Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

A duas horas do jogo!

Precisamente a duas horas de se iniciar mais um derby lisboeta é hora de serenamente olhar-se para este jogo e dizer: que ganhe o melhor mas que o melhor seja o Sporting.

 

É por demais sabido a ilógica do futebol. Quantas equipas por esse mundo fora julgam ter ganho ou perdido os jogos sem os terem jogado? Só porque se julgam melhores ou piores que o adversário. Todavia o futebol está recheado de exemplos que contrariam a tal lógica futebolística.

 

Hoje em Alvalade o Sporting tem uma hipótese soberana de mais uma vez estragar as contas a alguns adeptos adversários que julgam já tudo ter ganho. O início deste campeonato, se bem que ainda no adro, mostrou um Sporting assaz diferente. Para melhor!

 

Todavia o adversário de hoje tem outrossim uma palavra a dizer durante os 90 minutos. Deste modo devemos esperar um pouco de tudo no jogo de hoje: bom e mau futebol, emoção a rodos e quiçá incerteza no resultado.

 

Espero e desejo, que a haver um vencedor, sejam os da casa.

 

E que o árbitro não se arme em “capelista” e se mostre à altura dos acontecimentos!

 

 

 

Também pode ler-se aqui

Um fogo de ideias

 

Ultimamente tenho lido demasiados textos, ouvido demasiadas declarações, assistido a infindáveis reportagens sobre os incêndios, as mortes de bombeiros e todas as desgraças inerentes aos fogos florestais que têm assolado o país.

 

As razões para tamanha calamidade são sempre as mesmas: matas mal limpas, aceiros deficientes, florestas demasiado próximas das povoações, descoordenação dos bombeiros, eu sei lá que mais.

 

Invariavelmente um dos alvos das acusações são os donos das matas e dos pinhais, que os mantêm na maioria dos casos sem limpeza e sem o trato devido.

 

No entanto é tempo de se olhar para este “velhíssimo” problema e que todos os anos aflige o país, através de uma visão profundamente séria e o mais próximo da realidade.

 

Senão vejamos:

 

1 - A evolução tecnológica e social de Portugal desde o 25 de Abril deixou que a constante procura nas aldeias de lenha para as lareiras e fornos deixasse de existir. Assim passou a ficar na terra todo o tipo de ramagem e caruma, altamente combustível.

 

2 - As matas passaram a ser locais preferidos por muita população para deixar os resíduos inorgânicos. É frequente observar nos pinhais por detrás dalgumas giestas, pequenos montes com electrodomésticos, mobílias velhas e até cadáveres de animais.

 

3 – Até há alguns anos era extraída dos nossos pinheiros a resina, hoje totalmente em desuso. Assim aquelas árvores tornaram-se perfeitas tochas incendiárias.

 

4 - Coloco por fim a todos os comentadores e acusadores de proprietários de pinhais as seguintes questões: imaginam quanto custa um homem por dia a limpar como deve ser uma mata? Sabem quanto custa à hora, uma retroescavadora para fazer os aceiros?

 

Reconheço que serão demasiadas observações para muito poucas ou nenhuma soluções. Mas antes de acusarem um idoso que tem meia dúzia de hectares de pinhal sem ser tratada e 200 euros de reforma por mês, é imperioso entender o verdadeiro problema. E saber como combatê-lo.

 

Ao fogo ataca-se com água.

 

Quanto a este já não sei!

Mourinho versus Guardiola - Um reencontro (bem) aguardado!

 

 

É já amanhã em Praga, que se realiza a final da supertaça europeia. Se em anos anteriores este troféu surgiu (quase) sempre como um troféu menor, este ano o panorama revela-se bem diferente. Ou não fossem os treinadores de Bayern e Chelsea figuras profundamente mediáticas e com estilos de futebol bem diferentes.

 

Temos assim a repetição da final da Liga dos Campeões de 2012, onde o Chelsea de Di Matteo levou a melhor sobre o Bayern de Munique de Jupp Heynckes nas grandes penalidades, após um empate a uma bola no tempo regulamentar.

 

José Mourinho e Pepe Guardiola são treinadores que se conhecem demasiado bem. E se por um lado o Bayern surge como o grande favorito à conquista da supertaça europeia, creio no entanto, que a equipa de Londres ainda terá uma palavra a dizer.

 

O homem de Setúbal é pródigo em escaqueirar estatísticas. E será talvez por isso que ninguém aposta totalmente numa vitória germânica, mesmo que neste momento o Bayern seja a melhor equipa à face da Terra.

 

Aposto naturalmente num empate ao fim dos 120 minutos. Depois será a “velhíssima” lotaria das grandes penalidades. E aqui… quem sabe?

 

Enfim que ganhe o melhor!

 

Mudança

 

Por razões que agora não interessam aprofundar, regressei à minha antiga imagem do blogue.

 

A foto é minha tirada vai para uns anos largos num início de Primavera perto de Castelo Branco. Gosto imensamente desta imagem não só porque predomina o verde, que é a cor do meu clube, mas porque a foto mostra, por assim dizer, dois lados de um caminho, que naturalmente tem sido o meu. Com poucos altos e muitos baixos.

 

Ainda assim calcorreio esta estrada da vida na vã esperança de sonhos diferentes.

 

Todos os dias a todas as horas.

Orgulho lusitano

 

Quando em Maio de 2013 neste post falava num eventual regresso de Mourinho a Inglaterra, jamais calculei que o destino fosse uma vez mais Stamford Bridge.

 

Pois é, há coisas levadas da breca neste negócio do futebol, correspondendeo desta forma o que disse uma vez um antigo dirigente do Vitória de Guimarães: o que hoje é verdade, amanhã é mentira. Deste modo é possível ver-se Mourinho, uma vez mais, a dirigir a equipa do bairro rico de Londres.

 

Mas sinceramente o que mais gostei de ver, foi a forma espontânea mas sincera, como todos os adeptos do Chelsea, sem excepção, receberam o português José Mourinho no seu estádio, no primeiro jogo frente ao Hull City.

 

Um exemplo de enorme desportivismo e cidadania e que obrigou o setubalense a levantar-se, por mais de uma vez do banco de suplentes, para agradecer os aplausos com que foi brindado.

 

Numa altura em que Portugal e os portugueses são notícia, nem sempre pelas melhores razões, nada melhor que ver (e ouvir) um treinador luso ser ovacionado daquela maneira.

 

Um diferendo improvável!

 

O Governo Regional da Madeira parece não ter ficado muito contente com Jesus durante o jogo de ontem. Ao que parece aquela entidade madeirense pretendeu saber porque Jorge Jesus não se ajoelhou quando o Marítimo marcou o segundo golo, tal como fez no Estádio do Dragão…

 

É que na Madeira também há um papa. Chama-se Alberto João!

Tristes coincidências?

Ninguém se sente indiferente às mortes de bombeiros, ocorridas nas últimas semanas. Os incêndios que continuam a devastar, o nosso já pobre património florestal, têm trazido consigo esta tristeza de ceifar vidas inocentes.

 

É claramente preferível que arda uma centena de árvores a que se extinga uma vida humana. Esta jamais será substituída enquanto as árvores, duma forma ou doutra, poderão e deverão ser replantadas.

 

Mas a frequência com que este ano tem surgido as mortes dos soldados da paz e carros de bombeiros incendiados, dá-me que pensar.

 

Não imagino sequer a que se deve tantos e tão trágicos acontecimentos em tão pouco tempo. Apenas quero crer que são (mui) infelizes coincidências.

 

Ou será que não?

Já sinto saudades do futebol... a sério!

 

É já no próximo fim de semana, mais precisamente amanhã com um “apetecível" Paços Ferreira-Braga, que arranca mais um campeonato da primeira Liga. Após um “annus horribilis” para o Sporting, culminando na pior classificação de sempre da sua longa história, esta nova época inicia-se sob os auspícios de que “pior é impossível e daqui para a frente, o Sporting só pode melhorar”.

 

As novas contratações têm, neste contexto mais ou menos adverso, muito pouca margem de erro e devem logo de início provar a razão da sua contratação, sob pena de recaírem, sobre a actual jovem direcção, renovadas acusações de ruinosa gestão.

 

Sou do Sporting por paixão mas tenho consciência que os tempos que se aproximam não irão ser fáceis, nem para os atletas, treinadores e dirigentes e muito menos para os tão sofridos adeptos.

 

Há, acima de tudo, que ter paciência. Uma (boa) equipa não se faz em meia dúzia de jogos de pré-temporada. Esta serve, essencialmente, para uma primeira avaliação da qualidade de recursos ao dispor do treinador. Com os jogos vão-se percebendo onde há necessidade de afinações e aproveitar-se os jogadores do plantel para os indispensáveis ajustamentos.

 

Não quero cair na apetecida tentação de falar dos adversários. Porque a poucos dias do Sporting iniciar em Alvalade a aventura futebolística deste ano, todos e repito todos, são adversários e merecem o mesmo respeito, sejam eles candidatos a ganharem a Liga ou simplesmente candidatos a lutarem por não descer de divisão.

 

E será, talvez, abraçando este pressuposto, que o Sporting pode, ao ganhar jogos, assumir um estatuto diferente, do qual está arredado vai para alguns anos.

 

Enfim, que role a bola, pois já sinto saudades!

 

 

Também publicado aqui

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D