Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Mensagem de Ano Novo que não gostei de escrever

Nunca como agora sinto que as pessoas estão com receio do próximo ano. Ninguém sabe bem o que os espera. Mas que não vai ser bom, isso é certo!

O ano de 2012 trouxe ao de cimo muitas das nossas fragilidades. O que julgávamos estar certo até à morte passou a ser incerto. Vivemos tempos assaz difíceis. E o pior não é a dificuldade do momento, mas a profunda incerteza que o futuro nos reserva.

Já ninguém acredita, aceita ou concorda com esta nova forma de viver em Portugal.

Dirão alguns supostos especialistas, que vivemos durante anos a fio acima das nossas possibilidades. Pois é… até acredito que seja verdade. Mas o malogrado Primeiro-Ministro sueco, Olof Palm, dizia que o maior desejo deles era acabar com os pobres. Em Portugal ao contrário daquele, vão-se criando cada vez mais pobres.

E o ano de 2013 vai ser o maior exemplo do que atrás escrevi.

Há quem diga que tivemos de recuar uns bons passos para voltarmos ao caminho correcto. Todavia neste recuo muitas famílias vivem momentos desesperados, sem comida ou dinheiro para o mínimo essencial. E isso não é justo!

Não sei o que estarei a escrever daqui a um ano, mas gostaria muito que as palavras fossem outras bem diferentes das que atrás escrevi.

Ainda assim, desejo a todos o melhor que 2013 vos possa dar.

E acima de tudo, jamais percam a esperança em dias melhores!

Esta é a mensagem que não gostei de escrever…

 

 

Publicado também aqui

A pedido…

 

Muitos (poucos) dos que me lêem perguntam porque dei a este blogue o nome de LADOSAB. A bem da verdade nem fui eu que baptizei este espaço. Foi uma amiga que comigo iniciou esta aventura (onde andas Clô?) de abrirmos um blogue. Nesse dia fomos dando sugestões até que ela surgiu com este. Gostei do nome e assim ficou.

Começámos noutra plataforma, mas depressa e em boa hora, mudei para a SAPO… Desta vez sozinho!

Mas há razões para o nome ser assim. Senão vejamos: a vida tem sempre pelo menos duas visões! A nossa e a dos outros!

E tal como as moedas que saltitam nos nossos bolsos que têm cara e coroa, a vida apresentasse-nos sempre de duas formas: uma é a nossa vontade, outra é a realidade.

Daí o Lado A e B da vida… E do blogue!

Regresso desejado

Segundo informações, obviamente indignas, os mercados do Bolhão no Porto e da Ribeira em Lisboa, vão reabrir as suas portas durante o próximo ano.

 

Confirmam-se assim as previsões do senhor ministro das Finanças, de que Portugal regressará aos “mercados” em 2013.

Contas feitas!

Estamos a chegar ao fim de 2012. É tempo de fazer as contas. Nem sei se são de somar ou subtrair. Provavelmente mais desta última tais são os benefícios retirados a (quase?) todos os portugueses.

 

E nestas coisas de contas há sempre quem veja e interprete os números de forma diferente. Uns valorizam a queda do deficit, outros alertam para o profundo abrandamento da economia, e há aqueles que se queixam apenas porque… é moda!

 

Escrevi aqui no inicio deste ano que os portugueses tinham de mudar de atitude perante a vida e a sociedade. Nada estava dado como garantido como tinha sido até aqui. E acima de tudo haveria que mudar a ideia de que só temos direitos e (muitos) poucos deveres. Como também já aqui referi, Portugal não é um país rico, que se dê ao luxo de desperdiçar as verbas que vai retirando aos seus portugueses, seja através dos impostos directos, quer através dos indirectos.

 

Também aqui critiquei este governo, não pelas acções que teve de tomar (a troika assim o exigiu!!!), mas pela forma pouco cega como o fez…

As gorduras do estado não são os carros ou os motoristas dos ministros … mas as verbas pagas às PPP’s e que vão durar por muitos anos. As gorduras estão num Estado que criou hospitais sem ter gente especializada para lá colocar. As gorduras estão nas centenas de quilómetros de auto-estrada sem veículos, mesmo quando não havia portagens.

 

Há gorduras nas fundações, nas autarquias, nos IP’s…

 

2013 que se aproxima não vai ser melhor… bem pelo contrário. O desemprego, a fome, a miséria vão crescer.

 

O pior é que nunca ouvi falar tanto de Salazar como agora. Vá-se lá saber porquê?

Novas medidas para 2013

 

Regressado de umas mini férias de Natal, acabo de saber que o Governo português decidiu retirar, para além dos subsídios, alguns anos às pessoas.

 

Assim, parece que a partir de 1 de Janeiro próximo, o Estado retém anos a quem é mais velho. A tal justiça social assim o obriga: quem mais tem mais se tira…

 

Por exemplo: quem neste momento marca no seu BI, 80 anos são-lhe retirados 10 anos, passando a ter setenta anos.

 

Existe naturalmente um problema jurídico: será que quem ficar com menos de sessenta e cinco anos tem de voltar a trabalhar?

 

O governo está a estudar as soluções!

A minha prima Isilda

Descobri faz algum tempo um talento numa prima, Isilda de seu nome: o de escrever poesias.

Nasceu numa pequena aldeia, de nome estranho: Covão do Feto.

Aprendeu a ler e a escrever sim, mas cedo partiu para a fábrica para trabalhar e ganhar o seu sustento. Um dia, porém, decidiu procurar sorte em França. E para lá partiu onde já se encontrava um irmão.

Casou em terras gaulesas também com um imigrante luso e lá nasceram os seus dois filhos. Regressou à aldeia que a viu nascer e por cá foi refazendo a vida.

A Isilda é mulher de resposta sempre pronta. Obstinada, tem até nos seus dizeres alguma graça.

Contou-me ela que certo dia vindo da loja, aflita com os pés, por causa do reumático que a atacava, passou por um aldeão inválido, sentado na cadeira donde nunca saía, na frente da casa. O doente vendo a minha prima arrastando os pés, perguntou-lhe em tom de gozo:

- Vens do Manel Ferrador?

Isilda aproximou-se e observou, tentando perceber se ouvira bem a questão:

- Diga lá senhor Zé, o que me quer?

Ele insistiu:

- Vens do Manel Ferrador?

Furibunda com a pergunta, logo respondeu a preceito:

- Venho, venho! E sabe o que ele me disse?

- Eu não…

- Que há muito tempo que vossemecê não vai lá para ser ferrado!

O velho calou-se, engoliu em seco e deixou a mulher seguir o seu caminho.

É desta fibra que a minha prima Isilda é feita.

No dia em que fez 64 anos aceitou que eu abrisse um blogue em seu nome, onde vou colocando as suas poesias, tão simples mas ao mesmo tempo tão genuínas.

Aqui fica o seu endereço: http://obloguedaisilda.blogs.sapo.pt/

Visitem, leiam e divirtam-se!

Expulsem a Teresa!

 

Hoje tive azar! Por razões que aqui não interessam, estive a “gramar” esta tarde , a TVI.

Foi um suplício! Uma daquelas agruras com que a vida nos brinda. Mas o dia-a-dia também é feito destes momentos menos felizes.

Mas o pior de tudo foi ver uma pessoa do sexo feminino que dá pelo nome de Teresa Guilherme a fazer publicidade a um programa intragável. E expulsa este e expulsa aquele ou o outro ainda…

Fiquei a pensar e acabei por perguntar a mim mesmo: porque será que ninguém a expulsa a ela? Era um favor que se fazia ao país!

É por estas e por outras que acho que devia haver um provedor das televisões, que proibisse que programas destes, entrassem pelas casas dos portugueses.

Não somos bons, não senhor, mas também nada fizemos de tão grave assim, para merecer tamanho castigo.

Esclarecimento

O fim do mundo, a exemplo do actual governo, foi um logro. E se alguém acreditava que com o tal fim do mundo a crise acabava, desenganem-se.

 

Tudo, fez parte de um plano magicado pela troika. Porque nem nestas coisas conseguimos cumprir.

 

Só pretendo saber quais as medidas pensadas pelo governo e pela troika para fazer face a mais este desaire da actual governação.

Prendas Natalícias para IP’s (Ilustres Políticos)

 

Já que estou bem perto de Natal lembrei-me de oferecer a alguns dos nossos políticos uma singela prenda. Não é que eles mereçam, mas invadiu-me um espírito natalício que me obrigou a aceitar umas tréguas e brindo-os com as minhas mui humildes, mas sentidas oferendas. Espero sinceramente que gostem…

 

Começo pelo mais elevado Magistrado da Nação. Ao senhor Presidente da República vou-lhe oferecer um bolo-rei feito pela minha mãezinha. Um pobre reformado também tem direito a comer um bolito! Acredito que o senhor PR vai gostar…

Segue-se o nosso Primeiro-ministro. A este brindo-o com um curso intensivo de alemão para que entenda, de uma vez por todas, o que a Angela diz nas reuniões a que assiste.

Ao Senhor Ministro das Finanças ofereço umas pilhas novas. Creio que aquele governante anda a perder “gas” a “par” de outras falências.

A Paulo Portas, excelentíssimo Ministro dos Negócios Estrangeiros, entrego um “voucher” para uma viagem a Ouagadougou no Burkina Faso onde uma delegação de investidores o aguarda.

À Senhora Ministra da Justiça estava a pensar dar-lhe um Pinto. Algo que está sempre na Ordem.

Ao Ministro Mota Soares mimo-o com um daqueles pacotes de “A Vida é Bela”. Por exemplo “jantar a dois” em casa de um pensionista.

E finalmente ao Ministro Miguel Relvas vou-lhe oferecer uma extravagante prenda: a Cartilha Maternal de João de Deus. Quero depois saber qual a equivalência que vai ter!

 

Só espero que o meu subsídio de Natal chegue para estas prendas.

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D