Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Estórias e histórias… minhas – II

Dizem que foi o Grouxo Marx que afirmou: “Há coisas mais importantes na vida que o dinheiro, mas são tão caras”.

Aquele comediante acabou por numa simples frase, resumir o que é normalmente a vida de todos nós. Conseguir algum dinheiro para ter coisas mais importantes.

À primeira vista o que atrás escrevi parece ser um contrassenso, mas se de forma serena e distante analisarmos a frase, ela faz todo o sentido. Mas fará para todos? É o que vamos ver…

Certo dia conheci um homem já com muita idade. Vestia sempre a mesma farpela havendo muitos sítios que já estava puído e quase roto. Vivia numa casa pobre sem luz, sem água corrente, sem mulher e muito menos filhos.

O tempo, passava-o a guardar gado deste e daquele! Uma barba grande e uma enorme calva faziam dele um homem estranho e consequentemente pouco sociável, tanto mais que nunca saía de casa, nem em dias de festa.

Um dia cruzou-se comigo à frente de um rebanho acabado de sair de um curral e deu-me a saudação. Que eu devolvi com a devida educação. Dias mais tarde encontrei-o a cortar lenha e perguntei se necessitava de ajuda. Ao que me respondeu que era velho mas ainda com força e estaleca para aquele trabalho. Mas percebi que gostou que lhe oferecesse ajuda.

Acabámos amigos e falámos de muita coisa. Do seu passado, dos seus desejos e vontades e imagine-se do seu futuro.

Mas de tudo o que ouvi dele retive uma mera frase que resumiu uma filosofia de vida. E perante a qual não tive argumentos contra. Tudo por causa do dinheiro. Disse ele então:

- Só espero que te divirtas tanto a gastar o teu dinheiro como eu me divirto a poupar o meu!

Um homem simples, inculto aos olhos de muitos, deu-me naquele dia uma lição que jamais esqueci.

Nunca segui os seus passos.

10 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D