Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Quem se lembrará?

Dei por mim um destes dias a colocar-me as seguintes questões: e se eu a determinada altura da minha vida tivesse tomado outra opção, diferente daquela que tomei? Que seria eu hoje?  Quem seria eu hoje?

 

As questões martelam-me constantemente a consciência, mas jamais saberei o que teria sido a minha vida se…

 

Efectivamente não vivemos de “ses” condicionais mas de “ces” de certezas. E é com estas que temos de lidar permanentemente. Todavia prefiro ter tido tomado uma má decisão do que viver eternamente numa dúvida.

 

Esta última ideia cai obviamente um pouco em contradição com as questões formuladas no início. E se…? Pois é… o homem é um ser em permanente dúvida e incerteza.

 

Lembrei-me deste tema porque apercebi-me que muitos dos meus antigos colegas de escola são hoje pessoas com carreiras fantásticas e profissões… relevantes:

 

jornalistas e analistas em que a sua opinião assume peso;

médicos que curam e salvam vidas;

militares de carreira que salvaguardam a nossa soberania:

professores que ministram ensinamentos aos mais novos:

académicos que ensinam doutrinas;

advogados que defendem grandes causas…

 

E eu?

Mantenho-me nesta espécie de mediocridade sem ser relevante para quase ninguém, a não ser para os meus. Será que algum daqueles meus antigos companheiros de escola ainda se lembrará de mim?

Duvido...

Tempo de férias (8) - Rever amigos!

Ontem foi um dia especial. Não à moda de José Mourinho, não obstante ter passado na sua terra natal e até mesmo lá ter almoçado um choco frito que estava uma delícia, mas porque visitei a Figueirinha uma praia sempre atractiva e acima de tudo porque revi velhos amigos...

 

Perto de vinte anos sem nos vermos é demasiado tempo. Os telemóveis, mails, facebooks ajudam a matar algumas saudades mas não é suficiente.

Por isso revê-los em dia de trabalho para eles, pois são ambos professores, foi uma alegria imensa.

 

Revisitar o passado é (muito) bom! E alinhavar ideias para projectos novos. Fantástico. A ver se conseguimos...

As férias também são saudades amenizadas ao rever bons amigos.

 

Obrigado MR por teres preenchido as minhas férias duma forma que não esquecerei!

Se hoje fosse vivo...

... comemoraria 68 anos de idade.

Falo de Freddy Mercury, um dos melhores vocalistas de rock de todos os tempos. 

 

A figura de proa dos Queen, nasceu em Zanzibar morrendo em Inglaterra em 1991, vítima de SIDA.

E como já tudo se falou sobre ele, nada mais tenho a acrescentar a não ser esta música que considero uma das mais belas canções de Freddy.

Nela há uma frase que marca, quiçá, a vida de Mercury: "Forever is our today!"

 

Para ouvir... e pensar!

 

 

 

Também aqui

Formigas, insectos que são um exemplo!

Algo que me aborrece olimpicamente é ter a casa invadida por... formigas. Basta inadvertidamente deixar uma simples migalha na bancada da cozinha para que minutos depois esse espaço seja visitado por centenas de insectos.

 

Reconheço contudo nestes bichos uma coragem absolutamente fantástica. Entram em qualquer lugar sem receio e prontas para... trabalhar para a sua comunidade.

 

Ontem assisti a mais uma invasão. Mas desta vez tive a paciência de ver o seu trabalho de equipa. E digo uma coisa... Tivessem os portugueses aquela garra, aquela genica e provavelmente o país não teria chegado ao extremo que chegou.

 

O naco ínfimo de pão que as chamou à minha cozinha foi transportado por uma equipa de muitas formigas que pacientemente transportaram a carga até ao destino final (que eu desconheço). A determinada altura perdi-lhes o rasto. E da mesma maneira de surgiram, desapareceram. Pois ali não havia mais nada a buscar.

 

Trabalhadoras, corajosas, tenases as formigas são o exemplo perfeito para toda a humanidade de como a união faz a força.

Tempo de férias (7) - Praia

Já escrevi que gosto muito de praia. Seja de qualquer maneira em qualquer lugar.

 

Hoje quando me levantei notei que a manhã estava plúmbea, triste. Mas com uma brandura de vento saborosa. 

Saí de casa para umas compras breves e necessárias quando no caminho apanhei com um "pó-de-chuva" que nem deu para molhar o carro. Nada que me atemorizasse!

 

Uma hora depois estava já na areia estendido a receber aquilo que o firmamento tinha para me oferecer: umas vezes um céu cinzento, outras um sol quase abrasador.

 

Não obstante a bandeira amarela a água estava um espectáculo!

 

Praia é praia! Independentemente da metereologia, sabe sempre muuuuuuito bem!

 

Tempo de férias (6) - Descanso

Há quem use as férias para rever amigos e familiares, fazer aquela viagem há tanto tempo pensada e desejada, para regressar à aldeia e assistir à festa anual sob a égide de um qualquer Santo.

 

Outros aproveitam ainda, para nos tempos de férias, planearem coisas muito diferentes do que costumam durante o resto do ano: desportos radicais, um campismo aventureiro ou tão só assistir a um dos (muitos) concertos de Verão.

 

Pois comigo as férias servem para... descansar. Praia, praia e mais praia. Dormir, ler e escrever. Somente!

Quanto às refeições, nada de muito complicado! Ah mas sempre bem acompanhadas.

Vínicolamente falando, claro!

Saber ler... os outros!

Os anos que já vivi deixaram-me algumas certezas, não muitas!

 

Uma delas prende-se com aquele sentimento, totalmente falso, de que tudo podemos e de tudo somos capazes ou pior... que não necessitamos de ninguém. Não há receios, nem temores que nos desviem do nosso pensamento ou ideia. Cremos que tudo somos capazes, que tudo de adapta à nossa vontade.

Um erro clamoroso!

Independentemente da educação, estado social, capacidade financeira ou mérito académico, há quem alimente a ideia de ser... omnipoderoso! Porém o destino, fortuna (ou a falta dela!!!), o mero azar ou para os mais crentes a vontade de Deus ou Karma, podem revirar a vida de qualquer um de pernas para o ar. E o que num determinado instante era pujança, fervor, tenacidade transformou-se em ruína, dúvida, incerteza.

É no preciso instante que adquirimos esta incerteza do nosso futuro, até então certo, é que percebemos quão frágeis e vulneráveis nos tornámos.

Mas nem tudo é negativo nesta (nova) postura. Aprendemos a defendermo-nos, passamos a ser mais calculistas, objectivamente olhamos o Mundo com outros olhos.

E tentamos ensinar…

… que o médico necessita do doente como este do médico;

… que o patrão só é por ter empregados e precisa deles e vice-versa;

… que todos nós, duma forma ou doutra, não vivemos isolados.

 

A alegria de podermos dar a mão, ajudar o próximo, nem que seja com um mero sorriso, faz com que eu indique mais outra das minhas certezas: a felicidade é naturalmente um sentimento tão subtil que se pode achar no gesto mais simples e mais singelo do ser humano!

 

Basta saber ler o coração do outro!

 

 

Pág. 4/4

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D