Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

O cuidado é sempre pouco!

Imaginam quantos anos medeiam entre a cassete e a pen? E quanto espaço cada um arrumava?

tecnologia.jpg

Diria que em termos de história da humanidade pouco mais de 20 anos é um micro segundo. Mas em termos de tecnologia será muuuuuuuuuuito tempo.

Na minha casa guardo estas preciosidades. A cassete que serviu (não esta obviamente) para jogar por exemplo no Sinclair no dealbar dos anos 80, a disquete de 8 polegadas já estava descontinuada quando abrecei a informática, mas a de 5 e 1/4, ainda utilizei.

À direita da disquete mais pequena está um disco SATA de um velho computador contendo 250 Gigabites de espaço de memória. Note-se que a disquete de 8 polegadas da foto arrumava cerca de 800 Kbites de informação.

Já a pen creio ter apenas 128 Gigabites, mas note-se o espaço que ocupa.

Hoje ninguém necessita disto. Anda tudo nas nuvens a pairar por aí, mesmo com este calor, que guardam tudo e mais alguma coisa sem a necessidade de levarmos algo no bolso ou no computador.

Problema? A segurança...

Actualmente há máquinas dedicadas a tentar obter todas e quaisquer senhas. Nomeadamente nos acessos a contas bancárias. Portanto cuidemos dos nossos acessos porque o que se vê na foto supra já só serve para museu!

Educar o amanhã!

Entre diversas coisas que aprendi nos meus relacionamentos com as crianças (filhos, sobrinhos e outros petizes!), uma delas prende-se com a capacidade que os miúdos têm na resposta que devem dar à estúpida pergunta: gostas mais de quem?

Obviamente que o questionado percebe sempre que resposta deve dar e assim contentar quem lhe lançou a questão. Muitas vezes com direito até a prémio.

Nunca gostei deste estratégia para ganhar o carinho e a atenção das crianças. O melhor mesmo é descermos ao nível deles e participarmos nas suas brincadeiras, por muito parvas que sejam para nós (nunca são para eles!). Sermos um deles!

Educar hoje uma criança não é fácil (creio mesmo que nunca o foi!), mas quem educa deve ter sempre em atenção que nenhuma criança é igual à outra. Mesmo que filhos do mesmo pai e mãe!
As crianças requerem dos educadores muita atenção, genuíno carinho e uma enorme resistência psicológica. Diria que sem estes três vectores um miúdo pode facilmente desviar-se do bom caminho.

A disciplina deve ser ministrada, mas outrossim explicada e nunca olvidada... Uma criança que não saiba respeitar a disciplina que lhe é apresentada nunca singrará convenientemente na vida. Porque desde cedo aprendeu que o Mundo rodava à sua volta. Por isso tem de se habituar a escutar a palavra Não. A chantagem psicológica que muitas crianças utilizam para conseguirem os seus intentos nunca deve ser valorizada.

Por fim há que dar a perceber a eles que todos somos precisos... independentemente da idade e da capacidade intectual!

Hoje são eles que precisam de nós! Amanhã somos nós que precisaremos deles!

Vende-se tudo!

Todos os dias tomo consciência de que esta guerra que todos os dias nos entra casa dentro, esse tal de covid-19 bicho maldito, as ditas taxas de juro que mensalmente nos levam a gastar muito mais do que deveriamos, locupletando muito poucos, tudo isto repito leva-nos por vezes a assumir que o dinheiro que auferismo não chega para tudo!

Entretanto chegou-me às mãos a foto infra.

vende-se.jpg
(foto de Maria João Farinha)

 

Vi e revi e acabei por perguntar a este que se assina: o que levou alguém a pespegar este letreiro numa singela varanda? Terá sido a esposa, um inquilino ou o próprio a fazer (má) publicidade a si mesmo? Nem sequer estou perto de calcular quanto mais de imaginar!

Mais uma vez se confirma o que já se sabia há demasiado tempo: em Portugal tudo se compra e se vende! Rigorosamente tudo.

Haja quem ofereça dinheiro suficiente para tal!

Calar para ganhar!

Cada dia que passa neste triste rectângulo, mais se percebe que os nossos políticos têm uma noção de democracia muito própria. Então se estiverem associados ao governo em funções essa postura torna-se ainda mais evidente!

O que se passou na AR no dia 25 de Abril não engrandece nem os políticos e muito menos o país! Se Chega e IL optaram por posições radicais com o Presidente Lula da Silva, não é menos verdade que o actual Presidente da Assembleia da República poderia ter evitado dizer o que disse, tendo como alvo aqueles dois partidos.

Dei por mim a pensar e a questionar-me: mas se tudo o que Santos Silva fez tinha um propósito? Imagine-se que em vez de serem IL e Chega envoltos nesta polémica era por exemplo BE e PCP? O que não chamariam ao PAR... Mas acrescento... teriam toda a razão! como agora têm os outros!

No entanto fico com a estranha sensação de um "dejá-vu"! O antigo ministro de Sócrates e Costa estará a perfilar-se para chegar a Belém. Porém para isso necessita de todo o apoio dos partidos de esquerda e só o conseguirá lançando ataques à direita e extrema-direita!

Talvez não perceba que indirectamente é isso que os partidos envolvidos pretendem! Serem severamente atacados para depois se apresentarem ao povo como vítimas políticas! Especialmente o Chega!

Nesta cerrada batalha política por vezes calar é... ganhar!

E a esquerda ainda não entendeu isso!

Quando perguntar... ofende!

Diz o povo: "perguntar não ofende"!

Pois... já eu não concordo nada com esta máxima popular. Explico porquê!

Quando alguém se aproxima de mim, especialmente em casa, e me perguntam simplesmente "queres ajuda?", já sei que me estão a dar a indicação de que não me vão querer ajudar! Só perguntam porque... fica bem perguntar!

Portanto esta será uma pergunta daquelas que me ofende olimpicamente. No fundo no fundo quando me questionam já estão a partir do princípio que não vou querer ajuda, na mesma medida que não estão disponíveis para me ajudar!

Se realmente estivessem com vontade de me "dar uma mãozinha" como soi dizer-se, o que fariam é aproximar-se de mim e perguntariam: por onde começo? Isto sim é uma questão como deve ser e com sentido prático.

Daquelas que não ofende!

25 de Abril dia de ... agricultura!

Há muitos anos que deixei de participar em marchas, comícios ou festividades para este dia. Será bom não esquecer que daqui a 50 anos já não deve estar ninguém vivo para contar o que foi este acontecimento em 1974.

Portanto sendo feriado, que como reformado será (quase) igual aos outros dias, com a mera diferença de não ter comigo a minha neta, dediquei-me a zelar pela minha horta.

Neste momento tenho favas a crescerem com força,

20230425_110633_resized.jpg 

como se pode comprovar na foto seguinte.

20230425_110645_resized.jpg 

Diria que mais uma semana e estarão prontas para o tacho!

Entretanto os tomateiros já foram transplantados dos vasos para a terra. Se alguns gostaram da mudança outros houve que não se sentiram bem e morreram. Seja como for estava na hora de lhes fornecer a armação para que daqui a uns tempos possam elevar-se e brindarem-me com belos frutos.

Mas a coisa parece fácil mas requer trabalho, muito trabalho. E paciência... Que é coisa que tenho em abundância. andei toda a manhã e parte da tarde de volta da estrutura, em tronco nu (asneira, pois apanhei um escaldão!). Com um ferreo grosso criava um buraco na terra para depois lá colocar as canas que secas tornam-se frágeis. Finalmente atravessei as canas na horizontal e... "voilá" temos as peças montadas.

20230425_110056_resized.jpg 

Esta é a horta antes e a próxima foto a mesma horta... depois!

20230425_140307_resized.jpg 

Ainda fiz uma estrutura semelhante para os feijoeiros. Estes têm a vantagem de subirem e agarrem-se sozinhos sem a minha ajuda.

Diverti-me imenso neste dia 25 de Abril!

É só mais um 25 de Abril!

Hoje comemora-se mais um 25 de Abril. Vermelho, mas sem corantes nem conservantes (como brincavam naquela altura os anarquistas!)

Li há muitos anos que a história dos acontecimentos só se começa a fazer ao fim dos primeiros 50 anos. Portanto estamos a um disso acontecer.

Independentemente de mais 12 ou menos 12 meses a história daquela quinta-feira não se muda, por muito que tentem.

Hoje e com o actual panorama político pergunto-me muitas vezes se foi para isto que se fez aquele golpe de Estado, celeremente aproveitado pelo PCP para lhe chamar uma revolução. Diria que naquela altura nada percebia de política e muito menos imaginaria aquilo que iria acontecer muitos anos mais tarde.

A 11 de Março de 1975 o governo da época aproveitou umas escaramuças para fazer valer a sua ideia progressista e estatizante com a nacionalização de grandes empresas, bancos e seguradoras. Com os custos que mais tarde haveríamos de pagar!

O 25 de Abril poderia ser um marco MAIS positivo se tivéssemos uma classe política competente, com visão de futuro e focada no país! Porque o que temos são jotinhas (os senadores ou são demasiado velhos ou então já morreram!) fabricados nas concelhias partidárias, muitos deles sem sequer penetrarem a fundo no mercado de trabalho e que num ápice surgem no topo dos partidos. Conheço diversos e dos vários quadrantes políticos.

Se Salgueiro Maia e outros camaradas de armas que já partiram estivessem vivos agora, com toda a certeza que se sentiam desiludidos com o caminho que este país levou! Não me falem que prevalece a democracia pois esta também já tem os dias contados.

Basta que continuem a dar à direita azo para que tal aconteça!

O chamariz da Paz!

A guerra entre a Rússia e a Ucrânia é no actual contexto mundial assunto permanente em todas as reuniões de alto nível. Imagino eu!

Mas nestas coisas da política internacional nem sempre o que parece é (quase nunca!).

Vejo alguns presidentes de países a chegarem-se à frente no sentido de encontrarem meios e fórmulas de obterem a paz. Reparem que quem conseguir mediar este conflito de forma a alcançar o fim da guerra, ficará não só nos anais da história Mundial como angariará um enormíssimo prestígio para si e consequentemente para o País.

Notei isso com a visita do Presidente chinês Xi Jinping à Rússia. Como percebi a mesma ideia, logo no início do conflito, em Erdogan da Turquia, se bem que os interesses deste seriam também meramente locais. Agora escuto o actual Presidente Lula da Silva ao mostrar uma vontade de estar no centro das grande decisões internacionais. E o fim da guerra pode ser (será certamente) uma delas.

O problema porém está do outro lado da guerra, onde dois contendores estão olimpicamente de costas voltadas para a paz.

Dia Mundial do Livro - a novidade!

Se hoje é Dia Mundial do Livro faz todo o sentido falar da novidade...

Estará para breve a publicação de um livro em que terá este escriba como único autor.

Após a aventura que foram as fantásticas parcerias com outros bloguers e que originaram no lançamento de dois volumes com contos de Natal, é chegado a altura de me lançar no verdadeiro mundo da escrita!

Não é um romance, nem um conjunto de contos como pretendi inicialmente criar, mas tão somente a compilação de quatro desafios de escrita nascidos neste Mundo que é a blogosfera.

Os primeiros três no âmbito do blogue "Desafio dos Pássaros" e o quarto no seguimento de um outro desafio lançado pela Fátima Bento e que envolvia quadros!

Juntos todos os textos foram necesssárias muitas horas para revisão, alterações, diversas dúvidas, mas finalmente está totalmente pronto.

Com a capa e ilustrações criadas pela já reconhecida ilustradora, escritora e bloguer Olga Cardoso Pinto o livro, em breve, verá a luz do dia! Faltarão uns detalhes mas coisa de pouca monta!

Diria que é um sonho tornado realidade!

A gente lê-se por aí!

capa_JX_1_2-01.jpg 

Matar a sede!

aqui e aqui escrevi sobre este gato!

Independentemente do dia ou da hora a que chegue a casa é certo que passado um pedaço o Aparecido... aparece. A miar!

Sei que ele não olha para mim como amigo e muito menos como dono (ninguém é verdadeiramente dono de um felino!!!), mas como alguém que lhe dará algo que ele gosta. Quase sempre ração que compro de propósito para ele e uma ou fatia de fiambre de perú, que ele devora num ápice.

Mas hoje houve avanços e de repente este malando, após se ter lambido com os acepipes que lhe dera, saltou para o lava-loiças. Logo percebi que estaria com sede. Abri a torneira e ele não se fez rogado!

Com o filme infra é prova!

Pág. 1/4

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Os meus livros

Des(a)fiando Contos
Quatro desafios de escrita

Os Contos de Natal

2021
2022

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D