Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Mau jornalismo, a quem serve?

Um jornalista em Portugal é uma figura acima de qualquer suspeita ou pelo menos ilibada de qualquer acusação.

Tudo o que diz e escreve é considerado uma verdade absoluta e indesmentível, mesmo que não corresponda à realidade.

Poucos são os jornalistas ou jornais que, confrontados com a verdade sejam chamados a tribunal para explicarem em que bases criaram a falsa notícia.

Custa-me entender que uma profissão que tem tudo para ser digna e que devia pugnar pela verdade, se deixe enredar em tricas e seja tão vilmente influenciada quiçá numa tentativa de fácil populismo sem paralelo, que em nada beneficia a classe e muito menos a população.

Talvez seja esta uma das razões porque os jornais têm cada vez menos leitores.

Vem este caso à baila pelas notícias, sem qualquer fundamento de verdade, sobre os supostos benefícios no Banco de Portugal. Ele foi a notícia de uma carro de golfe, uma quinta em Caneças e os cavalos ao dispor dos empregados e filhos. Eu sou empregado do Banco de Portugal vai para trinta anos e em relação a benefícios perdi o ano passado muito dinheiro. O meu subsidio de Natal foi taxado duplamente: uma pelo estado em sede de IRS (como a toda a gente) e a outra pelo BdP que deixou de pagar uma percentagem. Mas isso não interessa informar.

Obviamente o que me preocupa nem são os cortes que me foram efectuados no meu orçamento mas sim a forma vil como se acusa publicamente o Banco de Portugal de despesista quando esta entidade não vive do orçamento Geral do estado, bem pelo contrário! E que o façam na primeira página!

Os esclarecimentos enviados pelo BdP para o jornal i foram por outro lado, relegados para as páginas interiores. Os esclarecimentos não têm honra de

primeira página, especialmente quando vêm contradizer notícias incorrectas. Estes jornais mereciam ser julgados e condenados tal como o Jornal britânico

que acusou sem provas o cantor Elton John de atitudes menos correctas. Após um longo julgamento aquele cantor Pop apenas pretendeu que o mesmo jornal colocasse na primeira página, com a mesmo tipo e tamanho de letra da acusação as merecidas desculpas. O jornal assim o fez.

Em Portugal isto seria olimpicamente impossível.

Aquele diário pode vender mais jornais hoje ou amanhã, mas hipoteca para sempre a sua credibilidade e claramente a sua sobrevivência futura.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D