Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

SIRESP é o quê?

Ando há dias a tentar perceber o que quer dizer SIRESP.

Nestas coisas prefiro, antes de tentar saber através de outras fontes de informação, descobrir por mim próprio o que as siglas representam realmente. Comecei por isso a puxar pela cabeça… Deu nisto:

 

Sistema Interno de Recepção e Envio de Sinais Parvos;

Sociedade Íntima de Recolha e Embalagem de Sítios Perdidos;

Sistema Interessado em Retirar ao Estudo os Salafrários Políticos;

Serviço Ímpar para Repelir o Estado das Suas Promessas;

Sistema Indetectável para Roubar o Erário ao Serviço Público;

Somos Imbecis, Rançosos, Estúpidos, Sépticos e Patetas;

Sistema Internacional para Reger e Enviar Sinais Planetários.

 

Qual destas opções será verdadeira? Ou não é nenhuma? Sugere outra?

A cusquice humana!

Creio ser da natureza do homem este tentar saber o que se passa na vida dos outros. Não imagino se é porque não quer saber da sua, se é somente por mera curiosidade ou outra razão qualquer. Talvez por isso as chamadas revistas cor de rosa tenham tanta saída.

Mas ao contrário do que é maioritariamente assumido pela sociedade não são só as mulheres as únicas interessadas na vida alheia. Há muito homem que é como o gato: muuuuuuuito curioso.

Hoje viajei de Metro. Este apresentava-se quase cheio e por isso fiquei, sem qualquer problema, de pé. Diversas pessoas ao meu redor: altas, baixas, brancas e de outras cores, portuguesas e estrangeiras. Uma miscelânea usual agora nos nossos transportes.

Numa estação entrou uma jovem que vinha vidrada no seu telemóvel, como é agora habitual. Ficou naquele meio a digitar e naturalmente receber mensagens. Entretanto percebi que um cavalheiro situado precisamente atrás dela, estava deveras atento no que a jovem escrevia, mesmo que o fizesse de forma dissimulada. Chegou ao ponto de se rir…

E eu a assistir. Placidamente!

Nova paragem e a menina volta a escrever. E o cidadão continuava a ler. De tal forma que a determinada altura nem fazia menção de esconder a sua atitude.

Pelo meu lado esbocei então um sorriso interior pois acabara de chegar à conclusão de que a curiosidade humana não é coisa somente de mulher.

Tudo à volta de um “pê”

O “P”residente de República disse, sobre o caso do roubo do “p”aiol de Tancos, entre outras coisas que “…não deixando ninguém imune…”. Eis assim a ausência de um pê. Em vez de imune não deveria ser im”p”une?

Outro pê que falta é o de “P”rimeiro-Ministro. Numa altura com tantos casos "p"roblemáticos, nada melhor que tirar uma semaninha de férias. À boa maneira lusa… A geringonça definitivamente foi a banhos!

Faltou também a décima segunda consoante ao Ministro da Defesa: falo de “P”ostura de Estado. Outro governante ter-se-ia logo demitido. Mas este “p”ermanece em funções.

Já nem refiro “P”edrogão Grande… Nem é necessário! Creio já ter sido tudo dito, infelizmente. Ou há outrossim outro pê de (não) “P”rotecção Civil?

Depois temos “P”assos Coelho que finalmente disse algo acertado sobre como este governo (não) funciona.

Termino com um último pê de “P”rofessora. Que divulga segredos a quem não deve. Numa época em que tudo se sabe, aquela técnica de educação quase colocou um ano escolar em causa.

Ora no nosso belo “p”aís descobri que há uma evidente ausência de “pês”.

“Pê” com se escreve “P”ortugal!

Pá... assim não vale!

Parece que a rainha da pop anda por aí "like a Virgin", a passear pelas nossas praias.

Quando soube da notícia disse para os meus botões de punho, que eu cá não sou desses: ena Portugal está mesmo na moda.

Mas como diz, e bem, o povo... mais vale um bom desengano que andar toda a vida enganado, descobri hoje que a dita cantora de "Like a prayer" veio ao nosso país porque o namorado, vejam lá bem... é português.

Bolas eu a pensar que aquela senhora que eu tinha visto nos jerónimos a petiscar um pastel de Belém era somente uma "Beautiful stranger".

Portanto... mesmo com tantas vitórias extramuros... com as contas públicas quase todas certas, Portugal ainda não entrou na moda.

Já fui enganado!

1º de Maio... dia do empregado?

Ainda não percebi se o 1º de Maio é o dia do trabalhador ou do empregado.

Porque reparem no que os nossos políticos dizem quando se referem à vida laboral:

- a taxa de desemprego está a descer;

- há menos desempregados;

- temos de incentivar a criação de emprego.

Nada de trabalho… nem trabalhadores…

Por isso o dia 1 de Maio está um tanto desvirtuado.

Digo eu!

Leonard no céu!

O que vou escrever a seguir poder-se-á apelidar de blasfémia mas nunca gostei muito de Leonard Cohen, especialmente da sua voz rouca e monocórdica. Nunca percebi bem porquê… Tal como não gosto de Bob Dylan, por exemplo…

No entanto sei que o desaparecimento do compositor canadiano é uma enorme perda para a música. Reconheço isso, com a humildade de alguém que gosta de música e que viu sempre em Leonard um mestre na sua arte de compor

Hoje o céu tem mais um artista a escrever, letras e músicas, para os outros anjos cantores. Só espero é que ele não arrisque cantar!

Crónica numa sala de espera

São cinco da tarde. Estou há hora e meia a aguardar que chamem a minha mãe para uma consulta médica. As pessoas vão entrando e saindo conforme vão sendo chamadas.

Entra então um casal. Ele veste umas calças cremes e um pólo a condizer e parece um homem normalísssimo. Como na sala só um lugar vago procura outra sala para se sentar. A esposa é o contraste e fica na sala onde me encontro. Veste uma túnica branca acabada de sair da máquina de lavar roupa, umas calças também alvas e calça umas sandálias rasas.

Senta-se e retira então de um saco uma bisnaga e toca a besuntar as mãos e os dedos com o creme saído e dos quais se destacam uns "cachuchos" enormes enfiados. O cabelo preto, obviamente pintado, contrasta com a roupa. A tez é morena de quem usa a piscina para ganhar alguma cor, e os lábios são finos mas brilhantemente vermelhos. Após a rotina das mãos segue o batom passado pelos lábios como estivesse para entrar numa festa em vez de um consultório. Depois rebusca mais coisas na mala e tira uma espécie de livro de apontamentos e o telemóvel. Assisto então, entre o divertido e o pasmado, ao seguinte diálogo:

- Boa tarde! Tenho uma cadelinha com uma... (disse a doença!) e necesssito de uma consulta para ela, urgentemente. O Dr. R... não é ortopedista?... Pois é esse mesmo... Necessito urgentemente de uma consulta.

Tudo isto foi dito num tom de voz que muitos homens não têm e com uns décibeis altamente nocivos para os ouvidos dos presentes. Mas regressemos ao diálogo:

- Sexta feira próxima? Não posso! Não vou estar cá. (A consulta era urgente, a princípio!)

A chamada parece ter-se desligado. Tenta mais uma vez mas parece que ninguém a atende.Finalmente:

- A chamada caiu... 

Combina a dita consulta. Liga novo número:

- Tá J... preciso que me dê os nomes dos comprimidos do Dr - supus que o tal doutor fosse o marido, naquele instante longe da esposa espalhafatosa e provavelmente muito descansado.

- Como? Ésse, ipsilon, éle, não é éle... ah éfe, sim... - e vai escrevendo no seu bloco notas.

O tom de voz mantem-se mavioso... Todos os presentes e quiça alguns ausentes no andar inferior, vão começar a saber quais os medicamentos... Depois passou para o que irá ser o jantar pois continua a falar num tom muito acima do que é normal. Desliga finalmente o telefone e já se consegue ouvir a televisão pendurada na parede.

De súbito levanta-se, procura a assistente e após breve diálogo, desta vez e curiosamente em tom baixo, parte deixando o marido sozinho.

Nunca mais vi tal personagem.

Entretanto a minha mãe foi chamada!

A parvoíce tem representação!

É tema de gozo generalizado a ideia apresentada pelo BE de um novo Cartão de Cidadão, retirando a palavra cidadão para a substituir por cidadania.

Estes partidos de esquerda truculenta e "chic", não devem ter mais nada que fazer ou pensar. O país está á beira de um novo resgaste, de mais austeridade e o partido de Catarina Martins preocupa-se com o suposto sexismo de um CC?

Por muito lado vou lendo algumas piadas sobre o assunto com muita graça e repletas de sentido. Estamos assim perante um partido apoiante deste governo mas assazmente preocupado com assuntos supérfluos, olvidando aqueles que são realmente prementes.

Se o BE teimar nesta ideia de igualdade entre homens e mulheres não tarda nada cria uma resolução para que os homens passem também a engravidar! Como? Perguntar-me-ão. Eu não tenho resposta para a questão mas uma destes o BE arranja uma com toda a certeza.

Esta atitude tem pouca consistência e só prova que o Bloco vive demasiado distante da realidade e do universo luso. Tivessem os seus dirigentes (ou as suas dirigentes???) a verdadeira noção do que se passa no seu país, talvez... repito talvez, criassem algo de mais construtivo.

O problema real é que eles julgam que são os únicos proprietários da verdade! E assumidamente não são...

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D