Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LadosAB

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Espaço de reflexões, opiniões e demais sensações!

Cinquenta anos, cinquenta palavras.

Foram as palavras que nos aproximaram.

Os ruídos que nos ameaçaram,

Os desejos que se revelaram.

 

Brotaste ao mundo novas vozes,

Flores regadas com lágrimas e suor.

Obras-primas de noites tórridas.

 

Ora, cinquenta palavras passadas,

Não há tempo para lembrar o passado

Unicamente para te amar hoje e para sempre

Centro de Medicina Hiperbárica do Hospital da Marinha, um exemplo a seguir

 

 

O dia de Carnaval deste ano trouxe-me uma prenda pouco desejada. Uma doença que me deixou surdo do ouvido direito. Após diversas consultas e exames (audiogramas) foi-me diagnosticado um Síndroma de Surdez Súbita.

A primeira fase para debelar a doença consistiu em comprimidos, que não melhoraram substancialmente  a audição. Assim o meu destino foi o Centro de Medicina Hiperbárica no Hospital da Marinha.

Aqui e após nova consulta médica e breve lista de espera lá iniciei os tratamentos (20 ao todo!). Para quem tinha uma vida frenética, o tempo passado dentro da Câmara (cerca de duas horas aproximadamente) parecia uma eternidade e custava a passar.

Todavia no fim dos tratamentos, os resultados foram fantásticos recuperando toda a audição. E jamais pensei que tal viesse a acontecer.

Mas provavelmente, nada disto seria possível sem os cuidados permanentes de todo o pessoal do Centro de Medicina Hiperbárica. Desde os médicos que me observaram, ao serviço administrativo, os enfermeiros e acima de tudo os mergulhadores que connosco (por haviam muitos como eu!!!) “viajavam” às profundezes de um mar virtual.

Os cuidados que manifestavam para que todos estivessem em boas condições, a forma como tentavam entreter os pacientes, o profissionalismo demonstrado. É que, enquanto estávamos a respirar o oxigénio a 100% através de máscaras, não podíamos falar, ler, nem mesmo “passar pelas brasas”. E não fossem os mergulhadores e enfermeiros que SEMPRE de forma simpática e competente conseguiam manter o pessoal sempre desperto, muitos de nós não teríamos o aproveitamento que observámos.

Fica aqui registado publicamente o meu profundo e sincero agradecimento a TODOS quantos trabalham naquela unidade hospitalar, sem excepção.

Bem hajam.

Democracia, um conceito em vias de extinção

A nossa vizinha Espanha foi ontem "condecorada" com mais uma descida do rating pela agência Standard & Poor's. E desta vez foram dois níveis.

 

Com uma taxa de desemprego a rondar os 25% e com evidente tendência para subir, a Espanha arrisca-se a ser o terceiro país da zona Euro a ser intervencionado pela tão célebre "troika".

 

Portugal vive economicamente muito daquilo que exporta para Espanha. E os cortes que se adivinham no país vizinho não trazem obviamente boas notícias para o nosso país.

 

O novo governo espanhol vai apresentar novas medidas de austridade e de aumento de impostos, contradizendo aquilo que apresentou durante a campanha eleitoral.

 

Lá, tal como cá, os poíticos não são sérios. Mentem ao povo descaradamente.

 

Assim, cada vez as pessoas acreditam menos na política e nos políticos...

 

Ou não será esta a forma mais subtil de acabar com a democracia no Mundo?

 

25 de Abril Mundial

Tenho dito aos meus filhos que vivi o que eles estudaram nos livros.

Era quinta feira. O dia prometia ser sombrio. Umas nuvens plumbeas ornavam o céu.

Muito cedo o meu pai, militar de carreira, chegou a casa e avisou-me para não sair. Estava a decorrer um golpe de Estado.

Todavia o tal golpe de Estado depressa se transformou em Revolução dos Cravos.  No dia seguinte regressei à escola. Tinha 15 anos.

 

Trinta e oito anos decorridos olho para este país e percebo que algo correu mal. Mas o quê?

Não sei se alguém alguma vez conseguirá responder com realismo a esta pergunta. 

Os partidos de esquerda acusam a direita de retirar direitos, os da direita acusam a esquerda de despesismo em nome de melhor sentido social.

Todavia quem paga é sempre o mesmo. Ou quase sempre...

 

Entendo que os ideais do 25 de Abril de 1974 são hoje uma miragem e um sonho desfeito, especialmente para quem o organizou. Mas há algo no Mundo que ainda ninguém percebeu e com a qual nenhum 25 de Abril de ano nenhum conseguiu lidar.

 

O mundo está em guerra. Vivemos a Terceira Guerra Mundial sem sabermos. Nas outras anteriores houve uns estupores que usaram as armas e mataram milhões em nome de não sei que ideais. Hoje usa-se o dinheiro (ou a falta dele) para matar economias, governos, empresas e pessoas.

Uma 3ª guerra que rebentou nas nossas mãos e perante a qual não sabemos lidar. Nem nós nem governo algum.

 

Os Mercados mandam mais que os partidos e o povo. O mercado diz "vende-se" e toda a gente vende. Assume-se para comprar e toda agente compra. Mas que coisa, que figura tenebrosa é esta, que nos vai destruindo e corroendo?

 

Necessitamos de um Churcill ou de Gaulle para colocar um fim a isto. Ou então uns novos Capitães de Abril armados de IPad e alguns virus para atacar algum servidor dos Mercados.

Os velhos do Restelo?

Não entendo este país.

 

Ou melhor, não percebo algumas pessoas neste país.

 

Faz hoje 38 anos que se fez o 25 de Abril, para dar ao povo português a liberdade retirada durante quase meio século. Após alguns anos de perfeita desarmonia, natural nestas coisas, finalmente passámos a ter governos democraticamente eleitose apoiados por deputados eleitos em eleições mais ou menos concorridas. 

 

Aceitaram-se sempre esses resultados. Todos diziam que a opinião do povo era soberana.

 

E agora uns idiotas de uns Capitães de Abril, velhos e senis vêm dizer que não vão às comemorações do 25 de Abril porque não foi para isto que foi feita a Revolução dos Cravos...

 

Então foi para quê? Para termos ditaduras do tipo Coreano ou do tipo Sírio? Ou o povo quando vota à esquerda é inteligente e quando vota à direita é burro?

 

Custa-me escrever este texto. Eu que vivi o 25 de Abril.

Ainda me lembro daquela quinta-feira sombria em que o meu pai não me deixou ir à escola. E os dias seguintes. As manifestações e aquele primeiro 1º de Maio.

 

Eu, que vivi o 25 de Abril, não gosto de ver estes tristes cavalheiros a fazerem birras de crianças mimadas.

Portugal necessita de vozes discordantes, mas que surjam em sede própria. Perdem eles e o País.

 

 

 

 

Miguel Portas - Um político a tempo inteiro

Assumo aqui e agora que não subscrevia as ideias que Miguel defendia.

Mas entendia o que ele queria.

Era um homem sério, correcto, frontal sem ser quezilento.

 

Morreu porque perdeu a guerra com a doença.

Mas viveu sempre nos limites das suas capacidades.

Lutou, como pode e soube, contra um bicho que lhe devorava as entranhas.

 

Tiro-lhe o meu chapéu à coragem que sempre demonstrou.

Curvo-me à sua capacidade de sofrimento em prol de um Pais que não merece um político assim.

Presto a minha sincera e póstuma homenagem a um homem que soube ser um político a tempo inteiro.

 

Até sempre Miguel!

 

 

Novo visual

Ao fim de quatro anos é tempo de mudar.

 

Foi-me proposto essa mudança. E eu aceitei.

 

Foi a Amiga Verniz Negro que cuidou deste espaço.

 

Alterou cores e imagens, modificou o que achou que devia e necessitava. Claramente que a minha sensibilidade para estas coisas é... zero. 

 

Já que a qualidade das palavras não melhora, pelo menos o visual está muuuuuuito melhor. Mais apelativo.

 

Eu gosto e vocês?

 

Fica aqui registado o meu público agradecimento a Verniz Negro, uma amiga recente mas que parece que conheço faz imenso tempo.

 

Bem-haja!

 

 

CR7 coloca Real a 7

Não sei quais vão ser os títulos dos jornais de amanhã sobre a vitória do Real em Nou Camp, mas o título deste post bem podia ser um deles. Uma grande noite de futebol onde os grandes mestres se equivaleram. Messi (a espaços) e Cristiano Ronaldo (mesmo que por pouco tempo!) mostraram porque são os melhores do mundo. 

E que dizer de Mourinho? Bom, deste setubalense já disse quase tudo em posts anteriores. Aprecio a sua postura, mesmo que lhe chamem de arrogante mostrando e demonstrando, mais uma vez, porque é também ele, o melhor do mundo.

 

A vitória na liga espanhola está por um fio. E a história repete-se: por onde passa ourinho, deixa umas taças importantes nas vitrinas dos seus clubes.

Digam o que disserem não é fácil ser-se o melhor, neste mundo tão concorrencial.

 

Gostei do jogo, pela forma serena como o Real jogou. Os Merengues sabiam de antemão que cabia ao Barcelona jogar para ganhar, de forma a encurtar distância para o líder Real. Mas aquela abébia de Puyol aos 17 minutos, deitou tudo a perder. E mesmo após o empate ao minuto 71, a equipa de Mourinho não se desconjuntou e partiu para a frente à procura do segundo.

Bastou para isso um minuto e Ronaldo, para desequilibrar a balança.

Vitória assim merecida do Real por ter sido, não a melhor equipa, mas a mais serena e esclarecida. Desta vez, assumo, a melhor equipa foi a de arbitragem.

Talvez por isso, o Barça perdeu...

 

The day after!

Fez ontem 25 anos que era Domingo de Páscoa. Ressuscitava Cristo e eu era pai pela primeira vez.

Às seis e meia da manhã telefonaram-me da clínica a comunicar que tinha nascido um rapaz e que estavam ambos bem (mãe e filho). Uma emoção.

 

Neste caminho já percorrido por todos nem tudo foram rosas, ou melhor foram mas com imensos espinhos. Todavia não me arrenpendo de ter sido pai. Temos formas diferentes de ver o mundo, mas isso é natural. Já fiz e senti o mesmo.

 

Agora que o dia já passou sinto que valeu a pena. Orgulho-me do meu filho. Pelo homem que já é e por aquilo que sei de antemão que um dia poderá tornar-se. É um campeão, um lutador e um doce.

 

Obrigado filho por me ajudares todos os dias a ser um bocadinho mais feliz.

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D