a favor do Dortmund

39,00 - Finalmente uma jogada de perigo perto da baliza do Borussia sem consequencias

42,30 - Cartão amarelo para um jogador do Borussia

44,00 - Amarelo para Higuain

45,00 - Novo amarelo para um jogador do Dortmund por falta sobre Ronaldo

Intervalo

 

Breve análise: O Real entrou muito bem a pressionar a defesa do Borussia mas foi perdendo fulgor. Desperdiçou algumas boas oportunidades, que podem custar uma ida à final, especialmente por Higuain e Ozil. A equipa germanica ,muito bem organizada tem conseguido suster o impeto da equipa merengue. Prevê-se uma segunda parte ainda mais movimentada. Porém dificilmente o Real chegará à final de Wembley!

 

2ª Parte

 

46,00 - Dois cantos seguidos a favor de Real.

47,00 - Perda porecipitada de bola por parte do Real

48,30 - Grande oportunidade para o Borussia. Remate por cima.

49,40 - Bola na barra da baliza do Real. Sorte para os merengues

52,00 - Canto a favor do Dortmund. Nada resultou

55,00 - Real não consegue desfazer a muralha defensiva do Borussia

56,00 - Duas substituições no Real, sai Higuain e entra Benzema. Sai Fabio Coentrão e entra Káká

61,00 - Grande defesa de Lopez negando autenticamente o golo ao Borussia

62,30 - O carrasco alemão do Real rematou de cabeça, ao lado

64,00 - Grande corte de Sergio Ramos. Real Madrid em apuros

66,00 - Remate de Di Maria ao lado

67,00 - Saiu Xabi Alonso entrou Khedira na equipa madrilena

69,00 - Cristiano defronte da baliza remata por cima

70,00 - Centro de Káká mas Di Maria não chega

71,00 - Remate de Káká ao lado a centro de Di Maria

75,00 - Real há muito que já se encontra eliminado. Não consegue desmontar o jogo do Dortmund

75,30 - Grande oportunidade para o Borussia

78,00 - Amarelo para Sergio Ramos

80,00 - Novo cartão amarelo para o Real. Desta vez foi Khedira a cometer a falta

82,30 - Golo de Real Madrid. Benzema foi o seu autor após uma jogada corrida e a passe de Ozil

84,00 - Nova oportunidade para o Real. Defendeu o guarda redes alemão

86,00 - Substituição no Borussia. Saiu o marcador de serviço na Alemanha

87,00 - Dois cantos para o Real. Um deles com grande defesa do alemão

88,00 - Segundo golo do Real. Sergio Ramos foi o marcador

90,00 - Jogo parado por lesão de um jogador alemão

90,30 - Substituição no Dortmund

92,30 - Canto contra o Borussia. Remate ao lado

96,00 - Termina o jogo. Borussia vai à final da Liga dos Campeões. Merecidamente!

 

O Real Madrid acaba por ser eliminado muito por culpa própria tendo em conta as oportunidades que desperdiçou, especialmente na primeira parte. Por outro lado o Borussia de Dortmund merece esta final por aquilo que jogou. Não tendo um futebol muito nbonito foi claramente mais eficaz que a equipa merengue.

 

Para o Real apenas uma frase "cliché": para o ano há mais!

 

Um Mourinho diferente?

 

Esta história apareceu no jornal Inglês Daily Mail.

 

http://www.dailymail.co.uk/sport/football/article-2307500/Jose-Mourinho-gives-Mexican-fan-Abel-Rodriguez-job-Real-Madrid-backroom-staff-finding-sitting-snow-outside-training-ground.html

 

Mais uma vez, ao contrário do que muitos gostariam o treinador do Real Madrid é notícia. Desta vez pelas melhores razões.

 

Este também é o José Mourinho!

Liga dos Campeões: meias-finais escaldantes

Por vezes tenho a sensação que os sorteios da UEFA são tudo menos… sorteios. Mas como disse é apenas uma mera sensação…

O que a UEFA pretende está prestes a acontecer: uma final entre as duas maiores (e melhores!) equipas espanholas. O sorteio ditou que os catalães se batam contra o Bayern de Munique, curiosamente a futura equipa de Pepe Guardiola, enquanto o Borussia tem a hipótese de repetir a brincadeira que fez ao Real Madrid na fase de grupos, pois foi a única a bater a equipa merengue no seu próprio estádio, tendo empatado em Madrid a duas bolas.

Quatro jogos, que se prevêem assaz intensos e sem vencedores antecipados. E com dados, todos eles, muito curiosos, tendo em conta que qualquer destes semi-finalistas já foi campeão europeu.

Desta forma:

 

- O Bayern pode, em quatro edições, repetir a terceira final e se vencer somar cinco vitórias na competição;

- O Barcelona candidata-se a ganhar a quarta Liga dos Campeões em oito anos;

- O Borussia de Dortmund tem a hipótese de repetir a façanha de 1997, quando Paulo Sousa pautava o seu jogo no meio campo;

- O Real Madrid, se vencer, ganhará a sua décima taça (é obra!) e José Mourinho poderá vir a ser o único treinador do Mundo a ganhar a liga dos Campeões em três clubes diferentes, num curto espaço de dez anos.

 

Todavia hão-de ter de decorrer 180 minutos, para qualquer uma das equipas e onde os ínfimos detalhes poderão fazer as grandes diferenças. E é neste campo que a UEFA pretende tirar as teimas quanto aos melhores jogadores e treinadores. Obviamente que Michel Platini não se esqueceu da ausência de José Mourinho e muito menos das palavras de Ronaldo e a postura que se seguiu à atribuição do prémio de melhor jogador a Lionel Messi.

Neste contexto a UEFA está desejosa de uma final ibérica em Wembley mas com o desejo secreto que a vitória tombe para o lado catalão, justificando assim mais uma vez a escolha dos premiados

Eu, como é sabido, estarei a torcer pela equipa alva de Madrid. E certamente por José Mourinho.

Desportivamente falando…

Em tudo se vê como é o nosso País.

Não bastava a política onde todos criticam mas ninguém avança com qualquer proposta viável, na justiça onde quem tem dinheiro consegue adiar o que num pobre é condenado, na economia onde cada emprego dá direito a meia dúzia de desempregados, não bastava tudo isto, repito e temos aí mais um caso no futebol.

Primeiro o Apito Dourado, uma montanha que pariu um rato (leia-se Boavista FC). Depois os casos Carlos Queiroz, Bozingwa, Simão e quejandos. Mais recentemente o assalto à FPF e finalmente o alargamento da 1ª liga para 18 clubes de forma a incorporar o Boavista…

Todavia para que esta última acção se desenrole é necessário que o clube do Porto faça prova de uma quantidade de pagamentos que tinha em atraso… Se assim não for mantem-se na liga onde se encontra actualmente. E o alargamento consumado!

Tudo somado, um imbróglio à portuguesa. O costume!

Podemos ter dos melhores jogadores do mundo, os melhores treinadores mas sem dúvida alguma exibimos dos piores dirigentes desportivos, especialmente no futebol. Se exceptuarmos o senhor Jorge Nuno Pinto da Costa, que do alto da sua antiguidade sabe mais a dormir que todos os outros com insónias, todos os restantes dirigentes são fraca gente.

A única coisa que pretendem é aparecer seja onde for, qual conhecido “emplastro” na Avenida dos Aliados. Faz tempo que ouvi alguém dizer que o negócio do futebol mexe com muuuuuuuuitos milhões. E quem mete as mãos nesse cesto de cifrões jamais tira de lá as mãos sem algo agarrado.

O pior é que olhamos aqui para a nossa vizinha Espanha, campeã da Europa e do Mundo, e surge com duas equipas nas meias finais da Liga dos Campeões. Algo se faz em Espanha para se chegar a esse patamar.

E Portugal? A nível de selecção vamos lutando para os playoff’s, porque já não sabemos ganhar como outrora. Quanto às equipas vivem numa dimensão tão diferente… quanto o sol é diferente da lua. É por tudo isto que Cristiano Ronaldo vê fugir, todos os anos, os melhores prémios para os adversários, mesmo que estes nada ganhem. É claramente a má imagem desportiva que continuamos a apresentar lá para fora que nos prejudica.

Talvez por isso José Mourinho apareça quase sempre como um homem a abater. Assim foi em Portugal, Inglaterra ou Itália. É a vez de em Espanha tentarem “incomodar” Mourinho apelidando-o de Ditador. Mas para o setubalense a forma soez e vil como o atacam ainda lhe dá mais força e prazer.

Para raiva dos seus inimigos…

Real Madrid quase, quase…

 

A equipa de José Mourinho, sem jogar grande coisa, conseguiu esta noite, ganhar no Santiago Barnabéu a um Galatasaray aguerrido, mas que não soube travar alguns dos jogadores mais influentes da equipa merengue. Cedo a equipa turca começou a perder, com um golo muito bem conseguido de Ronaldo. Vinte minutos depois o ponta de lança gaulês Benzema aumentava a vantagem para 2 a zero.

 

No entanto Diego López foi um guarda-redes sempre muito atento a Didier Drogba (muito longe dos tempos áureos do Chelsea) e a Atemtop, que nunca deixaram descansado o último reduto do Real. Creio mesmo que mereciam um golo de honra, tal a postura que colocaram em campo. Sabiam que iam defrontar uma equipa de maior valia, mas mesmo assim não se atemorizaram a arrancaram uma bela exibição.

 

Obviamente que a vitória do Real não merece contestação, mas acredito que se a equipa turca tivesse marcado apenas um golo, a eliminatória estaria muito longe de estar decidida. Assim creio que Mourinho pode já começar a pensar (e a observar!!!) o seu próximo adversário.

 

Faltam “apenas” jogar mais 90 minutos… Na Turquia!

Mourinho com sorte? Nada está ganho ainda!

Ao contrário do que muitos especialistas afirmam, hoje o Real Madrid não teve assim tanta sorte ao lhe ter calhado o Galatasaray da Turquia como próximo adversário da Liga dos Campeões. É sobejamente conhecido a forma aguerrida como os jogadores turcos lutam em campo e os adeptos puxam pela equipa. Ainda por cima, o primeiro jogo será no Santiago Barnabéu. Mesmo que o resultado da primeira mão dê alguma vantagem ao Real, o jogo na Turquia será terrível. Contudo é conhecido a postura de Ronaldo quando joga em ambientes adversos: é claramente um guerreiro.

 

O sorteio deu ainda os seguintes encontros: o Málaga de Antunes contra Borussia de Dortmund, o PSG de Ibraimovic contra Barcelona e o Bayern de Munique de Rivéry a bater-se contra a Juventus. De todos talvez o de maior incógnita seja mesmo o que oporá bávaros contra italianos. Acredito que com maior ou menor dificuldade o Barcelona e o Borussia passarão às meias-finais.

 

Prevêem-se quatro grandes jogos, com resultados e vencedortes algo indefinidos.

Mourinho – um pesadelo no “Teatro dos Sonhos”

 

José Mourinho está destinado para grandes feitos. Isso é inquestionável…

Pode-se não gostar dele, achá-lo embirrante, vaidoso, prepotente, mas ele é um treinador com sorte. Se não vejamos!

Na época 2003/2004 Mourinho treinava o FCPorto. Após ter passado aos oitavos de final num grupo onde o Real Madrid ficara em primeiro lugar, calhou-lhe em sorte o Manchester United com a primeira mão a ser jogada no velho estádio das Antas.

Desse jogo ficou o resultado de 2-1 a favor do Porto com golos de Benny Mcarthy. Assim Mourinho vai a Old Trafford com algum aperto. E pior ficaria quando aos 32 minutos Paul Scholles colocava o Manchester na frente do marcador.

Todavia a equipa de Mourinho beneficiaria de um erro de arbitragem ao anular um golo limpo ao United. No minuto 90 Costinha colocaria o Porto nos quartos de final de uma competição que viria a ganhar.

Hoje uma vez mais a história repetiu-se… No mesmo estádio com o mesmo treinador o Manchester não consegue bater a equipa treinada por José Mourinho. E outra vez devido a um erro de arbitragem.

O Teatro dos Sonhos tornou-se um pesadelo para os adeptos e jogadores de Manchester sempre que têm de receber a visita do setubalense.

Será que esta história terá o mesmo fim? A seu tempo se verá!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Os meus livros

Des(a)fiando Contos
Quatro desafios de escrita

Os Contos de Natal

2021
2022

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D