Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Número redondo!

Se na minha vida do dia a dia sou muito flexível (uma forma simpática de dizer desorganizado!), já na minha escrita sou muito mais metódico.

Para ambos os blogues dos quais sou responsável, há um pequeno fiv«cheiro que diariamente vou alimentando com a informação que vou recolhendo, seja através das estatísticas da plataforma da SAPO, seja através de dados meus.

Bom tudo isto para dizer que na semana em que lancei o meu livro, este meu outro blogue recebeu o seu comentário número... 2000!

Conforme se pode comprovar nesta pasta retirada da minha caixa de mail onde arquivo todas as mensagens que recebo.

JX_2000.jpg

Vejam lá o número... quase tantos exemplares como o da primeira edição do meu livro (mentira!!!). 

A feliz contemplada foi a Mafalda do blogue Cotovia e Companhia. Assim esta fantástica sonetista irá receber como prémio um Obrigado e um Abraço. E uma viagem à Lua num vôo muito esp(a)cial da TAP.

É que a vida de escritor não dá para muito mais!

A gente lê-se por aí!

Este maravilhoso Mundo!

Há momentos, palavras, singelos gestos que deveriam ficar na nossa memória para sempre. Mesmo que o tal alemão nos abrace jamais deveríamos perder as boas recordações.

Quando há quinze anos abracei a blogosfera nunca imaginei que neste mundo (quase) virtual alguém conseguisse angariar fortes amizades. Enganei-me redonda e felizmente!

Pela minha parte confesso que quase todos os dias há um comentário, uma palavra, um gesto sentido que faz com que eu nunca esqueça aqueles que serão sempre maiores que eu: os amigos, mesmo que virtuais!

Li algures que a amizade é como um comprimido para as dores. Nunca andamos com ele, mas quando necessitamos sabemos onde ele está!

Tenho, nestes anos que por aqui deambulo, provas evidentes de que este mundo da Blogosfera é Maravilhoso. Obviamente que haverá quem não pense assim, mas por enquanto só posso dar graças a Deus a todos quantos aqui vêm visitar-me duma maneira tão voluntária e amiga.

Acreditem ou não sinto-me verdadeiramente um privilegiado e feliz neste Universo. (A minha idade já não me permite, de todo, mentiras!!!). Obrigado a todos vós!

A gente lê-se por aí! 

Quinze anos!

Estamos de parabéns!

Há década e meia neste mesmo dia 18 de Março aventurei-me no mundo da blogosfera. Comecei receoso, inseguro e sem saber muito bem onde me estava a meter.

Iniciei-me noutra plataforma para três anos mais tarde migrar tudo para a SAPO. Foi aqui então que principiei os primeiros contactos, essencialmente através de comentários, com gente que eu não conhecia. Que hoje são verdadeiros amigos!

Anos mais tarde decidi impôr a mim mesmo uma certa disciplina de escrita. Sabia de antemão que quanto mais escrevesse, melhor sairiam as coisas. Para isso decidi que todos os dias publicaria um texto, mesmo que só tivesse uma linha.

Há quem me questione no sentido de saber como consigo ter tema para escrever diariamente. Respondo geralmente com a frase: basta estar de olhos e espirito bem abertos!

É curioso a forma como escrevo. Todos os dias ligo o portátil abro um postal novo e desato a escrever. Porém há dias que simplesmente não me ocorre nada e estou ali numa luta entre o meu pensamento e as minhas mãos. Estas desejosas de dedilhar letras que se transformarão em palavras e estas em postais, enquanto a mente quer somente repousar.

O resultado deste conflito deu origem, neste derradeiro ano, a 427 postais, 3559 comentários, 358 “likes” do feicebuque, 412 favoritos e mais de 22 mil visitas que originaram um número bem acima das 61 mil visualizações.

Por vezes percorro os textos que publiquei desde 2008 e que se encontram numa espécie de Base de dados e escolho um ao calhas! Na maioria das vezes gosto de reler esses nacos de prosa, mas há outros... valha-nos Deus... são uma miséria!

Para terminar não posso, como sempre faço aliás, de deixar de agradecer a todos os leitores e comentadores que me visitam. Sou um previligiado em ter uma tal fidelíssima corte arrigementada para ler e comentar o que escrevo.

Bem-hajam!

A gente lê-se por aí!

Aniversário de escrita!

Hoje o meu blogue José da Xã está de parabéns.

Onze anos a escrever... coisas! Umas bonitas outras nem por isso, mas ainda assim sempre com o intuito de tentar ir mais além.

Faltará, porém, naquela escrita um rasgo, um momento único e brilhante que me faria realmente ser um verdadeiro escritor. Deste modo serei apenas um escriba pouco competente.

A gente lê-se por aí!

Para 2023!

Nunca fui pessoa para fazer resoluções só porque na folha de calendário muda um número. Mas percebo qual a filosofia apensa à ideia antiga de "Ano Novo, Vida Nova"!

Há dias, em conversa com uma pessoa, acabei por também pensar no que gostaria realmente de ver feito este ano.

Quase tudo relacionado com a escrita. Só podia... Até porque será a única coisa que eu consigo mais ou menos controlar.

Deste modo até ao final do ano gostaria de ver publicado o meu livro (não será aquele que mais desejaria!), escrever mais no outro espaço blogosférico (pode ser que com esta iniciativa do desafio o consiga!) e, quiçá, iniciar a preparação de um romance.

Este será, talvez, o meu maior sonho! Não me faltam ideias para o tema. Falta todavia o tempo para uma pesquisa aprofundada e necessária.

Depois poderá haver aquelas escapadelas que desejaria fazer como seria regressar à bela ilha das Flores ou uma viagem a um local, para mim desconhecido, neste rectângulo (ando a pensar em Almeida).

A ver o que conseguimos. Bastava uma delas (especialmente ligadas à escrita) e já me sentiria satisfeito!

Ainda o nosso livro!

Quando peguei nesta ideia de reunir textos sobre o Natal para os juntar num só livro nunca imaginei que esta aventura chegasse tão longe.

Depois do primeiro exercício em 2021 que teve um relativo sucesso, a equipa constituída pela Isabel e pela Olga e obviamente por mim, considerou que seria importante dar um passo no sentido de divulgarmos e, acima de tudo, reunirmos o maior número de bloguers num lançamento público e alargado.

Tudo aconteceu de uma maneira fantástica como muitos dos presentes deram fé nos seus espaços e eu próprio também fiz referência.

Não me irei repetir nos agradecimentos pois quase parece a filosofia de "pescada-de-rabo-na boca": ora agradeço eu, ora agradecem os outros.

Mas de uma coisa tenho (quase) a certeza: a blogosfera é um mundo fantástico. Com gente boa, empenhada, séria e amiga. Que se juntaram de forma desinteressada para criarem e lançarem estes dois livros.

A vida continua e há quem continue por aqui, há quem simplesmente desista, mas acreditem foi um prazer enorme ajudar a criar os livros.

Uma alegria tamanha que não sei nem consigo descrever!

A gente lê-se por aí!

Estais preparados?

A questáo que formulo no título prende-se com mais uma aventura literária.

Após o estrondoso sucesso que foi o primeiro livro com "Contos de Natal" compilados da blogosfera, eis que novo volume se aproxima.

Náo merece a pena irem já para a fila das livrarias com tendas e cobertores para comprarem o volume pois a próxima ediçáo será de muitos milhares de exemplares

Mais a sério prevè-se para breve uma novel compilação de "Contos de Natal". Muitos autores repetidos, algumas muito boas estreias e uma participaçáo muuuuuuito especial!

Face ao que precede mantenho a pergunta: estais preparados?

Hoje estou a tomar chá...

A Lu fez parte do projecto que se transformaria em livro contendo os Contos de Natal de 2019 e 2020 e que foi publicado, como muitos saberão, o ano passado.

Hoje, respondendo a um convite que a dona do blog Aqui há coração lançou, atrevi-me a ir tomar chá com a Lu. Reconheço que não sou um daqueles apreciadores de chá ou infusão. Mas um destes... assim virtual jamais se recusa. Diria que é um privilégio!

Portanto façam a fineza de ir até aqui espreitar a nossa brevíssima mas calorosa conversa.

Blogues abandonados!

Ontem, já noite dentro andei a reler uns textos meus antigos, para perceber quão diferente estaria (ou não) a minha escrita.

Dou de caras com um postal meu que fazia referência e ligação a um outro blogue. Visitei este e percebi desde 2021 que não tem actividade. Mordeu-me então o interesse em procurar outros espaços que visitei em tempos. Alguns totalmente fechados e sem acesso, outros também inactivos há uma série de anos.

Fiquei a matutar na razão ou razões que levará alguém a deixar de escrever, assim de repente! Pode-se, enfim, fazer um interregno umas férias, mas parar de escrever sem um mínimo de esclarecimento parece-me algo... triste! Não é forçoso que digam porque querem parar, longe disso, mas uma frase simples a dizer que "ai e tal vou de férias para as Maldivas" seria suficiente. Os leitores provavelmente agradeceriam.

O problema é que eu viciei-me na escrita. Retirando a família, a minha vida está intimamente ligado ao que vou publicando neste espaço. Preocupo-me em melhorar a qualidade do que escrevo, em responder aos comentários por mais parvos que eles sejam, em manter uma linha de continuidade por respeito aos leitores e eventuais comentadores.

Nunca este blogue chegará aos níveis quase estratosféricos de outros que conheço, mas isso para mim também não será o mais importante. O que conta mesmo é quem aqui vem leve algo diferente para contar e/ou pensar. Que se sinta em casa e que aprecie minimamente o que escrevo.

Lamento os que sairam sem nada dizerem. Jamais saberei ou saberemos das verdadeiras razões que leva tanta gente, que até escrevia muitíssimo bem, a abandonar os seus projectos de escrita, mas também sei (oh se sei!!!) que há razões que a própria razão desconhece!

Nota final para os que entram nesta aventura pela primeira vez: não se iludam com os facilitismos pois escrever num blogue dá imeeeeeeeeeeeeeeeenso trabalho.

Mas dá outrossim muito prazer!

Ser ou não ser... escritor!

Hoje recebi este simpatiquíssimo comentário a um dos meus postais:

"Hoje dia Mundial do Escritor.a minha homenagem ao José. 
Pela grande criatividade com que escreve os seus contos, postais, e outros textos . Bem-Haja."

Agradeci o comentário, mas fiquei a matutar nas palavras que lera. Consideraram-me escritor! Logo hoje no Dia Mundial do Escritoir!

Assim de repente até parece uma coisa fantásttica. Porém tenho dentro de mim sempre aquela desconfiança quanto à certeza de que sou um escritor.

É debate antigo, este! Já o discuti com diversas pessoas, quase todas elas unânimes ao afirmarem que eu posso considerar-me escriba, não obstante não ter (ainda) um livro assinado por mim. Tenho sempre contraposto com a ideia de que escritor é aquele ou aquela que ganha a vida a escrever, essencialmente livros.

Ora nunca ganhei um cêntimo com a minha escrita. Isto é, se tivesse de viver daquela, teria de andar a pedinchar comida na "sopa do Sidónio", para sobreviver. Daqui não me considerar escritor verdadeiro!

Não é por ter dois blogues e ter participado em dois livros de contos que posso inscrever no cartão de visita que ofereço a palavra... escritor!

Quem sabe daqui a uns tempos!

Até lá obrigado a quem me tem em tão superior registo!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O meu livro

Os Contos de Natal

2021
2022

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D