Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Educar é...

A educação será sempre um dos pilares da sociedade. Se for boa, integra, selectiva e competente a sociedade crescerá bem assente e irradiará essa educação por todos. Mas se ao invés esta for mal preparada, insuficiente, fugaz toda a sociedade crescerá baseada num tremideira qual gelatina.

Bom... ontem fui a um supermercado fazer compras e levei comigo a minha neta de três anos, miúda expedita e de resposta fácil. Não imagino a quem sairá...

Andávamos calmamente a encher um cesto quando passámos junto ao sector da padaria e onde uma senhora oferecia pequenos bocados de um bolo como forama de publicidade. Ofereceu-o também à minha criança que num tom simpático e sem necessidade de olhar para mim, respondeu:

- Não quero, obrigada!

A senhora sorriu e acabou por dizer:

- Que menina educada!

Hoje, quase 24 horas depois, dei por mim a pensar na frase da senhora e indo mais longe nos meus pensamentos questionei-me sobre como é... educar?

Como se consegue incutir um espírito pro-activo, mas seguro numa criança ou num jovem? Como poderemos mostrar o mal e o bem ao mesmo tempo fazendo que a escolha seja a mais acertada?

Estas e muitas outras questões obrigam-nos a pensar que educar é:

... a tarefa mais sublime do ser humano.

Que o digam os nossos professores!

 

Despedidas... caras!

Numa altura em que a sociedade foge de compromissos "como o Diabo foge da Cruz" custa-me entender as sucessivas festas de despedida de solteiro que vou sabendo da sua realização.

Não é que me importe, longe disso, mas uma festa para comemorar a perda da liberdade e entrada num cativeiro é que já não me parece uma ideia por aí além. Enfim... opções!

Então se fizermos a festa numa cidade longe do país, fará mais sentido? Nem sei dizer!

O que sei é de alguém que irá brevemente para uma cidade europeia (nem é a capital) com um conjunto de amigos para fazerem uma tal de "despedida de solteiro". Em contas redondas entre viagens (mesmo em low-cost), estadias, transportes e prendas ao noivo (que não são as de casamento) prevê um gasto de 1000 euros. Se a isto juntarmos comes e bebes (provavelmente mais bebes que comes!!!) e demais valências teremos uma despesa mui avultada.

Por fim assumo que também fiz uma festita de solteiro. Convidei uns amigos, fomos para uma cervejaria e bebemos até a casa fechar.

Depois... apanhamos o autocarro e fomos todos para casa!

Outros tempos!

Quanto valerá?

Faz por esta altura meio século desde que comecei a trabalhar. Tinha 14 anos, andava na escola e acabara de chumbar, o que hoje será o oitavo ano de escolaridade.

Durante o ano lectivo e perante as más notas que iam aparecendo o meu pai foi-me ameaçando de na eventualidade de perder o ano, teria de ir em busca de trabalho. No final do terceiro período  estava reprovado e fui logo no dia seguinte em busca de algo para fazer.

Acabei por ir parar a um café que abrira recentemente no centro do jardim da Cova da Piedade e onde fiquei dois longuíssimos dias simplesmente... a lavar loiça. Depois o meu pai acabou por me retirar de lá já que os horários eram demasiado longos. Num dos dias entrei às sete da manhã e saí já passava da uma da madrugada.

Todavia, por aqueles dois dias de trabalho recebi... 80 escudos ou 40 cêntimos no dinheiro actual!

Quando por vezes me recordo desse dinheiro ganho, como aconteceu hoje,  pergunto-me: a quanto poderá corresponder hoje aqueles 80 escudos?

Revisitar uma amizade!

Hoje falei com um antigo colega de trabalho. Quando entrei no Banco de Portugal, não obstante ser mais velho logo se mostrou bom colega. Trabalhámos juntos ainda alguns anos... na Tesouraria!

No entanto opções profissionais acabaram, anos mais tarde, por nos separar já que ele preferiu outros vôos mesmo que dentro da mesma entidade empregadora.

Todavia a vida tem destas nuances estranhas ou será que será como as marés do mar que são atraídas pela força lunar? Aconteceu que depois fui eu que zarpei para outros mares acabando por nos encontrarmos. Ajudou-me bastante em algumas escolhas que fiz e por isso e por muuuuuito mais, estou eternamente grato!

Hoje somos ambos reformados! Falamos de vez em quando por telefone e nesses minutos recordamos momentos bone outros caricatos e antigos colegas.

Ficou deste nosso relacionamento uma boa e franca amizade, daquelas que o tempo não destrói.

Obrigado C.

Aquilo passa-lhe!

Esta é infelizmente uma frase que se escuta amiúde quando se fala de alguém a quem foi diagnosticada uma vulgar "doença de cabeça" ou apenas "nervos", quando no fundo se está a lidar com uma profunda depressão.

Mais uma vez trago aqui este assunto, não só pela morte inesperada de Luís Aleluia, mas porque esta continua a ser uma doença... pouco valorizada!

Há três anos quando Pedro Lima se suicidou, voltou à ribalta a questão das doenças psiquicas. mas depressa caiu no esquecimento. Como quase sempre em Portugal.

A nossa actual sociedade não está ainda convencida que as doenças do foro psíquico são mesmo doenças... e graves! Pensam que aquilo são apenas manias, os tais nervos e outros epítetos.

Depois vêm estas tristes notícias e volta-se a acordar.... Mas infelizmente por pouco tempo. Portanto renovo a ideia de que é necessário esclarecer, explicar e alertas para possíveis casos de depressão ao nosso redor.

A ideia de que "aquilo passa-lhe" não pode nem deve ser levada em conta! Os custos desta postura quase libertina são catastróficos.

E pior... todos estamos sujeitos!

Viram todos!

A forma como o pivôt de telejornal da RTP 1 deu a notícia do falecimento dos turistas vítimas da implosão do submarino turístico.

Até eu que não costumo ver televisão recebi diversas notificações para não deixar de ver a forma espontânea e tenebrosa como José Rodrigues dos Santos deu a notícia.

Não me cabe criticar, nem fazer qualquer observação sobre a actuação do conhecido pivôt, até porque aquele jornalista tem muitas saídas daquelas (não se esqueçam do tão conhecido piscar de olho no final!), mas posso reconhecer algum sensacionalismo na maneira como deu a notícia.

A concorrência àquela hora, já se sabe, é enorme e portanto vale (quase) tudo em televisão.

Mas uma coisa é certa a RTP deve ter tido nos últimos dias muitas visualizações nas suas plataformas digitais.

O nosso Verão é muito certinho!

Parece que vamos ter um fim de semana assim pro quente! Já hoje se começou a sentir o aumento da temperatura.

Imagino que as praias estejam repletas de banhistas e as filas para aquelas, extensas. Mas a malta não se importa das viagens quase nipónicas para chegar à beira mar! E claro está também não se preocupa com o regresso.

Pela minha parte detesto estes calores assim repentinos. Daqui a horas ou dias os telejornais e os próprios jornais vão encher-se do tema habitual do Verão: fogos! Até parece que esfregam as mãos...

Ao invés das nossas vidas que nunca sabemos como vai ser o nosso futuro, em Portugal sabe-se sempre o que irá acontecer por esta altura. Uma teima que se mantém há tantos anos e para a qual nunca se vê um fim à vista!

O governo vende a ideia de que tudo está preparado, mas quando as coisas iniciarem haveremos de perceber em que nível de preparação estávamos.

A gente lê-se por aí!

Ecos do meu livro!

Creio já ter referido que jamais pensei que um livro mal amanhado como o meu fosse tão bem recebido pelos leitores. Obviamente que muitos destes (seria mais sério assumir... a maioria) sáo meus bons amigos desta e de outras bravatas. E assim sendo é natural que as palavras sejam normalmente simpáticas e elogiosas...

Já com poucos volumes para distribuir é tempo de aqui fazer referência a quem cuidou escrever sobre o meu livro. Porque é de toda a justiça agradecer-lhes publicamente tal gesto e tamanha gentileza. Não sei se sou merecedor de tanta simpatia, mas deixem-me ser um bocadinho vaidoso, coisa de normalmente não sou: as vossas palavras souberam tãããããããããããããõ bem e gostei tanto.

A lista que segue está por datas de publicação dos postais com as respectivas ligações:

Em Maio no:

Dia 22

Inicio esta lista com a amiga Isabel no seu Livros que são amigos;

Dia 24

A quase fadista Ana Mestre referiu-me no Thats'it;

Dia 26

Foi a vez da boa amiga Maria e o seu Cantinho da casa tal como a fantástica Cristina no Contos por contar;

Dia 30

a brilhante ilustradora deste livro, Olga, escreveu no A cor da escrita.

Em Junho no:

Dia 1

A incansável Anita com o Não me canso disto e o meu bom amigo João-Afonso com o Jam sem terra;

Dia 2

Foi a vez da minha boa amiga DI no fantástico espaço 1Mulher;

Dia 5

A Luísa lá na Pérola do Atlântico escreveu também no seu blogue Uma Pepita de Sucesso:

Dia 12

Neste dia a amiga Marta e o seu Marta-omeu canto abordou o livro:

Dia 14

A Mafalda do Cotovia e Companhia dedicou ao meu livro um enorme e belíssimo postal;

Dia 21

Neste dia foi a vez da senhora professora Maribel no hiper conhecido espaço Educar (Com)vida.

Portanto... tudo somado deu uma dúzia de óptimas referências ao meu livro e a quem renovo os meus sinceros agradecimentos por aquilo que escreveram e claro está pela divulgação que é sempre algo muito importante.

Bem hajam a todos.

A gente lê-se por aí.

Nota final: se alguém escreveu sobre o meu livro ou viu algo escrito e aqui não se encontra referido neste postal faça o favor de me avisar através de um comentário. A casa agradece.

Pág. 1/3

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Os meus livros

Des(a)fiando Contos
Quatro desafios de escrita

Os Contos de Natal

2021
2022

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D