Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Um mau exemplo!

 

O futebol português jogado entre as nossas fronteiras é claramente diferente daquele que se joga lá fora. Senão vejamos:

- em Portugal um jogador só é castigado ao fim do 5º amarelo.  Assim os árbitros não se coíbem de mostrar amarelos por tudo e por nada (muitas vezes a pedido!!!);

- em Portugal todos os comentadores falam das arbitragens, sem conhecerem a maioria das vezes as regras essenciais do futebol.

- em Portugal os dirigentes desportivos tendem a defenderem o indefensável criando um ambiente quase explosivo

 

Posto isto, olhemos para o que aconteceu um destes dias com uma equipa portuguesa e com um seu jogador e percebemos como o futebol português intramuros vive uma crise de identidade (ou será seriedade?).

 

Pior que o empurrão de um capitão de equipa ao árbitro é a defesa impensável daquele clube ao jogador. Não se pode exigir seriedade somente aos outros. Temos de ser os primeiros a dar o exemplo. Custe o que custar, doa a quem doer!

 

Muitos dos meus amigos do clube de Carnide fazem gala em lembrar aos Portistas uma célebre corrida que José Pratas exibiu à frente de diversos jogadores do F.C.Porto, creio que numa final da supertaça em Coimbra. E com razão… Aliás para além deste caso muitos outros têm acontecido com aquele clube pelo tempo fora.

 

Os actuais dirigentes do nosso futebol não podem deixar passar em claro (leia-se sem punição) o que se passou na Alemanha. Na certeza de que se o fizerem, jamais um árbitro em Portugal será respeitado por todos os intervenientes.

 

Ao clube de Carnide tudo é permitido. E então àquele jogador que é grande (mas não é grande coisa!) ainda pior: marcar golos em cima do guarda-redes, cotoveladas nos adversários, empurrar os árbitros. E de tudo tem sido absolvido…

 

Até quando, senhores da liga? Até quando?

 

 

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D