Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Euro 2012, a crise europeia adiada?

Quase todos sabemos que o futebol é o desporto rei. E com a vitória no último Domingo da selecção portuguesa contra a Holanda ainda mais se exacerbou a vontade de falar só de futebol.

 

Aliás as televisões e jornais são obviamente muito culpadas disso. Tudo o que passa para além do rectângulo de jogo e dos seus intervenientes é de pouca relevância…

 

Por isso o Rui Costa ganhou a Volta à Suíça e poucos o sabem. Uma noticia aqui e ali, uma entrevista rápida na altura da consagração e pouco mais.

De Pedro Lamy e da sua vitória nas 24 horas de Le Mans na categoria LMS GTE Am nem uma notícia.

 

Parece-me assim que às televisões não interessa informar com seriedade e isenção, mas usar a informação mais conveniente para os seus fins, que culminam claramente nas taxas de assistência.

 

Nestes dias de Euro mal se ouve falar de crise e desemprego. De fome e carência. De tróica ou FMI. Tudo isto passa para outras páginas, nos noticiários das nossas vidas.

 

Nota - Não vou colocar nos tags deste texto qualquer referencia ao Euro 2012.

Selecção portuguesa: um Pepe de força numa equipa de humildade

Portugal passou aos quartos-de-final muito por mérito da união de toda a equipa. Paulo Bento não devia levar a mal as críticas que lhe foram dirigidas ou aos seus jogadores, pois provavelmente foram elas o verdadeiro catalisador para a selecção chegar onde chegou. A partir de agora é a doer (como se os outros não tivessem sido!!!). E a equipa nacional tem, neste momento, confiança e capacidade de sofrimento suficientes para levar de vencida a Républica Checa. Basta para isso que, a humildade que colocaram em campo nestes últimos três jogos, não se transforme em soberba.

 

E eu, que fui tão crítico da nossa selecção antes de iniciar o Euro, rendi-me ontem ao jogo de Portugal. Hoje as capas dos jornais só falam de Ronaldo. Aceito que assim seja pois a festa do futebol são claramente os golos. E ontem o CR7 bisou… Parabéns a ele, que lhe são devidos, se bem que…

 

Porém há um jogador na selecção do qual não apreciava de forma evidente, mas que me tem surpreendido pela positiva. E muito! Ele é o verdadeiro “capitão”, sem braçadeira. E se Portugal está onde está a ele se deve. Falo obviamente de Pepe. Este homem é uma força da Natureza. Não obstante alguns gestos menos correctos em alguns jogos em Espanha que lhe valeram diversos castigos, o nosso defesa central está mais moderado e é um esteio. Seguro, viril sem ser violento, concentrado e eficaz, assim se pode resumir a actuação do defesa central do Real Madrid.

 

Gosto particularmente de jogadores assim. Canta o hino, torce por nós, cerra os dentes e vai à luta. Um assombro! Tiro-lhe o meu chapéu e faço-lhe a devida vénia.

 

A partir de agora os dados estão lançados. Podemos sair já ou partir para outros vôos. Seja como for esta selecção tem “pernas-para-andar”.  Basta quererem!

CR7 versus El niño - Qual o melhor?

RonaldoEu sei que esta fotografia vai correr blogues e mails, que vai ser tema de debates e discussão, mas depois do que vi hoje já sei quem vai ser o melhor do Mundo… Fernando Torres de seu nome.

Vencedor da Taça de Inglaterra e melhor, vencedor da Liga dos Campeões já marcou neste europeu dois belos golos. E para que não haja dúvidas entre um bom jogador (CR7) e o melhor do mundo nada melhor que estas imagens.

 

Uma noite, num jantar, dizia-me o saudoso Vitor Damas: só os bons guarda redes é que dão frangos, os melhores nunca dão!

Por isso não me venham com desculpas e dizer que todos falham. Os bons falham os melhores jamais…

 

 

 

 

 

A Europa desfaz-se!

O dominó começou por fim a cair: Irlanda, Grécia, Portugal e Espanha. Vem aí a Itália e o Chipre… E quantos mais?

A moeda Euro parece firmemente condenada a desaparecer. Muito dificilmente aqueles países recuperarão as suas economias. E só conseguirão se venderem as suas “jóias” a preço de saldo aos chineses. A Europa da pós II Guerra Mundial pretendeu assentar o seu futuro numa filosofia social. Melhor saúde, reformas e ajudas para as crianças e escolas quase gratuitas. Isto é o bem-estar dos europeus seria a verdadeira conquista após a guerra. Mas este conjunto de países não estava virado para o operariado mas sim para os serviços… Cresceu então o turismo e a finança. Criaram-se enormes centros de empresas que prestam a colaboração em sectores pouco produtivos mas obviamente necessários na “tal” economia de mercado.

O que não lembrou a ninguém, é que à Europa chegariam entretanto povos oriundos de antigas colónias (e não só!), mal formados e mal preparados para um mercado de trabalho em constante evolução tecnológica. A juntar à impreparação acrescente-se uma religiosidade fanática e muito pouco permissiva. E assim, em pouco tempo, as entidades com responsabilidades sociais viram-se descapitalizadas muito por força de uma mentalidade assente em pressupostos, não direi errados, mas contrários essa política social Europeia. Lembro-me de ler que havia homens em França (especialmente vindos do Norte de Àfrica!) que não trabalhavam, pois o dinheiro que recebiam da Segurança Social pelos filhos existentes era suficiente.

Temos assim, neste momento, uma zona do Mundo perfeitamente à deriva ou melhor a navegar à vista. Os problemas são resolvidos quase em cima do joelho não havendo um pensamento e uma atitude que abranja um futuro mais alargado. Os primeiros países a sofrer são aqueles de economias mais débeis – caso de Portugal. Todavia todas as restantes da zona euro irão, de uma forma ou doutra, sofrer com esta postura permanentemente corrosiva.

É necessário e urgente mudar o pensamento Europeu. Aquilo que foi em tempos uma verdade insofismável é agora um profundo centro de dúvidas. A requerer meditação…

Os Santos Populares

Lembro-me como se fosse hoje o que eram os Santos Populares no meu tempo de juventude: fogueiras na rua… alegria… balões… gente que passeava calmamente, rindo e brincando.

 

Hoje os mesmos Santos Populares comemoram-se em restaurantes típicos com sardinhas a preços que nem a tróica aprova. Depois há os carteiristas, que no meio da confusão de tanta gente nas estreitas ruas vão rapinando mais carteiras que o Estado nos retira em impostos todos os dias.

 

Ainda me recordo dos miúdos a pedirem um tostão para o Santo António tal qual como no filme O Pátio das Cantigas com Vasco Santana.

Adorava de voltar a sentir esse tempo e essa sensação de… liberdade, não obstante vivermos em tempo de ditadura. Hoje que vivemos supostamente em completa liberdade, tenho medo de sair à rua mais que uma certa hora. Ando no Metro sempre receoso de chegar à estação sem a carteira ou o telemóvel.

 

Nos restaurantes de antigamente de bancos corridos e toalhas de plástico aos quadrados, vinham os pratos para a mesa mal lavados e nós com os guardanapos acabávamos por limpar o resto. Ninguém morria por isso e até a comida sabia melhor…

Actualmente temos autoridades, que ainda não sei bem se já fizeram alguma coisa, que não fosse prejudicar quem anda a lutar pela vida de forma honesta. Eles são toalhas de papel, copos todos especiais, condições para a cozinha tal e qual um restaurante fino.

 

Por tudo isto já não saio de casa.

 

Para quê? Pelo menos cá dentro a ASAE não põe os pés.

 

Justo agradecimento

 

Caríssimos,

 

Estive, vai não vai, para não escrever este post. Aliás fazia todo o sentido nada dizer, pois como diz um dos meus filhos a Internet é assim mesmo: ingrata. Porque num dia estou na ribalta com centenas de “likes”, visitas e comentários e no dia seguinte tenho… duas visitas.

 

Todavia cabe-me dizer algumas coisas:

 

Em primeiro lugar agradecer profundamente aos gestores dos blogues do Sapo, por me terem colocado tanto na primeira página das vossas notícias, como nos recortes. E como não foi a primeira vez achei por bem, agradecer publicamente a simpatia que me têm demonstrado. Não sou claramente merecedor...

 

Em segundo quero outrossim deixar um agradecimento a todos quantos me leram. Sem vocês nada disto valia a pena… acreditem. Obviamente que não escrevo para determinado alvo. Apenas coloco neste espaço aquilo que sinto ou a forma como observo este mundo tão revolto… E que vocês têm a delicadeza de lerem. Bem hajam!

 

A terceira referência vai exclusivamente para os comentários. Alguns foram pertinentes, outros nem tanto. A determinada altura dei por a rir com o que ia lendo… Não era por falta de respeito aos comentadores mas à forma como alguns se referiram ao que eu escrevi dando-lhe todo o tipo de epítetos. Uns acham que sou isto e aquilo! Outros concordaram com a reflexão. Alguns ainda aproveitaram apenas para criticar. Ao fim e ao cabo tudo razões válidas. Seja como for quero também enviar os meus agradecimentos a todos os que comentaram.

 

Eu adoro debates. E creiam-me, se soubesse o que sei hoje, após ter lido tantos comentários e tanta opiniões, talvez não escrevesse aquele texto ou pelo menos daquela forma. Não tenho a mania de ser dono de toda a verdade, bem pelo contrário. Estou sempre aberto a novas ideias e ao debate. Só assim concebo a minha vida, só assim aceito viver.

 

Um abraço.

 

José da Xã

 

Ainda a selecção... Você acredita?

Aceito que o Presidente da República Cavaco Silva, seja moderadamente considerado face não só às suas tristes e patéticas declarações proferidas num passado próximo, como até pela postura por vezes pouco lusitana e mais europeísta que tem assumido. Mas seja como for ele é o Presidente. E o PR é acima de tudo uma instituição que deve ser respeitada.

 

Vem este preambulo à tona pela forma como ontem Cristiano Ronaldo (mais uma vez!) se portou perante o mais alto magistrado da Nação. Ele pode ter pendurado nas orelhas brincos de diamantes, pode gastar milhões em novos carros, pode até ter uma namorada quase virtual, mas o que não pode (deve?) é tratar o Presidente da República por "você"!

 

Há coisas que a Federação devia ter cuidado quando entrega, a gente como Cristiano, a representação dos seus/nossos jogadores. O CR pode e sabe fazer umas habilidades com a bola: finta, corre, cabeceia, marca (quando quer!!!), eu sei lá o manancial de coisas que aquele atleta inventa com a bola. Ele pode até partir Ferraris como quem estraga um Fial Punto, porém a única coisa que não pode fazer é... falar.

 

Deem-lhe um papel para a mão com o texto escrito ou obriguem-no a decorar... Mas não voltem a deixá-lo dizer seja o que for. Ele não sabe falar, tem um vocabulário pobre e a sua dicção é no mínimo sofrível. Todos sabemos que Cavaco Silva nunca foi pródigo em grandes conversas, bem pelo contrário: cada tiro, cada melro...

 

Mas quase de certeza que nunca tratou ninguém por... você!

 

Você acredita?

A selecção do nosso desencanto?

Estamos a dias de se iniciar mais um Europeu de futebol.

 

A Espanha partirá claramente como favorita, tendo em conta o seu estatuto de campeã da última edição.

 

O nosso país vai estar presente neste europeu sem as estrelas que tanto deram aos clubes e pouco à selecção...

Na verdade, tirando 1989 em que a selecção portuguesa foi campeâ mundial de sub-21, nunca mais tivemos um título de categoria a nível de selecções. Mesmo o segundo lugar em 2004 não foi senão o primeiro lugar dos últimos.

Assim jogadores como Figo, Rui Costa, João Pinto e tantos outros que ganharam tantos títulos pelos seus clubes não obtiveram nenhum pela selecção A.

 

E dos fracos não reza a história.

 

No próximo Europeu vamos ter um conjunto de jogadores, pouco preocupados (leia-se motivados!!!) em jogar futebol, e em mostrar que são realmente bons. Pelo contrário, os atletas lusos irão estar mais (apenas!!!) preocupados com os contratos que podem vir a ser feitos e/ou melhorados.

 

Paulo Bento, por razões sobejamente conhecidas vetou José Bosingwa (campeão europeu!) e Ricardo Carvalho (campeão espanhol!). Já agora gostaria que o nosso treinador/seleccionador criasse outrossim um acontecimento de forma a vetar um ou outro jogador da actual selecção:

falo por exemplo de Cristiano Ronaldo, Quaresma, Pepe e Hugo Almeida... substituindo por outros de menos valia técnica mas de maior vontade interior.

Sinceramente não me lembro de algum destes jogadores terem feito uma exibição de se lhe tirar o chapéu com a camisola das quinas. Paulo Bento tem de ser muito católico para além de bento, pois necessitará de todos os santinhos para não sair da Polónia com três belíssimas derrotas...

 

Depois não venham com desculpas de que... isto e aquilo. Dispararem para todos os lados... evitando assumir responsabilidades.

 

A nossa selecção não é fraca...

A nossa selecção não é obviamente a melhor...

 

Porém faltam aos nossos atletas espírito de conquista. O mesmo espírito que levou os antigos navegadores a desbravar mares e continentes há quinhentos anos...

 

Vendemos esperança a rodos mas jamais compramos realismo e tenacidade. Infelizmente!

 Ainda assim só desejo: Boa sorte Portugal (porque a sorte, é a única coisa que ninguém consegue controlar!!!).

 

 

Os meus relógios - III

... menos relógios.

 

Seguem abaixo mais quatro relógios com os quais convivo todos os dias...

 Este abaixo, é da Fábrica Boa Reguladora de Vila Nova de Famalicão. É um aparelho recente (mais ou menos vinte anos) de corda. Dá horas e meias horas e comprei-o apenas por que me recorda aquele que havia na minha escola primária.

 

 

 

 

O seguinte recolhi-o numa casa onde vivia um idoso. A família mais directa não o pretendeu e veio-me parar às mãos, graciosamente. Da marca Angelus é pequeno, sem despertador, mas sempre certo. A caixa envolvente é curiosa por ser muito, mais muito pesada.

 

 

 

Outro aparelho da Boa Reguladora. Tem carrilhão, toca as Avé-Marias ou Westminster, de forma crescente, de quarto em quarto de hora.

 

Adquirido apenas por gosto, não é obviamente o mais bonito mas é interessante.

 

 

 

 

O relógio que se segue é a minha nova "coceluche". Tem corda para um ano... Todo de bronze é relativamente pesado. Tem quatro esferas que rodam todas ou para um lado ou para o outro. Não sei de que ano é, nem a fábrica que o fez. Não dá horas nem tem despertador.

 

Todavia é de uma beleza fantástica.

 

 

 

 

Mais relógios...

 

 

Pág. 2/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D