Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Tristeza!

Hoje que se celebra a vida de todas as mães, foi a tristeza que invadiu o meu dia.

Logo pela manhã recebi uma mensagem no telemóvel dando conta que um dos gémeos havia desaparecido.

Dizia assim:

"Morreu o Brown. Só tenho desgostos"

"Como?"

"Envenenado"

Nada mais escrevi... Não valia a pena, nada podia fazer. A sua vida foi curta. Demasiado curta. Mas deixa muitas saudades.

Muitas mesmo.

brown_.jpg

 

Tudo pelo poder!

O tema político dos últimos dias foi qual seria o candidato à Câmara do Porto por parte do PS, após a recusa de Rui Moreira.

O Partido Socialista tem muitas vezes esta tendência, quase mórbida, de dar tiros no próprio pé. Recordo assim de repente umas eleições autárquicas em que João Soares perde a Câmara para Santana Lopes no último instante. Anos mais tarde o PS deu apoio a Mário Soares para a Presidência da República dispersando assim os votos do partido entre o antigo presidente e o poeta Manuel Alegre, fazendo com este não ganhasse por uma unha negra.

Esta semana a secretária geral adjunta do PS voltou a dizer o que não devia. E pronto, entornou-se o caldo no Porto e Rui Moreira veio a terreiro (leia-se entrevista num canal televisivo) dizer de sua justiça.

Este caso confirma as minhas já antigas suspeitas de que o partido liderado por António Costa vive focado no poder a todo o custo e preço. Sem olhar a meios.

Novamente os políticos no seu pior. Como sempre têm sido em Portugal.

Esta minha cidade!

Trabalho no centro da cidade de Lisboa, ali bem perto onde se cruzam caminhos, alegrias e tristezas e onde a estátua de um antigo ministro de Portugal muito bem acompanhado pelo rei da selva , fiscaliza a baixa com o seu nome.

Do cimo do prédio onde trabalho tenho uma visão bem simpática das diversas colinas da cidade e até do Tejo, espelho fantástico desta urbe Pombalina e não só!

Um destes dias voltei a subir ao cimo do prédio e de lá conferi as gruas de construção que pude contar até á distância que a minha vista alcançou. Nove... A baixa de Lisboa quase sugere um verdadeiro estaleiro tal o número de torres altaneiras que ajudam nas obras de edificação.

Mas o pior é que os edifícios que se estão a construir são quase todos para hotéis. Isto é, o centro da cidade vai assim perdendo cada vez mais habitantes permanentes.

Daqui a uns tempos a baixa lisboeta tornar-se-á a ser um autêntico deserto… Se não o for já!

Daqui a uma semana!

Se tudo correr bem, de hoje a uma semana, estarei em Fátima a rezar:

 

- pelos doentes;

- pelos desemparados;

- pelos que não crêem;

- pelos que não sentem a fé;

- pelos pobres;

- pelos tristes e abandonados;

- pelas vocações;

- pela minha família;

- pelos meus inimigos;

- pelos meus amigos;

- pela paz no Mundo;

- por quem não pode ir;

- por mim...

Mau feitio no trabalho

Todas as grandes empresas têm bolhas de especialistas informáticos quando não enormes Departamentos nesta área, com diversas valências desde o desenvolvimento de aplicações internas até, quiçá, o mais importante: o suporte ao utilizador. Esta última vertente é a minha área, que não sendo nem boa nem má, é o meu trabalho.

Há uma ideia generalizada que o pessoal que dá o apoio informático numa empresa nunca está no seu lugar e demora horas a resolver um problema.

Pela minha parte tento sempre chegar a todos os lados, especialmente quando os problemas são de alguma gravidade.

Ao invés, há utilizadores que são autênticas “melgas” ao considerarem o seu próprio trabalho o mais importante da empresa, assumindo erradamente que se não fizerem aquele trabalho a empresa pára. Olvidam certamente que os cemitérios estão repletos de insubstituíveis. E pior que tudo, julgam que estamos ali para as servir…

Hoje tive de ir instalar um software numa utilizadora. Combinei com ela uma altura do dia e à hora aprazada comecei o meu trabalho. No entanto pedi-lhe que não se afastasse muito pois poderia ter necessidade dela. Respondeu-me que ia fazer não sei o quê, que seria rápido. Bom,  passado mais de uma hora aparece “fresca e airosa” sem a mínima preocupação com o meu trabalho.

Após breves momentos presentes voltou a desaparecer, sem deixar rasto.

Teve azar… bateu comigo. Não a procurei, a aplicação ficou por ser testada e eu sai na minha hora, já que tinha um compromisso ao qual não podia chegar atrasado.

Imagino o que terá ficado a pensar de mim, mas sinceramente dou pouco valor ao que os outros pensam.

O meu mau feitio a vir ao de cima!

As eleições francesas

AInda não tinha falado sobre as eleições em terras gaulesas. Aqui vai um  breve apontamento!

A primeira coisa a retirar da primeira volta das eleições presidenciais é que os franceses se cansaram da esquerda. No país onde esta realmente teve origem é curioso como a França está tendencialmente a virar à direita.

Não uma direita xenófoba, demagoga e malcriada como a de Le Pen, mas uma direita mais moderada com Emmanuel Macron que não me parece ser de todo, um homem de esquerda, não obstante ter pertencido a um governo de Hollande, chefiado por Manuel Valls.

Não imagino o que o eleitorado francês ditará no próximo dia 7, mas de uma coisa tenho quase a certeza: a União Europeia jamais será a mesma, seja com Le Pen ou com Macron.

A ver vamos!

A água dos nossos males!

Na continuação deste meu texto comecei a perceber a quantidade de pessoas que optaram por diferentes tipos de alimentação.

Há alguns anos havia somente os vegetarianos e os macrobióticos. Agora para além destes, há também os vegans, os paleo que descobri ontem e quiçá muitos mais!

Entretanto a Joana explicou-me a razão da sua opção, num comentário naquele meu post, e pelo que me disse ficou melhor com a opção tomada. Ainda bem...

Mas ainda ontem numa troca de comentários com aquela bloguer que vive em Oslo, prometi-lhe falar de algo que muitas vezes não se divulga e que pode ser a razão, a causa ou a origem de alguns problemas com os alimentos.

Falo de algo tão simples como a... água. Pois é, a água com a qual cozinhamos os nossos alimentos, pode ser um factor adicional para a origem de alguns distúrbios alimentares que depois se plasmam noutras maleitas.

Tenho provas palpáveis do que afirmei acima, que passo a contar:

Há uns anos largos, estava na cidade e fui cozer umas batatas para acompanhar umas sardinhas. Aquelas haviam sido oferecidas pelo meu pai que as havia semeado, sachado e arrancado de forma natural e sem uso de quaisquer produtos nocivos.

Pois bem... estas batatas ao fim de uns minutos de estarem a ferver desfizeram-se completamente. Quase parecia puré.

Curiosamente na semana seguinte fui à aldeia na Beira Baixa e levámos algumas daquelas mesmas batatas para cozinhar lá. O certo é que na aldeia as batatas estiveram ao lume a cozer e nunca se desfizeram. Ora a diferença só podia estar na água.

Face a esta experiência nunca mais bebi água da torneira, se bem que a de garrafa, por vezes me pareça também pouco saudável.

Termino com este video da Fonte Velha, lá na aldeia beirã, que corre água durante todo o ano. Fresca, cristalina sai das entranhas da terra e apetece beber sempre.

 

 

 

 

1º de Maio... dia do empregado?

Ainda não percebi se o 1º de Maio é o dia do trabalhador ou do empregado.

Porque reparem no que os nossos políticos dizem quando se referem à vida laboral:

- a taxa de desemprego está a descer;

- há menos desempregados;

- temos de incentivar a criação de emprego.

Nada de trabalho… nem trabalhadores…

Por isso o dia 1 de Maio está um tanto desvirtuado.

Digo eu!

1º de Maio... animal!

Entrou hoje em vigor uma nova lei que considera os animais “seres vivos dotados de sensibilidade e objeto de proteção jurídica”

Sempre tratei bem os animais mesmo aqueles que não aprecio e sou incapaz de matar ou fazer mal a qualquer bicho. E nunca necessitei de qualquer norma para tal.

Com esta nova lei a minha cadela deixou de ser um simples canino de quatro patas como sempre foi, para se tornar um ser vivo, também de quatro patas, só que desta vez... por decreto. É obra.

E depois há aquela questão jurídica da partilha dos animais de companhia, num caso de separação dos donos. Resumindo: a nossa legislação já é suficientemente complexa no nosso dia a dia, ainda foram acrescentar esta lei.

Mais uma vez Portugal na vanguarda da legislação europeia.

Ah! só uma dúvida... tenho uma cobra que comeu três pequenos ratos que estavam no quintal... Poderei ir preso?

 

Pág. 5/5

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D