Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Confissões

 

Confesso, não gosto de Cristiano Ronaldo.

 

Vi-o jogar no meu clube de coração vezes suficientes para perceber que era um craque. Mas daí a ser homem… vai um passo gigantesco.

 

Mas o pior é quanto menos o admiro mais ele me obriga a engolir os meus (maus?) pensamentos. Bolas, é demais! Sofro horrores com este atleta.

 

No entanto se me perguntarem porque não o aprecio… nem sei responder correctamente! Mas foi algo que me ficou colado dentro de mim vai para uns tempos.

 

A Cristiano falta-lhe algo que tinha Luís Figo, por exemplo, e que se chama maturidade.

 

Quer se queira quer não, os jogadores de futebol têm a natural tendência para amadurecerem mais cedo que os da mesma idade e que não têm a mesma actividade. As viagens, os estágios, as longas ausências do seio familiar, o lidar constantemente com gente (muito) mais velha, dá ou devia dar uma maior capacidade de entender os problemas. E claramente crescer!

 

Ronaldo, não obstante a sua qualidade técnica e o seu talento inato para num segundo resolver um problema, é em campo ainda um miúdo, onde a sua voz não parece ser (muito) ouvida.

 

Restam-lhe finalmente os golos, sim! Para alegria dos portugueses e, obviamente, para meu desespero.

 

Selecção portuguesa vestiu-se de luto…

… para perder mais um jogo!

 

Se bem que tenha sido a “feijões” a realidade é que Portugal continua em queda. Se retirarmos algumas vedetas absolutamente titulares, a selecção torna-se uma equipa vulgar, sem capacidade nem engenho para dar a volta a um resultado adverso, mesmo que seja contra adversários teoricamente mais fracos.

 

Cristiano Ronaldo, Fábio Coentrão e Nani são actualmente os pilares base da selecção de todos nós (até quando?). O resto… provavelmente nem devia ser seleccionado!

 

Mesmo João Moutinho pareceu jogar hoje uns furos abaixo daquilo que nos tem habituado. E assim, a selecção sul americana mostrou ser mais equipa que Portugal. Mais entrosada e ciente do seu valor. Humildemente foi ganhando espaços no meio campo e na frente de ataque, especialmente na segunda parte…

 

Claro está que beneficiaram de um Eduardo sempre muito certinho quando joga na selecção: falha sempre!

 

E depois aquele auto golo de João Pereira… não lembra a ninguém!

 

Paulo Bento não pode nem deve ser responsabilizado, por não termos mais atletas de qualidade… Perguntem sim aos clubes, que compram no mercado estrangeiro, a preço de saldo, jogadores às mãos cheias em vez de investirem na formação.

 

Portugal perdeu bem mas nem jogou muito mal (já vi muuuuuito pior!!!). Apenas já não tem os artistas de outrora.

Táctica simples para ganhar aos Espanhóis!

Uma das coisas que muita gente se queixa de Portugal prende-se com os sucessivos atrasos. Ninguém chega a horas a lado nenhum, nem em reuniões nem em consultas, nada… E esta (má) imagem vai-se alastrando aos nossos companheiros da Europa.

 

Ora é aqui mesmo que hoje podemos ganhar o jogo à Espanha. Chegarmos a horas e começar o jogo para aí… cinco minutos antes do nosso adversário entrar em campo.

 

O que equivale dizer que quando os espanhóis, cientes que chegaríamos tarde como sempre, entrassem no relvado já tinham levado com três batatas.

 

Depois era só gerir o resultado até ao final do jogo.

 

Paulo Bento, espero que esta minha táctica para levarmos de vencida a Espanha, ainda chegue a tempo!

 

 

 

Portugal nas meias-finais: o nosso orgulho!

Desde 2004 que não via tantas bandeiras portugueses às janelas e varandas. Os portugueses, não obstante a crise que a todos tem afectado, foram ao baú e retiraram de lá, impecavelmente dobrada, a sua bandeira verde e vermelha e colocaram-na à mostra.

 

Cada um de nós, nada ganha ou perde se Portugal avançar para a final. Mas este sentimento de união em volta dos jogadores portugueses é algo que nos faz bem.

 

E não é por ser a Espanha a nossa próxima adversária, pois acredito que fosse quem fosse a selecção a defrontar este sentimento estaria obviamente presente.

 

Quando os nossos homens “bentos” saíram de Portugal, muito poucos (eu incluído, confesso!) auguravam grande futuro a esta equipa. Mas placidamente, como não quer a coisa, os rapazitos comandados por Paulo Bento foram conquistando vitórias.

 

Esta selecção pode até nem ganhar nada… Mas ganhou, isso é certo, a fé dos portugueses. Neste campeonato da Europa, Portugal passou a ser olhado e respeitado pelos adversários, única e exclusivamente por sua culpa.

 

Amanhã os jogadores vão colocar em campo toda a força lusitana. Os treinadores irão incentivar os atletas até que lhes doa a voz. Os demais portugueses que por cá ficam vão chamar tão alto o nome deste país, que no Donbass Arena em Donetsk ouvirão esses gritos…

 

 

Deixem-me sonhar!

Em posts anteriores fui muito crítico da nossa actual selecção. Assumi essa postura por achar que Portugal não parecia exibir de recursos, tanto técnicos, atléticos e até psicológicos, para poder ombrear com as outras selecções, que se apresentaram neste Euro 2012. Para ajudar a este meu raciocínio havia que juntar as exibições nos jogos de preparação contra a Macedónia e a Turquia (empate a zero e derrota por 3-1).

 

Veio então o primeiro jogo com a Alemanha, e Portugal, não obstante ter perdido por 1 a zero, pareceu bem melhor que os embates anteriores. Mesmo assim andava desconfiado!

 

Porém o encontro com a Dinamarca colocou Portugal na frente do marcador, com alguma sorte sim, mas também com mérito. Finalmente o desafio com a Holanda mostrou ao mundo uma selecção, que não obstante ter entrado a perder, conseguiu dar a volta ao resultado e apurar-se para os quartos de final com alguma impensável facilidade.

 

Hoje, contra a Républica Checa, a nossa selecção mostrou que tem argumentos para ir mais longe. O resultado desta noite peca claramente por escasso. E mais, fiquei definitivamente rendido à nossa selecção.

 

Com estes atletas repito o que disse José Torres algures nos anos 80: "Deixem-me sonhar!"

 

 

Nota: No Verão de 1985 José Torres "O Bom Gigante", na altura seleccionador nacional, em vésperas de um jogo com os Alemães, que era obrigatório Portugal ganhar para se poder apurar para o Mundial do México de 86, disse a seguinte e para sempre célebre frase: "deixem-me sonhar".

Como é do conhecimento geral Portugal ganhou por um a zero, golo fantástico de Carlos Manuel apurou-se para o Mundial de muita má memória....


Ainda a selecção... Você acredita?

Aceito que o Presidente da República Cavaco Silva, seja moderadamente considerado face não só às suas tristes e patéticas declarações proferidas num passado próximo, como até pela postura por vezes pouco lusitana e mais europeísta que tem assumido. Mas seja como for ele é o Presidente. E o PR é acima de tudo uma instituição que deve ser respeitada.

 

Vem este preambulo à tona pela forma como ontem Cristiano Ronaldo (mais uma vez!) se portou perante o mais alto magistrado da Nação. Ele pode ter pendurado nas orelhas brincos de diamantes, pode gastar milhões em novos carros, pode até ter uma namorada quase virtual, mas o que não pode (deve?) é tratar o Presidente da República por "você"!

 

Há coisas que a Federação devia ter cuidado quando entrega, a gente como Cristiano, a representação dos seus/nossos jogadores. O CR pode e sabe fazer umas habilidades com a bola: finta, corre, cabeceia, marca (quando quer!!!), eu sei lá o manancial de coisas que aquele atleta inventa com a bola. Ele pode até partir Ferraris como quem estraga um Fial Punto, porém a única coisa que não pode fazer é... falar.

 

Deem-lhe um papel para a mão com o texto escrito ou obriguem-no a decorar... Mas não voltem a deixá-lo dizer seja o que for. Ele não sabe falar, tem um vocabulário pobre e a sua dicção é no mínimo sofrível. Todos sabemos que Cavaco Silva nunca foi pródigo em grandes conversas, bem pelo contrário: cada tiro, cada melro...

 

Mas quase de certeza que nunca tratou ninguém por... você!

 

Você acredita?

A selecção do nosso desencanto?

Estamos a dias de se iniciar mais um Europeu de futebol.

 

A Espanha partirá claramente como favorita, tendo em conta o seu estatuto de campeã da última edição.

 

O nosso país vai estar presente neste europeu sem as estrelas que tanto deram aos clubes e pouco à selecção...

Na verdade, tirando 1989 em que a selecção portuguesa foi campeâ mundial de sub-21, nunca mais tivemos um título de categoria a nível de selecções. Mesmo o segundo lugar em 2004 não foi senão o primeiro lugar dos últimos.

Assim jogadores como Figo, Rui Costa, João Pinto e tantos outros que ganharam tantos títulos pelos seus clubes não obtiveram nenhum pela selecção A.

 

E dos fracos não reza a história.

 

No próximo Europeu vamos ter um conjunto de jogadores, pouco preocupados (leia-se motivados!!!) em jogar futebol, e em mostrar que são realmente bons. Pelo contrário, os atletas lusos irão estar mais (apenas!!!) preocupados com os contratos que podem vir a ser feitos e/ou melhorados.

 

Paulo Bento, por razões sobejamente conhecidas vetou José Bosingwa (campeão europeu!) e Ricardo Carvalho (campeão espanhol!). Já agora gostaria que o nosso treinador/seleccionador criasse outrossim um acontecimento de forma a vetar um ou outro jogador da actual selecção:

falo por exemplo de Cristiano Ronaldo, Quaresma, Pepe e Hugo Almeida... substituindo por outros de menos valia técnica mas de maior vontade interior.

Sinceramente não me lembro de algum destes jogadores terem feito uma exibição de se lhe tirar o chapéu com a camisola das quinas. Paulo Bento tem de ser muito católico para além de bento, pois necessitará de todos os santinhos para não sair da Polónia com três belíssimas derrotas...

 

Depois não venham com desculpas de que... isto e aquilo. Dispararem para todos os lados... evitando assumir responsabilidades.

 

A nossa selecção não é fraca...

A nossa selecção não é obviamente a melhor...

 

Porém faltam aos nossos atletas espírito de conquista. O mesmo espírito que levou os antigos navegadores a desbravar mares e continentes há quinhentos anos...

 

Vendemos esperança a rodos mas jamais compramos realismo e tenacidade. Infelizmente!

 Ainda assim só desejo: Boa sorte Portugal (porque a sorte, é a única coisa que ninguém consegue controlar!!!).

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D