Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Bastava um dia!

Se eu fosse Primeiro Ministro por um dia...

... Acabava com todos os Institutos!

Esta seria a minha principal e quiçá a única decisão.

Talvez seja eu que sou burro ou pouco inteligente, mas ainda gostava de saber o que faz um Instituto que não possa ser operacionalizado por um qualquer Ministério.

Há uns anos havia um ror de Institutos ligados à agricultura. Era o INGA (Instituto Nacional de Intervenção e Garantia Agrícola), o IFADAP (Instituto de Financiamento e Apoio ao Desenvolvimento da Agricultura e Pescas), o INA (Instituto Nacional da Agricultura), o Instituto Nacional do Vinho e da Vinha… eu sei lá que mais.

Porém, um dia alguém achou que eram Institutos a mais e juntou-os quase todos. Na verdade só os juntou no papel e na organização administrativa porque as funções... cada Instituto manteve as suas. Mais… até mantiveram as bases de dados diferentes e contabilidades distintas.

Ora como estes muitos outros foram criados sem se saber bem o que fazem ou pior… porque foram criados. Voltando ao cerne da questão a maioria destes Institutos poderiam estar debaixo de um qualquer Ministério ou nem sequer existir, porque a maioria deles não serve para coisa nenhuma…

Gostaria que se um dia alguém conseguisse, com a seriedade devida, contabilizar os gastos que o País apresenta com os Institutos talvez, reafirmo talvez, este Portugal jamais teria tido a necessidade de um resgate.

Não imagino sequer quantos Institutos há em Portugal alimentados pela máquina do Estado, nem me interessa, porque sei de antemão que haverá sempre razões muitos válidas para sua existência. Digo eu...

No entanto reafirmo que se cortasse a direito neste tipo de empresas do Estado, sem qualquer receio de represálias e enviasse para as Secretarias Centrais ou Direcções Gerais o pessoal oriundo dos ditos Institutros Públicos, enviando outrossim os seus dirigentes para umas “férias” por tempo muito indeterminado e sem direito a remuneração, certamente que o deficit nas contas públicas seria muito diferente.

Com toda a certeza para melhor.

Para mim bastava somente um dia!

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D