Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

É hora de parar!

Finalmente uma boa notícia para a blogosfera. Vou parar de escrever aqui.

Por vezes é necessário sentar, pensar e perceber que o melhor é... dar um tempo, entender se faz sentido continuar nesta perseverança.

Cada vez ando com pior feitio e tudo à minha volta merece crítica. Mas sinceramente já não tenho idade para comprar lutas e guerras que sei de antemão estarem perdidas.

Por isso, páro. Serão uma espécie de férias sabáticas.
Não estou zangado com ninguém. Bem pelo contrário, mas acho que está na hora do LadosAB descansar. Não o fecho, pois parece-me de muito mau tom fazê-lo, mas vai ficar inactivo durante uns tempos. Quanto tempo é que não sei...

Pronto e é tudo. Fiquem por cá bem que a gente lê-se por aí!

 

 

CR7 versus Messi

Estou cada vez mais convicto que a UEFA quer “à força toda” uma Final da Liga dos Campeões com clubes espanhóis de maior relevo. Isto é, um duelo europeu entre Cristiano e Messi. E esta intenção tem muuuuuuuuitos anos.

Os (poucos) interesses desportivos e os (muitos, demasiados) interesses financeiros, estão obviamente na origem desta férrea vontade do órgão máximo do futebol europeu. Não calculo sequer os valores assombrosos que andariam à volta de um jogo destes. Mas não só...

Acredito que a UEFA deseja afincadamente esta final para finalmente colocar Messi num pedestal mais elevado que Cristiano.

Mas para tal aquele órgão necessita que ambos os clubes consigam chegar à dita Final. Ora em anos anteriores tanto o Real como Barcelona têm chegado às semifinais e ás finais mas curiosamente nunca ambos no mesmo ano.

Tudo isto para explicar o quê?

Ontem estive em Alvalade com mais 48274 adeptos e vi um Sporting a ser massacrado por um árbitro que, enquanto a equipa blaugrana não marcou, não deixou de atemorizar os jogadores do Sporting. Qualquer toque num jogador da cidade condal, o atleta leonino era logo admoestado com a cartolina amarela. Um manual de como não se deve arbitrar.

Fiquei ainda com maior impressão quando após o golo de Barcelona o árbitro deixou de apitar tanto. Geralmente nunca perco a cabeça no estádio, todavia ontem perdi as estribeiras, pois jamais vi um juiz a preceder desta forma. Comentei que a ser daquela maneira o Sporting não acabaria com os onze jogadores. Mas Coates teve aquele azar e a partir daí tudo acalmou.

Nem imagino sequer o que faria novamente o árbitro se Bas Dost ou Bruno Fernandes tivesse marcado o golo do empate.

Tudo isto para explicar que se ontem estivesse no campo um juiz competente, provavelmente não estaria a escrever este texto.

E o Barça poderia não estar em primeiro!

 

Também aqui

De juras eternas a um divórcio litigioso

As relações entre Portugal e Angola estão numa situação demasiado periclitante. O senhor Presidente da República foi, ao que sei, o único estadista europeu a ir àquela antiga colónia portuguesa assistir à tomada de posse do novo Presidente da República Popular de Angola.

Ora até aqui tudo bem, já que naquele país trabalham muitos portugueses. Era necessário fazer-lhes ver que Portugal está atento.

O que realmente me surpreendeu foi que o novo PR angolano, no seu discurso de tomada de posse, nomeou uma série de países a quem quer dar primazia nas relações. Nesta espécie de lista, o actual Chefe de Estado Angolano, não referiu Portugal.

Penso que de propósito.

Esta posição tristemente marcada pelo novo governante angolano, não deverá ter caído bem nem Marcelo (mesmo que este diga o contrário) nem ao nosso próprio governo, não obstante as declarações esfusiantes de Costa.

Angola foi, desde a sua independência, um parceiro privilegiado de Portugal tanto nas importações como exportações.

Face a esta mais recente postura por parte daquele país Africano, Portugal poderá optar por um de dois caminhos:

1 - ou não liga e tudo acaba por passar como se nada tivesse acontecido, enfraquecendo naturalmente a nossa actual posição naquele país

ou

2 - dá um murro na mesa e pede o divórcio litigioso com consequências ainda por calcular.

Termino com uma máxima que, um dia, uma colega de trabalho me indicou: Antes perder um bom amigo que uma boa resposta.

É a hora de Portugal não deixar cair os seus créditos por mãos alheias, correndo o risco, se não o fizer, de perder toda a credibilidaade na esfera diplomática.

À atenção dos radialistas

Todas as manhãs oiço a rádio. Faz parte do meu caminho para o trabalho. Ajuda-me acima de tudo a enfrentar o trânsito matinal e no fim do dia.

Entre algumas coisas que os radialistas dizem, com graça e até com algum interesse, há algo que me custa escutar e que se prende com a previsão metereológica.

Oiço-os declarar com incontida alegria que o dia vai estar fantástico com temperaturas óptimas. Esquecem ou simplesmente desconhecem que por esta altura já deveria ter chovido alguma coisa. Especialmente neste ano de tanto calor e tamanha seca. É que já estamos no Outono. Há terras para lavrar e sementeiras para fazer.

Eu sei que os lisboetas não se dão nada bem com a chuva, Olvidam provavelmente que nada na natureza se cria sem água.

Mas se assim continuarmos, sem chuva, o próximo ano agrícola não vai trazer muita fartura.

Pois... mas os citadinos (e os radialistas) não estão claramente preocupados pois compram tudo nos supermercados... onde nada falta...

Até um dia!

Uma geringonça Alemã?

Ora bem... após as eleições deste último fim de semana temos então uma Alemanha a tentar virar à direita e uma Europa toda encolhida, qual cachorro maltratado, e ainda longe de perceber o que irá acontecer na maior economia da Europa.

Angela Merkel tem um grande problema entre mãos. O SPD, companheiro de coligação da chanceler, diz que não pretende fazer parte de um próximo governo passando para a oposição. A verdade é que a extrema-direita, que valorizou publicamente os soldados do terceiro Reich, passou a ter assento no parlamento. Esta postura vai criar um enorme desafio no Reichtag.

Face a esta nova ordem política interna Merkel vê-se obrigada a negociar com o SPD ou com os Liberais, ou até com os Verdes que têm assento parlamentar, de forma a evitar coligações com a AfD. O mais grave desta situação é que alguns destess partidos têm visões opostas às da Chanceler.

Portanto a Europa está obviamente espectante aguardando com alguma ansiedade que geringonça sairá desta nova Alemanha.

 

O Mestre A.

Ontem revi um antigo colega e amigo. Muito mais velho que eu, ainda assim não deixa de ser alguém que estimo muito.

À porta do meu trabalho falámos de muita coisa, mas a determinada altura ele parava de falar. Dizia-me que se esquecia do que estava a dizer. 

Eu já sabia desse seu problema e, portanto, serenamente refiz a nossa conversa de forma a ele retomar o fio à meada.

Estivemos ali longos minutos. Depois decidiu ir para casa e despedimo-nos. Vi-o finalmente partir no seu carro. Imagino que terá chegado bem…

Já em casa fui ao youtube e escutei umas músicas, que em 1975 e anos seguintes, faziam muito sentido na sociedade portuguesa. Fora ele que criara a maioria delas. Mal o reconheci nalgumas fotos que encontrei. Os tempos eram outros, menos idade e obviamente outras roupas.

Hoje escuto as suas músicas e letras que as acompanham com a nostalgia de quem viveu tempos estranhos.

Fica aqui uma das belas melodias criadas por este meu amigo e cantadas pelo agrupamento, do qual fez também parte.

 

 

The end!

Dei por hoje finda a minha época balnear.

Desde Março ou Abril que aproveito, sempre que posso, para dar um passeio até à praia. Entretanto foram as férias... também eelas de praia.

Mas hoje dei por finda esta benesse que ofereço a mim mesmo. E aos meus.

É que a partir da semana que vem temos... azeitona. Na aldeia dos meus pais.

Ontem à noite recebi a seguinte mensagem: "Está toda preta". Sinal que a azeitona está madura e pronta para ser apanhada.

Portanto durante os próximos fins de semana, partirei em busca dos viúvos bagos que darão (ou não) o esperançoso azeite.

Entretanto no próximo dia 8 estarei em Lisboa!

 

Pág. 1/4

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D